Em projeto de extensão do ISB, pacientes diabéticos são tratados com laser terapêutico

Thiago Maciel, professor e coordenador do Curso de Fisioterapia, ISB/Campus CoariThiago Maciel, professor e coordenador do Curso de Fisioterapia, ISB/Campus CoariPor Sebastião de Oliveira
Equipe Ascom/Ufam

Ao todo, seis extensionistas, entre professor e alunos - que compõem o Projeto “Cuidando de feridas de pacientes com pés diabéticos” -  submeterão pacientes diabéticos a um método de tratamento que utiliza a aplicação de Lazer Terapêutico de Baixa Intensidade.

Após levantamento realizado em Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município de Coari (distante 363 quilômetros de Manaus), o professor e coordenador do Curso de Fisioterapia do Instituto de Saúde e Biotecnologia (ISB), Thiago dos Santos Maciel, que também é coordenador do Projeto de Extensão, disse que a iniciativa foi submetida à Pró-Reitoria de Extensão (Proext) no início deste ano e que está com atividades aceleradas na fase de coleta de dados para a sua efetivação completa.

De acordo com Maciel, o projeto também abrange a pesquisa, agregando subsídios ao tripé da Universidade, qual seja ensino, pesquisa e extensão. Depois de uma triagem rigorosa junto aos pacientes, esta realizada pelos alunos dos cursos de Fisioterapia e de Enfermagem, os beneficiados serão atendidos no próprio Instituto de Coari, nas UBSs ou em suas residências.

Tecnologia a laser

O professor esclarece ainda que a diabetes é uma patologia que atinge milhões de pessoas no mundo e uma das complicações é a dificuldade de cicatrização do ferimento. “Como potencialidade, a utilização do Lazer Terapêutico de Baixa Intensidade tem a  vantagem de acelerar o processo de cicatrização da úlcera do paciente acometido com diabetes nos pés”, ressalta o docente.

"Paralelo ao projeto, um estudo visa a fazer o senso de pacientes com incidência de diabetes no município de Coari, sendo esta outra etapa correlata ao Projeto de Extensão", acrescenta Maciel, que diz estar otimista quanto aos resultados da abordagem.

Na programação consta que o atendimento de cada paciente será realizado três vezes por semana, de modo a permitir que o beneficiário complete dez seções de tratamento. Nesse sentido, o professor esclarece que, conforme o aumento da demanda, o número de integrantes do projeto deve aumentar na mesma proporção. "Entendemos que isso refletirá na excelência no atendimento, como o maior suporte e a agilidade na realização dos exames", prospecta o docente.

"Não existe ainda na cidade nenhuma instituição específica que realize o tratamento de pacientes com pés diabéticos. Então, é de fundamental importância tanto para o município quanto ao estado do Amazonas", destaca o coordenador, ao considerar equilibrada a proporção entre o número de discentes participantes e o de pacientes.

Sobre o LTBI

O Laser terapêutico de Baixa Intensidade que tem a função de irradiar células e ativar alguns componentes, resultando em reações bioquímicas que podem alterar completamente o metabolismo celular. Trata-se de uma fonte de radiação capaz de produzir campos eletromagnéticos intensos e coerentes que se estendem do infravermelho ao ultravioleta.

Suas particularidades físicas se dão por ser uma luz coerente, monocromática e com colimação. Essas particularidades, quando em contato com o tecido da pele, ocasionam quatro fenômenos físicos: a absorção, a reflexão, o espalhamento e a transmissão. Quanto maior a absorção, a reflexão e o espalhamento, menor a transmissão para os tecidos mais profundos. Essa interação da TLBI com o tecido depende do comprimento de onda utilizado e da composição do tecido atingido durante o tratamento.

    

 

 

 

   

 

 

Universidade forma 42 licenciados em Letras

 
Por Juscelino Simões
Equipe Ascom/Ufam

Na noite da última segunda-feira, 15, a Universidade Federal do Amazonas realizou solenidade de outorga de grau de mais de 40 formandos dos cursos de licenciatura em Letras-Línguas Inglesa, Francesa, Libras e Língua e Literatura Portuguesa da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Amazonas (Flet/Ufam). A cerimônia foi presidida pelo reitor da Ufam, professor Sylvio Puga, e ocorreu no auditório Eulálio Chaves, setor Sul do Campus Sede, com a presença de familiares, amigos e docentes.

Além do reitor, compuseram a mesa de honra da formatura o diretor da Flet, professor Wagner Barros Teixeira; o paraninfo da turma do curso de Letras Língua Espanhola, professor Saturnino José Lopes; o paraninfo da turma do curso de Letras Língua Francesa, professor João Luiz de Souza; a paraninfa da turma do curso de Letras Língua Inglesa, professora Regina Maria Marinho; a paraninfa da turma do curso de Letras Língua Libras, professora Elizandra de Lima Bastos; e a paraninfa da turma do curso de Letras Língua e Literatura Portuguesa, professora Nícia Petreceli Zucolo.

“Formar é um momento de celebração”, afirmou o reitor em sua fala aos formandos. Disse ainda que o mercado sempre procura profissionais formados na Ufam e não tem dúvida que os melhores professores são formados aqui.

“É um grande desafio formar pessoas. O nosso papel é formar bons profissionais. Não tenham medo dos desafios, a Ufam está com vocês. Temos trabalhado para melhorar a formação com novas estruturas. O coração de uma universidade são as bibliotecas e, por isso, estaremos construindo novos prédios das bibliotecas. Esse não é um momento de despedida. Nós estamos aqui para recebê-los na pós-graduação. O sucesso espera por vocês”, disse o professor Sylvio Puga.

A paraninfa da turma do curso de Letras Língua e Literatura Portuguesa, Nícia Petreceli Zucolo, utilizou em seu discurso o exemplo de dois filmes e uma música para mostrar aos formandos a importância da formação e dos livros na transformação social. “Os filmes Oblivion e Fahrenheit 451 retratam o medo patológico que o Estado Totalitária tem da Arte, dos livros, da música, da Literatura e da educação. Nesses filmes os personagens principais, inicialmente a serviço do status quo que aposta na ignorância de seus servidores, a fim de manter o controle da sociedade, dando a ilusão de liberdade,  escolha, ordem, de progresso. Após entrarem em contato com a leitura questionam seus superiores. Explicam, a seu modo, a consequente necessidade de amesquinhar a educação, retirando-lhe o potencial da mudança inerente a ela. Se insurgem contra uma condição social subalterna. Finalizam um curso de graduação, mas não é um curso qualquer. É uma licenciatura em Letras e, há, ainda, a Literatura, os perigosos livros. O que vão fazer agora, ao saírem por aquela porta do auditório, não mais como alunos? Vão continuar a celebração conclamada por Renato Russo em 1993 na música ‘Perfeição’? Podem festejar, celebrar ou continuar a usar os livros como instrumento de  insurreição? Usem esse poder para transformar o mundo”, destacou a professora Nícia Zucolo.

O professor do curso de Língua Inglesa, Bruce Osborne destacou a excelência da formação, mas afirmou que o mercado de trabalho é preocupante. “É um momento de alegria para formandos e suas famílias chegar neste momento. A Ufam promove formação de qualidade, mas infelizmente o mercado de trabalho precisa gerar mais vagas”, afirmou o docente.  

O diretor da Faculdade de Letras afirmou que a solenidade de formatura é um momento de festa e desejou sucesso a todos os formandos. “É um momento para festejar. Parabenizo a todos por esse feito em suas vidas. O compromisso de ensinar, da melhor maneira possível, agora é de vocês. Vocês levam o nome desta Instituição em suas formações e precisam expandir o conhecimento para a sociedade”, disse o professor Wagner Teixeira.

A egressa Jéssica Santos da Silva afirmou que foram anos difíceis, mas também de muito orgulho, especialmente por ter sido s primeira da família a se formar em uma universidade federal. “Passei por muitos problemas que acabaram interferindo na minha trajetória acadêmica, mas, ainda assim, sou motivo de orgulho para a minha família, isso porque eu sou a primeira a concluir a graduação em universidade pública. Muitos diriam que é significativo uma negra formando em uma universidade, já que não existem tantos negros no Ensino Superior. É um contraste, pois somos maioria na população brasileira e uma minoria na educação superior”, disse a formanda Jéssica Santos da Silva.

Patronos      

O patrono do curso de Letras Língua Francesa, professor Fernando Scheibe.

O patrono do curso de Letras Língua Inglesa, professor Sérgio Armstrong.

A patronesse dos cursos de Letras, Língua e Literatura Portuguesa, professora Cássia Maria Bezerra do Nascimento.

A homenageada com nome da turma de Língua Inglesa, professora Vanessa Marruche.

A homenageada com nome da turma de Letras Língua e Literatura Portuguesa, professora Soraya Paiva Chain.

Confira a lista de egressos

 

Letras – Língua Espanhola

      BERENICE DA SILVA AMARAL

ANIEL DA COSTA ALVES

GISELI FROTA DE SOUZA NASCIMENTO

 

Letras – Língua Francesa

ANGELICA PIRES DA SILVA CAVALCANTE

DEIVIDE MORAES MARQUES

HEDIANE NAIADE SILVA MONTEIRO

MARIA JOELMA DOS SANTOS

 

Letras – Língua Inglesa

     CAIO FERNANDES FELIX SOARES

ELSON SILVA DOS SANTOS

FERNANDA KAREN MEDEIROS GADELHA

GABRIELLE FERREIRA ANDRADE

GABRYELLE HAYEK CARVALHO

HELDSON KALLEB GOMES SALDANHA

JANAYNA FERREIRA DA SILVA

JESSICA PAZ DA SILVA LAGO

JOSÉ ROBERTO LIMA DA ROCHA

 LINNU PASSOS RODRIGUES 

 LUCAS DA COSTA PEREIRA

 LYSSANDRA EVILLIN KITZINGER

 MARIA BEATRIZ DO NASCIMENTO SANTOS

 MARIA VITORIA QUEIROZ LOPES

 NATALIA MAIA DA SILVA

 SAMELA TORRES PASSOS

 SERLEY PACHECO LEITE BARBOSA

 THAILA DA SILVA DAVI

 WESLEY CAMPOS DA SILVA

 

Letras – Libras

ALANNA SILVA COELHO

CAMILA SIMONE ALVES

CRISONEY DE BRITO GOMES

DIEGO BARBOZA DE ALMEIDA BARROSO

ISIS TATIANE LIMA ALVES

JOANA KAROLINE BARROS VALENTIM

LARISSA DANTAS DE LIMA

LILIANNE ARAUJO DA SILVA

 

Letras – Língua e Literatura Portuguesa

DEBORAH CAROLINA E SILVA MORAIS

GISELLY KAREN CASTRO GODINHO

JESSICA SANTOS DA SILVA.

LUCIANA SOARES DOS ANJOS E SILVA

MANUELLA DOS SANTOS GOMES

NATASHA CORRÊA DIAS

RAIMUNDO ILMAR LIMA GADELHA JUNIOR

YACANA BULCÃO CASTRO

Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais da Ufam forma 80 novos profissionais

Por Marion Litaiff 
Ascom Ufam

Na última terça-feira, 16, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) concedeu grau a 80 formandos dos cursos de Ciências Sociais, Filosofia, Geografia, História e Serviço Social do Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais da (ICHL/Ufam). A Cerimônia ocorreu no auditório Eulálio Chaves, localizado no setor sul do campus universitário Senador Arthur Virgílio Filho.

A sessão foi presidida pelo reitor da Ufam, professor Sylvio Mário Puga Ferreira, acompanhado do diretor do IFCHS, professor Raimundo Nonato Pereira da Silva. Também fizeram parte da mesa de honra a paraninfa do curso de Ciências Sociais, professora Fátima Weiss de Jesus, o paraninfo do curso de filosofia, professor Jose Belizário Neto, o paraninfo do curso de geografia, professor José Alberto Lima de Carvalho, o paraninfo do curso de história, professor Nelson Tomelin Junior, e a paraninfa do curso de serviço social, professora Kátia de Araujo Vallina.

Após o recebimento das outorgas, Paulo Rodrigo Santos, orador do curso de Ciências Sociais, discursou sobre os benefícios que o estudo das ciências humanas traz para os alunos do ensino superior. “Estar na Universidade é encontrar-se com a ciência e, nesse caso, as ciências humanas trazem consigo o âmago do entendimento das sociedades, das culturas e de nossas formas de existência. A ciência nos permite investigar as contradições e as violências, entender o ser humano em seu desenvolvimento, ver o outro como a si mesmo, entendendo suas construções sociais e sua participação na sociedade. Enfim, a ciência traz em nossas vidas um guia para nossa sociedade e mundo. É fundamental defendermos e empenharmos na defesa e na evolução da ciência brasileira, na busca de um país melhor, de uma sociedade democrática e na realização da dignidade humana e sua livre expressão”, disse o recém-formado.  

Sandra de Jesus Ferreira, oradora do curso de Filosofia, relembrou sobre as dificuldades e alegrias enfrentadas por sua turma durante a graduação. “É com imensa felicidade e gratidão que hoje podemos celebrar e partilhar deste momento tão esperado por cada um de nós formandos, familiares, professores, amigos e outras pessoas que estiveram conosco durante nossa caminhada. Sabemos que a jornada acadêmica é um caminho de muitos desafios, erros, acertos, superações, e que não foi fácil ter chegado até aqui, mas a certeza que temos é que esse foi o caminho que cada um de nós escolheu trilhar. A nossa amizade chama-se Filosofia, o amor a sabedoria na busca incessante pelo conhecer, o que nos leva a pensar a grandiosidade do universo e de cada ser humano em sua forma de essência e existência. Durante esses anos em nossa querida Ufam, não aprendemos apenas conhecimentos filosóficos que levaremos para exercer de nossa profissão, mas também aprendemos que nossa dedicação, ética e a responsabilidade com a educação e a sociedade é o que fará toda a diferença como futuros profissionais. Nossa jornada não termina por aqui, o caminho é longo e árduo. A partir de hoje, cada um buscará trilhar novos horizontes, mas não deixaremos de lembrar dos bons momentos que vivemos dentro da Ufam, a qual seremos eternamente  agradecidos”, falou Sandra.

Expressando grande afeição pela profissão que escolheu, Ana Cristina Goulart, egressa do curso de Geografia, se declarou orgulhosa por ter sido escolhida para falar em nome dos formandos ali presentes. “A Geografia é uma das ciências mais fascinantes que a humanidade já concebeu. Sua filosofia aborda não somente o espaço físico especificamente, mas tudo o que o cerca. Não apenas a natureza e o homem. Vai muito além disso. Questiona e modela o que este conjunto representa no infinito papel de transformar o espaço. Hoje nos encontramos para nos separarmos. Para alguns, esse momento fará parte dos espectros de uma vaga lembrança. Para outros, a experiência de um renascer. Mas acima de tudo, a concretização de nossos esforços na eterna busca de um conhecimento maior”, apontou a oradora.

Samanta Mendes Freitas recebeu o certificado de integralização de créditos de sua avó, Rosa Mendes Freitas, do curso de História, falecida no dia 7 de dezembro de 2018. Samanta Mendes Freitas recebeu o certificado de integralização de créditos de sua avó, Rosa Mendes Freitas, do curso de História, falecida no dia 7 de dezembro de 2018. Durante seu discurso, a oradora do curso de História, Thalia Abreu de Carvalho, destacou a necessidade de continuar lutando por um ensino superior de qualidade que seja disponível para todos. “Este é um momento oportuno para nós reafirmarmos os valores e os princípios democráticos que condicionam a nossa formação profissional. Nós sentimos profundo orgulho em observar como nossas turmas são diversas, em perceber que chegamos até aqui em razão de oportunidades que foram criadas coletivamente e historicamente. Hoje temos o direito de ocupar uma universidade pública gratuita e de qualidade, que deve ser para todos e todas, temos o compromisso de defender esse direito para as gerações aqui em futuras. A universidade, enfatizamos, é para todos. Não somente para jovens, mas também para senhores e senhoras que desejam retomar os sonhos de juventude, como Rosa Mendes Freitas, que estaria conosco hoje, e a quem prestamos homenagem”, apontou Thalia.

 A oradora de Serviço Social, Nicole Maria Fernandes, falou sobra a incumbência dos formandos do curso de transmitir à população aquilo que foi adquirido na universidade.  “Como assistentes sociais, graduados em uma universidade pública, temos o dever de devolver à sociedade os conhecimentos adquiridos, não apenas pelo nosso compromisso ético e profissional, mas por sabermos que os recursos que mantém esta instituição vêm da população que, na maioria das vezes, não vai conseguir acessar o ensino superior público. Assim, nossa obrigação é, antes de tudo, com aqueles que financiaram nossa formação”, proferiu em seu discurso.

O diretor do IFCHS, professor Raimundo Nonato Pereira da Silva, parabenizou os alunos por continuarem lutando por uma universidade pública, gratuita e de qualidade. “Fui contemplado na alma e no coração pelas palavras dos discursos que foram proferidos. Foram discursos de esperança, garra e determinação. É possível perceber que estes formandos estão com a mente clara e com o coração solidário, na medida em que eles se comprometem a mudar, a passar essa experiência e continuar lutando pela universidade. É uma luta sempre. Neste ínterim que vivemos, mais do que nunca, precisamos ser solidários, críticos e humanos”, afirmou emocionado.

Antes de encerrar a cerimônia de outorga de grau, reitor da Ufam, professor Sylvio Mário Puga Ferreira, apontou sobre a valorização que o profissional formado pela Ufam tem no mercado de trabalho. “Pela nossa história, pela nossa tradição e por tudo que a universidade faz com a contribuição de todos, eu não tenho dúvida em afirmar que, hoje, estamos entregando à sociedade amazonense e brasileira os melhores profissionais do Estado nas áreas de Ciências Sociais, Filosofia, Geografia, História e Serviço Social”, falou. Destacou ainda sobre a característica crítica e questionadora da comunidade acadêmica da Ufam. “No dia a dia, no cotidiano e na sala de aula, com os professores, vocês participaram de intensos debates sobre os mais variados temas na área de ciências humanas e sociais. Então, os discursos desta cerimônia espelharam exatamente esse cotidiano da nossa instituição. Não tenho dúvida que estamos formando hoje grandes profissionais críticos, opositivos e que temos orgulho de entregar à sociedade, porque o corpo docente destes cursos fez o melhor para que pudessem chegar até aqui. É um momento de celebração, de vitórias, mas é também um momento de desafios, como foi muito bem apontado por todos os oradores que aqui se revezaram.

 

Confira a lista de formandos:

 

Ciências Sociais

Jubison Ferreira Menezes  

Licely Lima De Souza  

Paulo Rodrigo De Sousa Santos

 

Filosofia Licenciatura

 Francisco Pinheiro De Lira

Larissa Reis Farias

Ricardo Teixeira De Sales

Sandra De Jesus Ferreira Da Silva

 

Geografia Bacharelado

Ana Cristina Augusto Ferreira Goulart

Juliana De Souza Soares

Renata Tahana Ferreira Amorim

 

Geografia Licenciatura

Bruno Cardoso Braga De Almeida

Bruno Neves De Oliveira

Daniela Castro Da Encarnação

Felix Madeira Moreno

Glenda Rodrigues Bastos

Isabela Mendonça Braga

Jenyffer Caroline Santos Duarte

Kamila Raposo Melo      

Karine Queiroz De Moura

Lucas Dos Santos Nascimento

Maria Marinho Da Silva

Marijanio Bezerra Araújo

Mikael Santana Costa

Nagila Quirino Da Silva

Rafael Gomes Dos Santos

Rosana Pinto Santana

Samuel De Souza Felipe

 

História

Adriana Dos Santos Ribeiro

Akemmy Borges Sampaio

Anderson Luis Bessa Mar 

Brenda Hanna Chagas Peso

Charlene Caldeira Da Costa Leitao

Cristiane Carvalho Gomes

Eliane Costa Barreto

Erika Simões Alencar

Geraldo Tarcizio Ferreira

Herivelto Rubens Pauxis Ferreira Costa

Jean De Araújo Lunas

José Messias Mariano De Oliveira Filho

Marcia Luana Dos Santos Santos

Marcos Lucas Abreu Braga

Maria Das Graças Vasconcelos Melo

Rafael Da Silva Curintima

Ramily Frota Pantoja

Raphaela Martins Pereira

Suely Da Costa Pinheiro

Tamir Regina Da Silva Carvalho

Thalia Abreu De Carvalho

Thayana Da Silva Negreiro

 

Serviço Social

Ana Cecilia Santos Marinho

Ana Cristina Da Rocha Freitas 

Andrielle Melo De Franca

Cintia Gomes Arcos

Claudomira Ramos Lopes

Edilena Beatriz Eleres Do Nascimento

Escarlete Raissa Evangelista Da Silva

Gloria Vaz Santos

Hayda Lorena Dos Santos Lima

Jessica Lima Cordova

Jessica Lopes De Freitas

Leticia Thaila Barroso Martins

Loren Raquel Aguiar Machado De Almeida

Malena Nascimento De Freitas

Matheus Luan Correa Costa 

Matilde Rodrigues Gomes

Nicole Maria Fernandes De Sousa

Paloma Costa Tavares

Patricia Canto Furtado Goncalves

Ruth De Araujo Matos

Sabrina Ellen Mendonca Pontes

Sabrina Silva De Oliveira

Sarah Santos Cruz 

Saraianne De Miranda Lopes

Sebastiana Da Silva Bernardo

Tallyta Farias Matias

Tereza Celeste Freire De Moura Pangaio

Tereza Cristina De Freitas Santos

Valeria Luanny Furtado De Paula

Vanuza Da Silva Santos

Yasmin Farias De Souza