Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Museu Amazônico recebe exposição do artista plástico Jair Jacqmont

Publicado: Terça, 13 de Agosto de 2019, 08h33 | Última atualização em Terça, 13 de Agosto de 2019, 08h43 | Acessos: 164

A vivência do artista é apresentada no circuito das artes cênicas, a partir das obras do Pombal Arte Espaço Alternativo, dirigido pelo ator e dramaturgo Luiz Vitalli. A exposição é um apanhado de imagens sobre a parceria entre o teatro, as artes visuais e a cultura indígena

 

Texto: Museu Amazônico

Edição: Márcia Grana

Equipe Ascom Ufam

No próximo dia 16 (sexta), às 19h, o Museu Amazônico inaugura a exposição “DESTRIBALIZADOS: Pombal Jacqmont Arte&Teatro 2019”, do artista plástico Jair Jacqmont. Com curadoria do próprio artista, o tema da exposição gira em torno do Teatro, das Artes Visuais e dos Indígenas.

A mostra apresenta o resultado surpreendente da interação entre as artes plásticas de Jair e o Teatro de Luiz Vitalli, emprestando como cenário o confronto cultural entre os povos indígenas da Amazônia e a vida urbana da cidade, no caso, Manaus.

Para o diretor do Museu Amazônico, o historiador Dysson Teles, DESTRIBALIZADOS simboliza “Quatro mãos e duas direções que acabam se fundindo e materializando em algum momento e, em algum lugar, o que antes era um livre pensar, em uma obra concreta e harmônica, como um filme com início, meio e fim”.

Segundo Jair, essa exposição também é um tributo à obra de Luiz Vitalli. “Ele me dava os textos e eu criava todas as imagens a partir deles. Eram textos de peças diferentes, mas montados com a mesma crítica, com a mesma criatividade sobre os indígenas da Amazônia. Vitalli era paulista, mas lutava por nossa cultura. É também a celebração de uma parceria que deu certo”.

Jair Jacqmont

Nasceu em Manaus, onde participou de grandes movimentos artísticos na cidade. Estudou na Pinacoteca do Estado (altos da Biblioteca Pública), no Museu de Arte Moderna do Rio, no Parque Lage (RJ) e cursou Restauro de Bens Culturais Móveis em Minas Gerais.

Jair também foi curador de diversas mostras, entre elas os I e II Salão Plástica Amazônia, em 1998e 1999, além de curador de 2 ZONARTES. Em 1980 ganhou o Prêmio Governo do Estado do Amazonas e, no mesmo ano, desenhou o Altar do Papa João Paulo II. O artista também projetou a Berlinda de Nossa Senhora da Conceição da Matriz de Manaus.

Luiz Vitalli

Ator, diretor e teatrólogo, Luiz Vitalli, dedicou sua vida em prol do verdadeiro ETHOS da Amazônia. Ao longo dessa jornada, ao lado do produtor cultural Alberto Penkauskas fundaram a ONG POMBAL em 1981. Era um homem de personalidade forte e presença marcante que acreditava na sabedoria da floresta e na força de seus ancestrais como fontes transcendentes de inspirações e energias.

Colecionador de importantes prêmios deixou um célebre legado para a cultura regional e nacional, ligado ao ETHOS amazônico: Amanusmente, Poronominare, Genoma, Yapinari, A saga dos Mundurukus, Cunhã, O vale do Nikamukora são alguns trabalhos que ecoarão para a posteridade como riquezas culturais que resgatam e resguardam nossas origens. Para o artista Edgar Montrezol, “a exposição Destribalizados: Pombal Jacqmont Arte&Teatro 2019 é um exemplo da magnitude do trabalho desenvolvido pela ONG POMBAL, sob a direção de Luiz Vitalli”.

Luiz Vitalli faleceu em maio de 2019, aos 60 anos.

Vernissage

A exposição “DESTRIBALIZADA: Pombal Jacqmont Arte&Teatro 2019” inaugura no dia 16 de agosto de 2019, às 19h, no Museu Amazônico (Rua Ramos Ferreira, 1036 – Centro). A entrada é gratuita.

Após o lançamento, a exposição ficará aberta para visitação até o dia 1º de novembro, de segunda a sexta, das 9h às 16h30. O Museu Amazônico também recebe agendamento de escolas.

Informações

Divisão de Difusão Cultural | Divisão de Museologia - Museu Amazônico

Contato: 92 3305-1181 Ramal: 2021

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página