Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Ouitê - Amamenta e Alimenta: aplicativo desenvolvido por pesquisadores da Ufam é registrado no INPI
Início do conteúdo da página

Ouitê - Amamenta e Alimenta: aplicativo desenvolvido por pesquisadores da Ufam é registrado no INPI

Acessos: 606

Texto enviado pelo professor Ronilson Ferreira Freitas

Aplicativo desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) foi registrado no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), órgão responsável por registrar e proteger propriedades industriais desenvolvidas no Brasil. O registro é importante para garantir a proteção intelectual, e evitar possíveis litígios e conflitos de marcas.

O termo ‘Ouitê’ vem do Tupi-Guarani, e significa mãe. O aplicativo foi desenvolvido no âmbito do Programa Atividade Curricular de Extensão (PACE), através do projeto intitulado ‘Ações de educação em saúde para colaboradores de creches públicas sobre aleitamento materno e alimentação complementar para crianças até os dois anos de idade’, vinculado ao Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina da Ufam (DSC/FM/Ufam).

No aplicativo, é possível os interessados encontrar folders, cartilha educativa e vídeos, desenvolvidos pelos acadêmicos, sob a orientação de docentes do DSC/FM. No software há conteúdo sobre aleitamento materno e alimentação complementar no contexto do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) tendo como referência o Guia Alimentar para Crianças Brasileiras Menores de dois anos. O material disponibilizado traz orientações sobre as boas práticas de manipulação do leite materno, recomendações quanto a importância e os benefícios da criação de salas de amamentação nas creches, e também sobre alimentação complementar saudável para crianças até os dois anos de idade.

“Com esse aplicativo, esperamos contribuir para que os colaboradores de creches adotem boas práticas de manipulação do leite materno, desde a recepção, armazenamento, manipulação e oferta para as crianças assistidas. E que também, incentivem a continuidade da prática do aleitamento materno até os dois anos de idade ou mais, orientando as mães sobre o processo de extração, armazenamento e transporte do leite materno até a unidade educativa do seu filho. Esse tipo de ação tem como principal meta, o fortalecimento das políticas públicas de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno”, explicou o pesquisador, professor Ronilson Freitas, coordenador da atividade de extensão e um dos idealizadores do aplicativo.

Para o acadêmico do curso de Medicina, Wolfgang de Paula, desenvolvedor do aplicativo, “a criação do aplicativo Ouitê - Amamenta e Alimenta marcou um ponto de convergência crucial em minha jornada acadêmica e minha paixão pela programação. Essa iniciativa representa a síntese do futuro da Medicina, onde tecnologia e informação desempenham papéis fundamentais. Vejo o aplicativo como uma ponte entre a teoria e a prática, proporcionando acesso a conteúdo confiável sobre alimentação infantil. Acredito que ele será uma ferramenta valiosa para a comunidade, contribuindo para uma nutrição mais saudável e um desenvolvimento infantil sólido, refletindo meu compromisso com o cuidado da saúde pública”, afirmou o acadêmico.

Com o registro do aplicativo, a Universidade disponibiliza mais um importante produto tecnológico que poderá incentivar a prática do aleitamento materno e a alimentação complementar saudável, no âmbito das creches, e está disponível para download gratuito no Google Play Store.

O projeto de extensão foi registrado na Pró-Reitoria de Extensão (Proext) da Ufam, sob o número PACE-00709/2022.

registrado em:
Fim do conteúdo da página