Debate sobre novas abordagens nos estudos migratórios ocorre nesta quinta, 2

O Museu Amazônico, em conjunto com o Núcleo de Estudos de Políticas Territoriais na Amazônia (NEPTA) e o Grupo de Estudos Migratórios na Amazônia (GEMA) relizam a Conferência intitulada "Novas Abordagens nos Estudos Migratórios: questões metodológicas". O evento ocorre nesta quinta-feira, 2 de fevereiro, às 9h, no auditório Rio Solimões do Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL), Setor Norte da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

A Conferência será ministrada pela professora Maria Catarina Zanini, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), e terá a participação do coordenador do Grupo GEMA, professor Sidney Antônio da Silva.

O tema da mobilidade e dos deslocamentos humanos são dinâmicas constantes nas histórias das sociedades, mas agora eles serão tomados de uma perspectiva difereciada.  O que mais tem chamado atenção no cenário contemporâneo são a forma e o impacto promovidos pelo encontro entre diversidades - especialmente quando se trata de processos de migração e de refúgio.

Nesse sentido, a Antropologia pode contribuir para uma compreensão mais abrangente do fenômeno, seja do ponto de vista das metodologias empregadas, seja no tocante aos esforços para promover a compreensão desses acontecimentos. Com as atuais formas de comunicação, de transporte e de trânsito entre seres, objetos e informações, os processos migratórios ganham novas complexidades e exigem também abordagens diferenciadas e interdisciplinares.

Como circulação de mundos em atrito, o que se pode observar é que metodologias que privilegiem uma compreensão dos indivíduos em deslocamento, suas historicidades, subjetividades e processos de identificação são extremamente eficientes. Como são muitas as narrativas presentes nesse processo,  também são variadas as ferramentas teórico-metodológicas disponíveis para melhor  compreender  esse importante processo social e individual ao mesmo tempo.

 

Maria Catarina Chitolina Zanini

Possui graduação em Curso de Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS (1987), mestrado em Antropologia pela Universidade de Brasília- UnB (1997), doutorado em Ciência Social (Antropologia Social) pela Universidade de São Paulo- USP (2002) e Pós-doutorado pelo Museu Nacional (MN-UFRJ) (2008). Atualmente é professora associada da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), vinculada aos Programas de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Programa de Pós-Graduação em História. Coordenadora do NECON/UFSM (Núcleo de Estudos Contemporâneos). Membro do Comitê de Iniciação Científica e de Inovação Tecnológica da UFSM. . Tem experiência na área de Antropologia, trabalhando principalmente com as seguintes temáticas: migrações, teoria antropológica, campesinato e etnicidade. Pesquisadora Associada do NIEM-UFRJ Núcleo de Estudos Migratórios e ao Instituto Histórico de São Leopoldo. Pesquisadora PQ 2/CNPq.

 

SERVIÇO

TEMA: NOVAS ABORDAGENS NOS ESTUDOS MIGRATÓRIOS: QUESTÕES METODOLÓGICAS

DATA: 2 de fevereiro de 2017

HORA: 9h

LOCAL: Auditório Rio Solimões – ICHL, setor Norte, Ufam