Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias Coronavírus > Estudantes ajudam no socorro aos órfãos da covid-19 em Manaus
Início do conteúdo da página

Estudantes ajudam no socorro aos órfãos da covid-19 em Manaus

Publicado: Quarta, 26 de Maio de 2021, 15h44 | Última atualização em Terça, 01 de Junho de 2021, 11h10 | Acessos: 969
 Por Sandra Siqueira
Equipe Ascom Ufam
 
 
Um dos principais impactos da covid-19 é o número elevado de crianças e adolescentes que perderam pelo menos um de seus pais. Além da perda emocional, eles muitas vezes perdem também o suporte financeiro da família. Para contribuir com a subsistência dos órfãos da covid, o Projeto Eu Amo Meu Próximo, que tem a participação de estudantes do curso de Administração da Ufam, oferece ajuda humanitária, com cestas básicas, todos os meses para as famílias vitimadas.
 
Segundo a idealizadora e coordenadora do projeto, Glauce Galúcio, a iniciativa surgiu em janeiro durante a segunda onda da doença na cidade. Com o grande número de vítimas, houve também o crescimento do número de crianças órfãs, o que levou Glauce a agir em favor delas. Por meio do Instituto de Pesquisa e Ensino para o Desenvolvimento Sustentável (Ipeds), o  Projeto Eu Amo Meu Próximo ganhou vida. "O Instituto Ipeds e seus voluntários se manifestaram em abraçar essa causa emergencial de socorro a essas crianças. Nosso objetivo é garantir a sobrevivência dessas crianças, principalmente alimentar, que é a maior necessidade hoje. Então, nós levamos leite, cestas básicas, produtos de higiene e fraldas a essas crianças", conta.
 
Com a ajuda de voluntários de diversas áreas, como da psicologia, a ação oferece também atendimento psicológico para que as crianças possam lidar com a perda de seus pais. "Eles se candidatam como voluntários para participar desse projeto e recebem, ao final, uma declaração de atividades complementares", informa Glauce sobre os voluntários estudantes. "A ajuda dos universitários tem sido de fundamental importância. Eles nos ajudam a fazer as cestas básicas e fazem a entrega na casa onde as crianças estão residindo", detalha.
 
Atualmente, o projeto atende 160 crianças e adolescentes, mas este número está continuamente em atualização. De acordo com a coordenadora, há uma semana eram 148. "Esta estatística muda diariamente, porque, infelizmente, o número de crianças atendidas aumenta todos os dias", explica Glauce. Por isso, a contribuição tanto de doadores quanto de voluntários é tão necessária. 
 
João Barroncas (21) e Beatriz Sena (20) são estudantes do 5° período de Administração e participam do Eu Amo Meu Próximo. Além de ajudar as crianças e adolescentes atendidos, eles têm a oportunidade de pôr em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula. "Está sendo uma experiência bem satisfatória ao saber que estou contribuindo para ajudar crianças que estão precisando de apoio. Sabendo que o pouco que eu faço, mesmo não sendo financeiramente, já contribui muito para as crianças. Inclusive achei uma experiência tão interessante, que convidei minha namorada para ajudar no projeto", conta João. "Eu estou aproveitando para aprender com a organização das cestas e observando a logística feita pelo instituto que está ligado com o meu curso", comenta.
 
Os estudantes conheceram o projeto por meio do professor Ricardo Nogueira, que incentivou seus alunos a colaborarem com a iniciativa, e conseguiu a adesão de dez deles. "Eu nunca tinha participado de nenhuma ação assim. Quis participar justo para tentar ajudar com alguma coisa nesse período de pandemia, acho que quando não acontece com a gente não temos muita noção de como é a vida de alguém que realmente foi afetado pela pandemia como essas crianças que o projeto ajuda", revela Beatriz.
 
Os voluntários fazem parte de um grupo de WhatsApp, no qual a coordenadora informa os dias e horários em que precisará de auxílio, aqueles que puderem ir confirmam a presença. Mesmo sem ter contato direto com as crianças, os jovens vivenciam experiências marcantes para toda a vida. "Uma coisa que me marcou muito foi que, enquanto a gente estava arrumando as cestas, a Glauce recebeu uma ligação dizendo que duas mães tinham falecido no hospital e ela já foi lá levar leite e roupa para as crianças", lembra Beatriz.  "Fiquei meio em choque na hora. Essa experiência me fez realmente abrir os olhos para tudo isso que a gente está passando com essa pandemia que antes não era tão presente assim para mim, porque tive a sorte de não ter perdido ninguém próximo", completa. 
 
Para colaborar com o projeto Eu Amo Meu Próximo, com doações de produtos ou sendo voluntário, basta entrar em contato com a coordenadora no número (92) 99248 - 0221 e se colocar à disposição. "É importante incentivar alunos de outros cursos como Psicologia, Serviço Social, Pedagogia, entre outros, a participarem do projeto", declara Glauce. 
 
Doações em valores podem ser feitas por pix ou transferência bancária. Os dados são disponíveis abaixo:
 
Instituto de Pesquisa e Ensino para o Desenvolvimento Sustentável
Pix- CNPJ 41.640.946/0001-08

Banco: 290 - PagSeguro Internet S.A.
Agência: 0001
Número da conta: 13055160-9
Tipo: Conta de pagamento
http://bit.ly/ipedsparadoar
 
 
registrado em:
Fim do conteúdo da página