Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

IGC 4 - Ufam conquista conceito quatro inédito no Índice Geral de Cursos do MEC

Publicado: Quinta, 12 de Dezembro de 2019, 14h18 | Última atualização em Quinta, 12 de Dezembro de 2019, 15h08 | Acessos: 2206

Com isso, a Ufam passa a compor o grupo de 21,3% de universidades brasileiras com tal índice. Confira aqui o resultado divulgado hoje, 12, pelo Inep/MEC

Por Irina Coelho
Equipe Ascom Ufam

A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) obteve nota quatro no Índice Geral de Cursos (IGC), segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 12, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A nota é inédita para Ufam e o indicador de qualidade avalia as Instituições de Educação Superior em uma escala de 1 a 5, sendo que a nota máxima é cinco.

Ao todo, foram avaliadas 2.052 instituições e apenas 438 tiveram nota quatro. De acordo com o reitor, professor Sylvio Puga, a nota inédita é destaque porque o Índice considera todas as instituições brasileiras de ensino superior, públicas e privadas. Confira neste link o resultado na avaliação, divulgado hoje, 12, pelo Inep/MEC.

“A mudança de patamar de nota três no IGC para nota quatro, reflete um esforço coletivo da Ufam, liderado pela Pró-Reitoria de Ensino e Graduação (Proeg), em sintonia com Procuradoria Educacional Institucional (PI), Comissão Própria De Avaliação (CPA) e demais Pró Reitorias, e, principalmente, as Coordenações de Curso. Esse avanço é uma importante conquista para a nossa Instituição, que passa a fazer parte de um conjunto de 21,3% de Universidades Brasileiras, com tal índice”, destaca o reitor.

Avaliação dos pró-reitores

O pró-reitor de Ensino de Graduação, professor David Lopes Neto, explica que o resultado demonstra o alinhamento da gestão com as políticas de ensino, pesquisa, extensão, gestão e inovação descritas no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) 2016-2025 e no Projeto Pedagógico Institucional (PPI). O titular da Proeg destaca ainda o trabalho coletivo de gestores, docentes, técnico-administrativos em Educação e estudantes, e destes com a sociedade e as instituições parceiras.

“A implantação de temas e objetivos estratégicos de cada vetor institucional, revisado e atualizado no PDI, foram os instrumentos balizadores das mudanças organizacionais para os sucessos nas unidades acadêmicas e seus respectivos cursos de graduação e pós-graduação, com a elevação dos indicadores de qualidade, notadamente nos conceitos dos cursos de graduação, o que mostra o ótimo desempenho institucional da Ufam no último triênio, rompendo uma série histórica de notas três no IGC. A centenária Ufam, em 2019, além da nota quatro no IGC, obteve nota quatro no recredenciamento institucional nas modalidades de Ensino Presencial e Educação a Distância se consolidando como uma instituição de ensino superior de qualidade. Estamos conectados com o futuro, conectados com a qualidade”, destaca.

“É com alegria que a Propesp recebe esse resultado, porque, pela primeira vez, saímos de três para quatro. Certamente, os nossos cursos de pós-graduação melhoraram também, inclusive pelo maior envolvimento dos alunos de graduação nos projetos de iniciação científica. Eu mesma sou de um curso que saiu da nota três, por conta de um trabalho muito intenso, e obteve um quatro. Esses esforços vêm somar ao objetivo institucional, que é melhorar a cada dia”, comemora a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, professora Selma Baçal. “Com esta nota quatro no IGC, a Ufam poderá oferecer, em todas as modalidades de ensino, educação a distância, por exemplo, em mestrado e doutorado”, adianta a gestora.

Como é calculado o IGC?

O cálculo é realizado anualmente e leva em conta os seguintes aspectos: 1) média do Conceito Preliminar de Curso (CPCs) do último triênio, relativos aos cursos avaliados da instituição, ponderada pelo número de matrículas em cada um dos cursos computados; 2) média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu atribuídos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) na última avaliação trienal disponível, convertida para escala compatível e ponderada pelo número de matrículas em cada um dos programas de pós-graduação correspondentes; 3) distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino, graduação ou pós-graduação stricto sensu, excluindo as informações do item II para as instituições que não oferecerem pós-graduação stricto sensu.

O Índice considera o CPC dos cursos avaliados no ano do cálculo e nos dois anos anteriores, sua divulgação refere-se sempre a um triênio, compreendendo todas as áreas avaliadas previstas no Ciclo Avaliativo do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). O procurador institucional em exercício, servidor Icoracy Coutinho da Costa, explica que a nota no IGC reflete o trabalho conjunto da gestão.

“Trabalhamos em parceria com as coordenações de cursos visando ao bom desempenho no Enade, além de fazer as melhorias solicitadas pelo MEC quanto à qualificação do corpo docente e à infraestrutura”, explica.  

O presidente da Comissão Própria de Avaliação (CPA), professor Thomaz Abdalla, atribui a nota ao empenho nos diversos processos de avaliação feito na Instituição. "Estamos felizes com esta nota inédita para a Ufam. Atualmente, trabalhamos para alcançar a proposta da missão institucional com enfoque nas demandas das autoavaliações. Até 31 de dezembro, a Avaliação das Instituições de Educação Superior (Avalies) está disponível no e-campus para a comunidade acadêmica”, conclui o professor.

registrado em:
Fim do conteúdo da página