Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Reitor visita RNP para buscar melhorias na internet do Amazonas e POP-AM terá capacidade quase sete vezes maior que a atual

Publicado: Quinta, 11 de Julho de 2019, 15h38 | Última atualização em Sexta, 12 de Julho de 2019, 08h36 | Acessos: 670

Por Cristiane Souza
Equipe Ascom Ufam
 

Banda de conexão com a Internet quase sete vezes mais rápido que a atual significa velocidade e qualidade para a transferência de dados na rede mundial de computadores. Essa será a realidade das instituições participantes da Rede POP-AM, um ponto de presença da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) no estado. O POP é gerido pela Universidade Federal do Amazonas e trabalha hoje com a banda de 6 Gigabits, mas, em breve, terá a banda de 40GB.

De acordo com o assessor especial da Reitoria, professor Edmilson Bruno da Silveira, o aumento da banda distribuída para o POP-AM em mais de 500% é o resultado de tratativas intensificadas junto ao RNP, Organização Social (OS) vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). A Rede ajuda a desenvolver projetos e apoia a pesquisa de tecnologias de informação e comunicação no País.                        Visite a página da RNP.

Tratativas

“Ao todo, houve três reuniões na sede da RNP. Na primeira, a professora Tanara Lauschner, diretora do Instituto de Computação da Ufam, participou; na segunda, eu fui sozinho; e, na terceira, o reitor, professor Sylvio Puga, esteve presente. Todos os encontros foram em Brasília”, recorda o professor Bruno da Silveira, enfatizando ainda que foi criada uma ponte com o professor Edson Nascimento Júnior, atual coordenador do POP-AM.

“Nosso ponto de presença recebe o sinal e redistribui para a rede metropolitana há uns 12 ou 15 anos. Esse sinal é dividido com outras organizações aqui localizadas”, conta o assessor da Reitoria. “Até 2017, apenas 2GB eram enviados para essa rede, sendo 1GB pelo Linhão de Tucuruí e outro 1GB por Fibra, pela BR 319. Acontece que era pouco espaço para usar, ou seja, insuficiente para a Ufam e as demais instituições”, completa ele.

Depois de realizada a primeira reunião na sede da RNP, em setembro de 2017, houve ampliação da banda, passando de 2GB para o total de 6GB. Nessa nova configuração, 3GB eram enviados via Linhão de Tucuruí e mais 3GB pela BR 319. “Digamos que nós tenhamos conseguido ‘resolver’ Manaus, mas o interior continuou desassistido em relação à Internet”, analisa o professor.

Novidades

A Ufam insistiu no pedido. “Vieram a segunda e a terceira reuniões na RNP, nas quais a realidade local foi apresentada e a OS apresentou propostas para serem aplicadas em prazo célere para solucionar, por exemplo, os problemas dos campi da Ufam instalados nos municípios de Benjamin Constant, Coari, Humaitá, Itacoatiara e Parintins”, afirma o docente.

Depois do terceiro encontro, veio a decisão de ofertar mais banda para os campi, por exemplo, que saem de 10MB para 100MB, o que deve representar melhorias sensíveis na velocidade de conexão nessas localidades. Além disso, o já comemorado aumento de banda para o POP-AM, com salto de 6GB para 40GB. As mudanças são esperadas para um prazo curto, embora uma data não tenha sido definida pela equipe.

“Até o fim de agosto, faremos uma reunião com os parceiros, evento que será coordenado pelo POP-AM com o apoio da Administração Superior”, informa o assessor da Reitoria, ao lembrar que, tão logo seja liberado o aumento de banda para a rede metropolitana, ela deverá ser justificada pelas organizações participantes, cuja comunicação terá melhor desempenho. Por exemplo, na nova configuração, o envio de um arquivo poderá ser dez vezes mais rápido. Outro ponto citado pelo docente é quanto à revitalização da infraestrutura de Internet para a Ufam, trabalho esse realizado pelo Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC).

registrado em:
Fim do conteúdo da página