ARII divulga datas de entrega dos vouchers para curso de Idiomas a Distância

A Assessoria de Relações Internacionais e Interinstitucionais da UFAM (ARII) informa aos candidatos selecionados por meio do Edital nº 006/2016 para o Programa de Bolsas de Idiomas a Distância Santander (inglês e espanhol) que a entrega dos códigos de acesso será feita nos dias 22 e 23 de novembro na Sala de Treinamento da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp), localizada no prédio da Reitoria.

No dia 22, a entrega será das 10h às 12h e das 13h às 18h; no dia 23, a entrega tem início às 8h, com intervalo para o almoço das 12h às 13h, seguindo até às 18h.  A entrega será feita mediante documento de identidade (RG, carteira de motorista, passaporte, carteira profissional ou carteira de trabalho) ou por procuração reconhecida em cartório.

Após o recebimento do código de acesso, os alunos bolsistas têm até o dia 1º de janeiro de 2017 para iniciar o curso. De acordo com o edital, os vouchers são pessoais e intransferíveis (o uso irregular acarretará em cancelamento de acesso ao curso) e, mesmo em caso de perda ou roubo, não serão substituídos. Os candidatos que não obtiverem os vouchers nas datas estabelecidas devem procurar a ARII (1º piso do prédio da Reitoria) até o dia 29 de dezembro para receberem o código de acesso. Os professores e alunos das Unidades Acadêmicas do Interior receberão seus vouchers na coordenação acadêmica a partir do dia 28 de novembro de 2016.

O prazo máximo para término do curso é até 31 de dezembro de 2017.

Informações por meio do telefone 3305-1753 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Sobre o Programa

O Programa de Bolsas de Ensino a Distância dos idiomas inglês e espanhol é executado no escopo do Programa Amazônia 2020, em ambiente virtual por meio de endereço eletrônico, com acesso mediante login e senha, facultando aos candidatos receberem certificado ao final do curso.

 

UFAM, eu cuido - Oficina de transfer utiliza sobras de MDF

Turma da Oficina de Transfer para MDF. Participantes vão esperar 12 horas para ver resultado da produçãoTurma da Oficina de Transfer para MDF. Participantes vão esperar 12 horas para ver resultado da produçãoMais uma atividade da Campanha institucional “Ufam, eu cuido”, a Oficina de transfer para sobras de MDF (chapa de fibra de madeira), ocorreu na manhã desta quinta-feira, 10, na Sala Andiroba do Centro de Ciências do Ambiente (CCA).

A coordenadora da Oficina, Rita Morgana de Melo, explica como a técnica funciona.  “O transfer para o MDF consiste na utilização de uma foto da família; uma paisagem da qual você tenha gostado durante uma viagem ou uma imagem da Internet que você tenha achado bem legal. É importante ressaltar que a imagem deve ser impressa numa impressora a laser, porque em outra não surte o mesmo efeito para a transferência. A partir daí, com uma misturinha que ensinamos aqui, essa imagem é passada para o MDF. Só depois de 12 horas podemos ver o resultado, que fica parecido com uma pintura em madeira. Há no mercado um produto específico para essa técnica, mas como é caro, ensino aqui como fazer de uma forma simples e barata, mas que atinge o mesmo efeito”, explica a instrutora.

Diversificação de produção

A Oficina reuniu 17 participantes, entre eles Irenilze Oliveira da Silva, que  trabalha com a produção de sabonete vegetal e resolveu diversificar a produtividade. “Já utilizo produtos regionais como o cupuaçu, a andiroba e o maracujá nos sabonetes que faço, mas aprender algo novo é sempre importante. Ontem aprendi a transformar caixas de leite em bolsas e hoje aprendo a transformar restos em obras de arte de forma gratuita. Isso é muito bom”, comemorou a participante.

Atividade acadêmica e novos conhecimentos

Aluno do oitavo período do curso de Engenharia Civil, Gabriel Gomes Gonçalves, soube da Oficina de transfer para o MDF durante uma aula da disciplina de Gerenciamento de resíduos sólidos. “Nossa professora indicou esses cursos e passou um trabalho sobre o assunto. Eu nunca havia feito nenhum curso de artesanato, mas estou gostando de aprender tudo o que estão ensinando aqui”, declarou o acadêmico.

 "É uma atividade que envolve paciência e carinho. Minha primeira produção será um presente para a minha mãe", afirma Thalia Sandy, após dominar a técnica. "É uma atividade que envolve paciência e carinho. Minha primeira produção será um presente para a minha mãe", afirma Thalia Sandy, após dominar a técnica.Técnica para presentear amigos e familiares

Thalia Sandy dos Santos, do segundo período de Química, encontrou nas dicas da Oficina o caminho para presentear familiares e amigos com produções exclusivas. “É uma arte que exige muito carinho e paciência. Vou ter que esperar 12 horas até o produto secar para ver o trabalho concluído. Por isso, minha primeira obra de transfer para o MDF vou dar de presente para a minha mãe. Agora que já dominei a técnica, vou fazer sempre para presentear demais familiares e amigos”, afirmou a estudante.

Demais aplicações da técnica

Embora a Oficina seja para reutilizar sobras de MDF, Rita Morgana afirma que é possível aplicar as dicas ensinadas em pallets e demais artefatos de madeira contribuindo com o meio ambiente. “O interessante é que essa recuperação de madeira também pode ser feita com pallets ou com aqueles caixotes nos quais são colocadas frutas e verduras na feira e que os feirantes jogam fora. Tudo aquilo ali podemos lixar, pintar, recuperar e fazer algo novo, impedindo que volte como lixo para o meio ambiente”, frisou Morgana.

 

Secons divulga deliberações da reunião do Consepe

A Secretaria dos Conselhos Superiories (Secons) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) divulga as decisões (em anexo) dos processos julgados na última reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), realizada na última terça-feira (08).

 

PROFMAT divulga lista de notas individuais no exame de acesso

O Exame Nacional de Acesso ao Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT), divulga  a lista com as notas individuais do Exame Nacional de Acesso 2017.
Conforme o edital N°08/2016 do PROFMAT, o resultado da revisão de nota e o resultado final ocorrem até o dia 16 de novembro, já o período de matrícula será de 17 de novembro à 20 de janeiro de 2017.
Mais informações com o professor Disney Douglas, coordenador regional do PROFMAT. E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . Secretaria de Pós-Graduação do Departamento de Matemática: (92) 3305-4604.
 
PROFMAT
O PROFMAT é um curso semipresencial, com oferta nacional, realizado por uma rede de Instituições de Ensino Superior, no contexto da Universidade Aberta do Brasil e coordenado pela Sociedade Brasileira de Matemática. O Programa opera em ampla escala, com o objetivo de ter impacto substantivo na formação matemática do professor em todo o território nacional.
O curso visa atender professores de Matemática em exercício no ensino básico, especialmente na escola pública, que busquem aprimoramento em sua formação profissional, com ênfase no domínio aprofundado de conteúdo matemático relevante para sua atuação docente.

Destinação dos resíduos de saúde é tema de palestra da campanha “Ufam, eu cuido!”

Ocorreu na manhã desta quarta-feira (09) no auditório Copaíba do Centro de Ciências do Ambiente (CCA), localizado no setor Sul do Campus a palestra “Ações da UFAM quanto ao gerenciamento de resíduos de saúde”, parte da campanha institucional “Ufam, eu cuido!”.

Ministrada pela técnica Marilena Vasques Cabus, a palestra falou sobre o plano de gerenciamento de resíduos efetuado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) no Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), desde o diagnóstico das necessidades de cada tipo de resíduo,de manejo, até os procedimentos adotados para o grupo de resíduos gerados.

Segundo a técnica, a questão do tratamento dado a resíduos de saúde é de extrema importância social.

“A comunidade pode ajudar na divulgação e nas consultas públicas que sempre acontecem. É importante que eles percebam a importância do tema e participem, para que através dessa força, possamos construir melhores políticas públicas. Há muitas coisas que podemos pensar juntos para minimizar ainda mais o impacto desses resíduos”, afirmou.

Para a farmacêutica Edna Márcia, aluna do Programa de Pós-Graduação em Inovação Farmacêutica (PPGIF), a palestra chamou atenção para temas que conhecia apenas na teoria.

“É muito enriquecedor ver uma pessoa com experiência, mostrando a sua vivência na área, pois como farmacêutica, trabalhando em hospitais, posso adotar vários procedimentos descritos. Gerenciamento de resíduos de saúde é algo que muitas pessoas desconhecem e é algo que impacta o meio ambiente em que vivemos. Então, devemos passar para outras pessoas a importância dessas informações”, finalizou.

O quarto eixo da campanha “Ufam, eu cuido!” segue até a sexta-feira (11), confira a programação disponível no site.

 

Eletrônica molecular e polímeros condutores estão entre os temas abordados na Conferência Internacional de Física

Evento é voltado a abordar a Propriedade dos materiais, tanto do ponto de vista experimental quanto do teórico.

Coordenadores do evento com todos os palestrantes convidadosCoordenadores do evento com todos os palestrantes convidadosRealizado pelo Programa de Pós-graduação em Física (PPGFIS) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), a Conferência Internacional aborda os mais recentes avanços em pesquisas teóricas e experimentais da Física, englobando assuntos como polímeros, celulose, difração de raios-X, interações entre moléculas e dinâmica molecular.

O coordenador-geral do evento, professor Puspitapallab Chaudhuri, demonstra a importância do evento científico para o avanço da ciência. “Qualquer material, seja líquido, sólido ou gás, é macroscópico, que é o que vemos. Mas, por trás disso, há um mundo microscópico, feito de moléculas, átomos e elétrons. O que vemos é o resultado da interação entre esses elementos. Enquanto nós, teóricos, fazemos essa parte microscópica, elaborando modelos matemáticos do mundo microscópico, os experimentais veem o mundo macroscópico e entram no mundo microscópico para ver o há lá dentro. Em conferências como esta avaliamos se nosso trabalho teórico coincide com os resultados dos experimentais” explica o pesquisador.

Moléculas orgânicas como componente elétrico

Um dos avanços da Física apontados pelo coordenador-geral é no campo da eletrônica molecular. “Com a demanda do mercado de diminuir cada vez mais o tamanho dos computadores e celulares, a eletrônica molecular é o assunto do momento. Só que esses equipamentos usam chip de silício que, do ponto de vista microscópico, tem um limite e, quando chega a esse limite, não tem como diminuir mais. Então, os pesquisadores buscam nas moléculas orgânicas, com propriedade de condução elétrica, a solução para essa demanda”, destaca o professor Puspitapallab Chaudhuri.

Polímeros condutores e nanocelulose

Coordenadores do evento, professores Puspitapallab Chaudhuri e Sergio MichielonCoordenadores do evento, professores Puspitapallab Chaudhuri e Sergio MichielonO vice-coordenador da conferência Internacional de Física, professor Sergio Michielon, indica os experimentos sobre polímeros condutores e nanocelulose como outras contribuições da Física que serão abordadas durante o encontro científico. “Todos sabem que os polímeros, como a borracha e o plástico, são normalmente isolantes térmicos e elétricos. Só que hoje é possível fabricar polímeros que são condutores ou semicondutores, ou seja, podemos fazer dispositivos eletroeletrônicos a partir de cadeias poliméricas, que são mais baratas e fáceis de produzir. Outro exemplo é a nanocelulose. Inclusive o nosso primeiro palestrante, o professor Elson Longo, aborda isso muito bem quando propõe uma nova estrutura formada de tungstênio e prata capaz de desvendar os mecanismos de propriedades bactericidas e de sensores de ozônio, ou seja, ele fez um nanomaterial que pode ser usado como bactericida ou detector de gases” detalhou o professor.

Para o mestrando Douglas de Souza Gonçalves, a conferência é uma oportunidade para acrescentar informações à dissertação dele sobre aerossóis atmosféricos orgânicos. “Meu trabalho é sobre partículas que se encontram na atmosfera e interagem com o clima e esse evento traz o doutor Kaline Coutinho, da Universidade de São Paulo para ministrar o curso sobre modelagem molecular que irá contribuir muito com minha pesquisa”.

Intercâmbio científico

Mestrando do PPGFIS, Douglas Gonçalves, busca no evento mais conhecimentos para inserir na dissertação sobre partículas que se encontram na atmosfera e interagem com o climaMestrando do PPGFIS, Douglas Gonçalves, busca no evento mais conhecimentos para inserir na dissertação sobre partículas que se encontram na atmosfera e interagem com o climaO diretor do Instituto de Ciências Exatas, professor Cícero Mota, afirma que a atividade é mais uma oportunidade para apresentar opções profissionais para os alunos da área.  “Eventos assim são muito interessantes para a formação de nossos alunos porque a Ciência dos Materiais - e a Física é relacionada à Ciência dos Materiais - tem um potencial de aplicação muito expressivo. Nesse tipo de evento é possível levar o intercâmbio científico para além do ambiente universitário. Com a aplicação nas empresas dos conhecimentos produzidos na Universidade, sobre novos materiais, por exemplo, é possível desenvolver o setor industrial. Isso, além de melhorar a Economia, oferece mais opções profissionais para nossos alunos, além das já tradicionais como o Ensino”, declarou o diretor.

A Conferência Internacional de Física ocorre até a próxima sexta-feira,11, no auditório Rio Jutaí da Faculdade de Tecnologia da UFAM –Setor Norte do Campus Universitário Arthur Virgílio Filho.

Conferencista da abertura, o doutor Elson Longo, da Universidade Federal de São Carlos, apresentou uma nova estrutura formada de tungstênio e prata capaz de desvendar  mecanismos de propriedades bactericidas Conferencista da abertura, o doutor Elson Longo, da Universidade Federal de São Carlos, apresentou uma nova estrutura formada de tungstênio e prata capaz de desvendar mecanismos de propriedades bactericidas Programação

Entre os palestrantes convidados estão a professora da Universidade de São Paulo (USP), doutora Yvonne Mascarenhas, que no evento aborda o tema “A difusão científica para uma sociedade consciente” e o professor da University of Northeastern/Argentina, doutor Patricio Provasi, que apresentará a palestra “The calculation of the NMR Spin Coupling constant: broad overview of its basics aspects”. Além das palestras, o evento terá minicursos e uma sessão de apresentação de trabalhos científicos desenvolvidos pelos participantes. Acesse a programação completa do evento no site do MP2.

 

 

 

 

 

 

Fórum Amazonense de Combate aos impactos do uso de agrotóxicos realiza reunião na UFAM

O Fórum reuniu-se nesta terça-feira (8) para finalizar a programação da Semana Nacional de Combate aos Agrotóxicos que ocorre de 28 de novembro a 3 de dezembro.

Temas como o impacto dos agrotóxicos na saúde humana, agroecologia como alternativa viável, produção orgânica no Estado do Amazonas e alimentação saudável serão discutidos durante o evento.

De acordo com o professor José Ferreira da Silva, representante da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) no Fórum, o evento se propõe a discutir questões e orientar toda a cadeia de produtores, professores e alunos que se interessam pelo tema. “Através das atividades e palestras, a Semana vai gerar uma visão mais ampla para a sociedade amazonense dos impactos do uso de agrotóxicos nos alimentos que chegam até eles”, afirmou.

Para a coordenadora do Fórum, promotora de Justiça Aurely Freitas, a parceria com a Ufam é fundamental para gerar conscientização sobre os impactos do uso de agrotóxicos para o consumidor, a saúde humana e o meio ambiente.

“É daqui que vão sair os futuros agrônomos, que vão trabalhar diretamente com isso. Então essa discussão tem que estar dentro da academia, esse tema tem que ser discutido com os alunos dentro da Universidade, por isso é muito importante a participação da Ufam no Fórum”, afirmou a promotora.

Um dos objetivos do evento é estimular o uso de técnicas alternativas ao agrotóxico, como a agricultura orgânica a agroecologia. “Queremos atuar nessas duas áreas, a da utilização correta dos químicos por agricultores que porventura escolham usar esse produto e a do incentivo àqueles agricultores que não queiram usar”, enfatizou a coordenadora. 

Participaram da reunião alunos de agronomia e professores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), bem como os representantes das seguintes instituições: Ministério Público do Amazonas (MPAM), Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT), Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Universidade Estadual do Amazonas (UEA), Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM), Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST), Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), REDE MANIVA, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA), Museu da Amazônia (MUSA) e a Associação dos Produtores Orgânicos no Estado do Amazonas (APOAM). 

Movimento “Mobiliza PET” se reúne com reitor em exercício

Na tarde desta segunda-feira, dia 7, o reitor em exercício da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), professor Hedinaldo Narciso Lima, se reuniu com coordenadores e tutorados dos Programas de Educação Tutorial (PET) da UFAM. A reunião faz parte do movimento nacional “Mobiliza PET”, já em sua quarta edição, cujo objetivo é promover a consolidação da Educação Tutorial no âmbito da Educação Superior.

O professor Hedinaldo Lima manifestou o suporte da Universidade para a ampliação e o fortalecimento dos PETs. “Nos reunimos hoje para mostrar o apoio da reitoria ao programa, em função da importância que ele tem na formação dos nossos alunos, e como essa proposta é fundamental no processo de construção de conhecimento”, declarou.  “O Mobiliza PET precisa crescer não apenas internamente, mas a nível nacional, para que esse projeto seja ampliado e fortalecido dentro e fora da Universidade. A reitoria preparará um documento, que será levado para Brasília, ratificando a importância dada ao PET e contribuindo para mobilização nacional”, afirmou.

Entre os assuntos discutidos na reunião, estava o papel do PET nas Instituições de Ensino Superior (IES); rumos e desafios dos PETs frente às mudanças político-econômicas pelas quais o Brasil vem passando; e estratégias de mobilização e diálogo com órgãos ligados à educação no país.

A UFAM possui, atualmente, 16 Programas de Educação Tutorial, agregados em: Administração, Agronomia, Biologia, Ciências da Computação, Comunicação Social, Conexões Urbano, Design, Engenharia, Engenharia Florestal, Engenharia de Pesca, Farmácia, Física, Geologia, Indígena, Matemática e Medicina. Dentro do movimento “Mobiliza”, unem-se ao PET Biologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM).

UFAM, eu cuido – Oficina de mandalas transforma CD´s velhos em peças decorativas

Participantes da Oficina com as instrutorasParticipantes da Oficina com as instrutorasCoordenada pelo eixo Resíduos sólidos da Campanha institucional “UFAM, eu cuido”, a Oficina de mandalas é voltada a dar uma destinação sustentável e artística a CD´s que seriam descartados.

Cd´s velhos, miçangas e colas em alto relevo foi tudo o que a turma da oficina de mandalas precisou na manhã desta terça-feira, 08, pra deixar fluir a criatividade.

A Acadêmica de Ciências Biológicas da Uninorte, Adela Adriely Barbosa, ficou sabendo da oficina através de um amigo e resolveu participar. “Na minha faculdade faço parte de um projeto que reutiliza resíduos sólidos e vim aqui para aprender mais e passar adiante os conhecimentos adquiridos aqui”, destacou a participante da oficina.

Cuidado com o meio ambiente

A coordenadora da oficina, Rita Morgana de Melo, afirma que oficinas dessa natureza evidenciam o cuidado com o meio ambiente. “Quando descartado, o CD demora muito para se decompor, então, investir na reutilização pode colaborar muito com o meio ambiente. Ao invés de usar vidro para fazer as mandalas, podemos usar CD´s. Com as dicas que eu,a Laena e a Maria Luiza passamos na oficina, o CD fica um material similar ao vidro para a luz atravessar a mandala”, afirma a instrutora da oficina.

Próximas oficinasA coordenadora da oficina, Rita Morgana de MeloA coordenadora da oficina, Rita Morgana de Melo

Ela aproveitou para anunciar as oficinas que serão ministradas até a próxima sexta-feira (11). Depois de transformar óleo de cozinha usado em sabão, na oficina de ontem, 07, e CD´S velhos em mandalas, na oficina de hoje, 08, amanhã é dia de transformarmos caixas de leite em bolsas. Na quinta, a oficina será de transfer para o MDF e, na sexta, recuperaremos garrafas de vinho.

 A Oficina de mandalas foi realizada na sala Copaíba do Centro de Ciências do Ambiente (CCA) – Setor Sul do Campus Universitário Arthur Virgílio Filho.

 

 

 

Eixo Resíduos Sólidos inicia semana de conscientização na Ufam

Tema faz parte do quarto eixo da campanha “Ufam, eu cuido” e segue até sexta-feira (11), com palestras e oficinas voltadas para o tema do descarte correto de resíduos sólidos dentro do campus da Ufam.

A palestra “Ações da Ufam de Enquadramento para Implementação da Coleta Solidária”, parte da campanha institucional “Ufam, eu cuido!”, ocorreu na manhã desta segunda-feira (7) no auditório Copaíba, do Centro de Ciências do Ambiente (CCA), localizado no setor sul do Campus.

Durante a palestra a professora Karime Bentes mostrou os estudos e ações efetuadas pela Universidade para atender ao decreto lei 5940/2006 que diz respeito ao descarte e reaproveitamento de resíduos recicláveis.

Entre as ações estão a compra dos kits de lixeiras, capacitação dos mais de 600 auxiliares de serviços gerais terceirizados que trabalham na Ufam, instalação das lixeiras para coleta em cada unidade e o lançamento do edital de coleta solidária para o recolhimento desses resíduos.

De acordo com a professora, o cuidado com resíduos sólidos é uma questão interdisciplinar que envolve toda a comunidade acadêmica. “Enquanto Universidade produzimos ciência para solução de problemas. Então, além da coleta, também devemos pensar em novos caminhos para minimizar o impacto desses resíduos, para obtermos soluções que vão além do reuso desses materiais”, afirmou.

A professora mostrou, também, como deve ser feito o descarte de resíduos comuns, como papel, plástico e papelão, e falou sobre o trabalho feito em parceria com as associações de catadores para a destinação desse material.

Segundo a aluna Suzane Maria, do sexto período do curso de Contabilidade, da Faculdade de Ciências Sociais (FES), o tema da palestra é atual e pertinente. “Esse tema é algo que eu gosto e acho importante para a minha formação pensar em soluções para essas questões ambientais. Fico feliz que a Universidade tenha tomado essa atitude e acho que todos nós podemos ajudar, utilizando as lixeiras corretamente e conscientizando as pessoas ao seu redor, porque o descarte correto é um problema de todos”, finalizou. 

Durante a manhã desta segunda-feira também foi realizada a oficina de produção de sabão a partir de óleo de fritura, ministrada pela artesã Morgana Melo e mediada pela professora Vanuza Oliveira. 

Confira a programação de atividades no site da campanha


Notícia relacionada:

Ufam habilita entidades de coleta seletiva para recepção de resíduos sólidos


 

 

CCA da UFAM abriga Curso de Especialização em Policiamento Ambiental

O Centro de Ciências do Ambiente da UFAM (CCA) abrigou nesta sexta-feira, dia 4, parte do Curso de Especialização em Policiamento Ambiental 2016. O professor Henrique Pereira, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade da UFAM, falou sobre a Política Nacional de Meio Ambiente. “Trata-se de uma parceria com o Batalhão Ambiental. Eles nos procuraram e nós indicamos alguns instrutores e devemos abrigar outros módulos”, explicou Henrique.

O objetivo do curso é capacitar e qualificar os servidores públicos estaduais militares e civis da Polícia Militar e do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM). “As questões ambientais exigem conhecimento técnico mais apurado. Pescado irregular, caça ilegal, transporte de madeira sem documento e exploração mineral são comuns. Nós precisamos elevar o nível do batalhão sem esquecer que somos policiais”, afirmou o Tenente Renan Libório, chefe da Seção de capacitação e operações do Batalhão Ambiental da Polícia Militar.

O comandante do Batalhão Ambiental da Polícia Militar, major Renato Schmitz falou da necessidade do curso, uma vez que último curso “remonta um certo tempo”. “A falta de conhecimento específico da legislação faz com que crimes passem impunes. Vamos anular essa ausência da capacitação formal e habilitar o corpo de policiais para que no próximo curso nós sejamos os instrutores”, explicou.

O curso de especialização tem carga de 530 horas e deve capacitar, a princípio, 30 militares, desde soldado até comandante. A ideia é formar monitores para os próximos treinamentos. Um deles já está previsto para o primeiro semestre de 2017.

Além disso, Libório afirma que o batalhão pretende estreitar os laços com os parceiros. “Policiamento ambiental não se faz só. Principalmente no Amazonas que tem extensões continentais. Já fizemos contato com a Marinha, Ipaam, Polícia Civil e Delegacia do Meio Ambiente para organizar os procedimentos”.

Equipe da UFAM conquista medalha de prata em Boston

O projeto premiado “Hydrargyrum: Um método inovador para biorremediar Mercúrio” é um melhoramento das duas fases da pesquisa apresentadas nos anos de 2014 e abril de 2016. 

 

Oito alunos da UFAM, dois da UEA, dois professores de Biotecnologia e uma técnica de laboratório da UFAM participaram da Competição Internacional de Biologia Sintética (International Genetically Engineered Machine Competition  - iGEM), que ocorreu em Boston entre os dias 27 e 31 de outubro. Confira os membros da equipe neste link: 2016.igem.org/Team:UFAM-UEA_Brazil

É a terceira vez que a equipe coordenada pelos professores Spartaco Astolfi e Carlos Gustavo Nunes participa da fase final da competição. Em 2016 o iGEM reuniu 270 equipes do mundo inteiro e o time do Amazonas conquistou a medalha de prata com um melhoramento de duas fases da pesquisa apresentada nos anos de 2014 e abril de 2016.

Para o acadêmico Anderson Oliveira, que na equipe é o responsável por organizar as atividades sociais e pela modelagem matemática, comenta sobre a relevância do trabalho apresentado. “Neste ano apresentamos o que a competição chama de "prova de concepção”, quando mostra-se a efetividade do trabalho feito no laboratório. Em parceria com o professor Fernando Garcia, elaboramos o primeiro Biorreator para tratar meio contaminado com mercúrio, com 70% de retirada de Cloreto de Mercúrio. Levamos, também, cheios de orgulho, a cultura amazônica. Pintamos o rosto com padrões indígenas para a apresentação oral e demais dias, além de ornamentarmos nosso banner com artigos como chocalhos, arcos e flechas. Chamamos muita atenção para a problemática da nossa região - com suas 3.000 toneladas de mercúrio nos rios - e para o projeto, ficamos muito felizes com todos os elogios dos juízes e das outras equipes".

Projeto

O projeto premiado consiste na inclusão de circuitos genéticos em bactérias de laboratório (Escherichia coli) para que estas sejam capazes de sobreviver em meio de cultura contaminado com mercúrio e degradar esse metal pesado. A idéia é levar essa bactéria modificada a um biorreator que limpa mercúrio presente na água dos efluentes industriais. “Planeja-se que geneticamente modificada e no biorreator, a E. coli trate o mercúrio, que é um elemento químico altamente tóxico, e o transforma em gás, a forma não tóxica, deixando o efluente livre de mercúrio antes de ser despejado nos rios”, explica Anderson Oliveira.    

Segundo o professor Carlos Gustavo Nunes, o projeto premiado é uma importante contribuição da UFAM para a sociedade. “Esse projeto é mais uma resposta da comunidade científica e de nossas universidades às demandas da sociedade. Uma contribuição social que mostra a força dos estudantes. Nossos projetos têm inovação, alcance social,  prova de conceito e grandes perspectivas”, declarou o coordenador da equipe.

Premiações e Planos

Em 2013 a equipe obteve medalha de bronze, em 2014 ouro na competição iGEM e em abril de 2016, o prêmio Condor para grandes projetos na competiçãolatino americana TECNOX, na Argentina. Ainda este ano, em outubro, novamente no iGEM, a medalha de prata. 

Em 2017, a equipe pensa em investir em uma outra temática utilizando Organismos Geneticamente Modificados, mas criando uma linha de estudo paralela que mantenha o Hydrargyrum ativo.

Palestra "Crescimento populacional de animais" encerra atividades do Eixo "Animais no Campus" nesta quinta-feira (3)

Na tarde desta quinta-feira (3) foram encerradas as atividades do Eixo "Animais no Campus" da Campanha Institucional "Ufam, Eu Cuido!". As palestras ocorreram na Sala Copaíba, localizada no Centro de Ciências do Ambiente (CCA), setor Sul do Campus Universitário Arthur Virgílio Filho, em Manaus.
 
As atividades da tarde iniciaram com a palestra "Crescimento populacional de animais não domiciliados", realizada pelo médico veterinário e professor Daniel Alexander Pereira da Cunha, que teve o objetivo de apresentar e debater todos os aspectos sobre a consciência ambiental, relacionada a problemática animal.
 
Segundo Daniel Alexander, a sociedade possui atualmente uma consciência em relação a questão animal, muito maior do que alguns anos atrás. "Passamos a enxergar os animais com um olhar mais humanizado, de uma forma muito mais amiga e afetiva. Um  exemplo que eu costumo dar em minhas palestras é que antigamente o cão latia no quintal, passado alguns anos ele chegou a deitar na porta da cozinha, depois ele subiu ao sofá e nos dias de hoje ele dorme na cama e tem um travesseiro próprio", ressalta.
 
Com grande interação entre os presentes, o palestrante abordou temas controversos, como a eutanásia, podendo ser utilizada como último recurso como forma de controle em casos de riscos biológicos; o risco biológico que o crescimento dos animais não domiciliados em centros urbanos pode apresentar, colocando em risco a profilaxia de zoonoses ; além de formas de controles, como a castração e a vasectomia; e responsabilidade sócio ambiental, o resgate de um animal e a destinação dele a uma vida digna.
 
Educação
Médico veterinário Daniel Alexander Pereira da CunhaMédico veterinário Daniel Alexander Pereira da CunhaSegundo Daniel Alexander, a educação é o maior artifíco que a sociedade possui para realizar o controle populacional de animais. "A educação é o maior meio que temos hoje para determinar uma sociedade que saiba respeitar o direito de um animal e os direitos humanos. Precisamos ensinar as crianças a gostarem de animais e ensina-las também que "atirei o pau no gato", está errado", afirma.
 
Para a estudante Maruska Soares Affonso, do oitavo período do curso de Direito, a palestra a fez refletir não apenas quanto a questão social mas também para tentar solucionar o crescimento populacional de animais. "Foram apresentadas questões mais técnicas, modos de transmissões e os meios mais eficientes de previni-las, além de debater com os alunos questões mais controvérsas como a vaquejada. São questões que agregaram mais informações à palestra e conhecimento a todos os presentes", finaliza a discente.
 

Ufam, Eu Cuido!: palestra discute a preservação dos animais silvestres no Campus

Professor Marcelo Gordo palestrou sobre os animais silvestres do Campus e preservaçãoProfessor Marcelo Gordo palestrou sobre os animais silvestres do Campus e preservaçãoCom o objetivo de apresentar à comunidade acadêmica a diversidade faunística presente no campus universitário e os modos de preservá-la, foi realizada na manhã desta quinta-feira (3) uma palestra sobre Animais Silvestres com o professor do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), Marcelo Gordo. O encontro aconteceu na Sala Copaíba do Centro de Ciências do Ambiente (CCA), como parte da programação do eixo Animais no Campus da campanha institucional Ufam, Eu Cuido!.

Por meio da exibição de fotos das várias espécies que vivem no fragmento natural do Campus, o professor Marcelo Gordo apresentou os animais silvestres, seus hábitos e os maiores problemas para a preservação desta fauna. “Precisamos conhecer a alta diversidade nativa que temos para entender suas fragilidades e, consequentemente, saber o que fazer para preservar e diminuir o impacto que nossas ações têm sobre essas espécies”, afirmou o docente.

Desmatamento, atropelamentos e a presença de animais domésticos (cães e gatos), que atacam os silvestres, foram apontadas como as principais ameaças para as espécies nativas, que incluem tamanduás, sauins e preguiças, por exemplo. O docente também frisou que, caso um animal silvestre machucado seja encontrado, deve-se procurar a Divisão de Segurança da UFAM; o Laboratório de Zoologia do ICB; ou ainda o Projeto Sauim-de-Coleira, onde há pessoal habilitado para oferecer assistência.

Para a estudante do 2º período de Serviço Social, Suzane Mesquita, a temática dos animais silvestres é uma novidade. “Antes de participar da palestra, eu não sabia nada sobre a variedade animal que existe aqui. É bom ver o cuidado de quem trabalha na preservação da fauna do Campus, e saber o que nós, alunos, podemos fazer para ajudar nesse trabalho”, declarou a aluna.

“Estamos inseridos dentro de um ambiente de floresta, originalmente. Eu diria que isso é uma identidade da nossa Universidade, um diferencial. Este é um aspecto único que deve ser valorizado por nós, porque também faz parte do nosso patrimônio enquanto instituição”, ressaltou o professor Marcelo Gordo. “A UFAM não é apenas a estrutura física e o conhecimento, ela também incorpora a parte ambiental. Então, os animais vêm junto. É necessário conhecer o que temos nesse fragmento natural. Temos que pensar em que tipo de convivência nós queremos ter com a natureza aqui dentro”, finalizou.

Contatos

Divisão de Segurança: 99152-6980 / 99132-8271 / 3305-4210 

ICB: 3305-4231 / 98429-5666

 

Unificação da grafia Yẽgatu é definida durante Seminário em São Gabriel da Cachoeira

A edição do acordo ortográfico será publicada brevemente pela FOIRN em parceria com a LICEN/ICHL/UFAM

A criação da Comissão da Língua Yẽgatu para  ações de valorização e  fortalecimento da língua foi um dos resultados do SeminárioA criação da Comissão da Língua Yẽgatu para ações de valorização e fortalecimento da língua foi um dos resultados do Seminário

 

De 25 a 27 de outubro de 2016, a Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro/FOIRN, em parceria com o Curso de Licenciatura Indígena Políticas Educacionais e Desenvolvimento Sustentável/ICHL/UFAM, realizaram o Seminário sobre a grafia e valorização do Ygatu "Muatirisa Ygatu Resewa" na comunidade de Cucui, na região do alto rio Negro, São Gabriel da Cachoeira/AM.

O seminário contou com aproximadamente 100 pessoas entre professores, lideranças, estudantes, gestores de escolas e representantes das associações indígenas que abrangem as coordenadorias CAIARNX, CAIBRN e parte da CABC da FOIRN envolvendo os falantes da língua Ygatu, na sua maioria povo Baré, e Werekena e Baniwa do baixo Içana, com apoio dos professores linguistas Ana Paula Seiffert e Mateus Coimbra de Oliveira da LICEN/ICHL/UFAM.

 

Seminário fortalece Ygatu

Segundo a coordenadora do curso de Licenciatura Indígena, professora Ivani Faria, o seminário partiu de uma demanda dos povos falantes de Ygatu para a FOIRN. “Esse encontro foi necessário em virtude do mito de que não se poderia publicar materiais impressos ou mesmo aprender Ygatu na escola porque não havia um acordo das grafias usadas na região no caso da Licenciatura Indígena Políticas Educacionais e Desenvolvimento Sustentável e do padre Afonso Casanovas. Isso acabou por dificultar a produção de materiais para as escolas, bem como estava levando o enfraquecimento dessa língua pelo não uso nas escolas tanto de forma oral quanto escrita”.

 

Temáticas abordadas

Inclusão das letras F, J, L, V, Z no alfabeto Yẽgatu estão entre as recomendações da Carta elaborada durante o SeminárioInclusão das letras F, J, L, V, Z no alfabeto Yẽgatu estão entre as recomendações da Carta elaborada durante o SeminárioAs discussões do Seminário abordaram questões acerca das grafias existentes; do uso da grafia da língua Ygatu desde a existência de sua escrita até os dias atuais; do que se deve levar em consideração para a unificação da grafia e acerca da importância da língua para a identidade indígena.

 

Carta

Como resultado do seminário, os participantes elaboraram uma carta com diversas recomendações, entre elas a de que as instituições públicas implementem a lei de cooficialização das três línguas indígenas aprovada no ano de 2002 e regulamentada em 2006 no município de São Gabriel da Cachoeira e que seja adotado amplamente o acordo ortográfico discutido e aprovado pelos falantes da língua Ygatu durante o Seminário, tendo como base a grafia encontrada no livro Yũpinimasa Rupiaita Yẽga Yẽgatu Kuiriwara, publicado no ano de 2013. Leia a carta na íntegra, em anexo.

 

A edição do acordo ortográfico será publicada brevemente pela FOIRN em parceria com a LICEN/ICHL/UFAM. Como apoio à divulgação e fortalecimento da língua, os estudantes bolsistas do Programa PIBID/DIVERSIDADE do curso da Licenciatura Indígena da turma Ygatu farão oficinas sobre o acordo ortográfico em suas escolas/comunidades.

 

Feira de Adoção Responsável e Bazar: eixo Animais no Campus alerta sobre abandono

No primeiro dia, foram adotados sete animais, sendo um cão e seis filhotes de gatos

Nos dias 31 de outubro e 1º de novembro a campanha institucional Ufam, Eu Cuido! promove, em parceria com o grupo Desabandone, a Feira de Adoção Responsável, entre 8 e 18h, no hall da Faculdade de Ciências Agrárias I (na frente do auditório Samaúma).

Ao promover a Feira de Adoção, a Universidade Federal do Amazonas combate o crime de abandono de animais domésticos no Campus Universitário. Somente no primeiro dia, foram adotados sete animais abandonados, sendo um cachorro e seis gatos, todos eles filhotes. Ainda esperam para ter um lar quatro cães adultos e seis gatos filhotes. Todos os animais da feira receberam vacina antirrábica e vermifugação. Os adultos são castrados e os filhotes têm vagas para castração gratuita no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

Adote

Adotar é simples. Basta informar RG, CPF, telefone e comprovante de endereço. “O compromisso da adoção é assumido pela assinatura do termo, através do qual nós garantimos que os filhotes serão castrados na cota do grupo Desabandone no CCZ e o adotante se compromete a vacinar e a vermifugar o animal periodicamente, assim como não abandoná-lo nem maltratá-lo em nenhuma hipótese”, afirmou a coordenadora do grupo, professora Ana Hermínia, da Faculdade de Estudos Sociais (FES).

Raquel Barbosa, 20, é estudante do 6º período do curso de Psicologia e levou uma gatinha para casa já no primeiro dia da Feira. Depois de assinar o Termo de Adoção e receber o comprovante de vermifugação da pequena, ela explicou o porquê da adoção.

“Vou presentear o meu irmão, Mateus, de 17 anos, com essa gatinha. Nós temos um cachorro, o Snow, mas ele é muito grande para ficar com a gente lá em casa. Já encontramos um novo lar para ele, mas meu irmão ficou triste porque ele vai embora. Então, eu resolvi levar essa gatinha para alegrar um pouco mais a casa. Já temos um gato, mas esta é fêmea e eu acho que vai ser mais carinhosa, como o cachorro era com o meu irmão”, explicou a universitária.

Bazar

Além da Feira de Adoção, o bazar solidário é um meio que o grupo utiliza para arrecadar o dinheiro que garante a alimentação de cães e gatos e a castração de alguns deles. Mais de 500 itens estão à venda a preços baixos, dentre os quais roupas e calçados usados, brinquedos e peças para pets. Somente no primeiro dia, foram arrecadados mais de 300 reais.

“Quando encontramos animais já em período de reprodução, eles precisam ser castrados com urgência e não podemos esperar a cota do CCZ, pois há risco de crias. Nesse caso, o dinheiro que conseguimos com o bazar também é usado para essas castrações. Além disso, alguns deles precisam de remédios”, esclareceu a coordenadora da atividade.

Mas o grupo é diversificado. A professora Helenires Souza, do Instituto de Ciências Biológicas da Ufam, também é voluntária do Desabandone. “Nós colaboramos com tudo, desde doações e vendas no bazar até oferecimento de lar temporário para alguns animais. Inclusive, tem um filhote de gato que a mãe rejeitou e que eu levei para casa por um tempo para ser amamentado pela minha gata, porque ela teve filhotes recentemente”, contou a docente.

O Bazar ainda tem a função de agregar pessoas em torno da mesma causa. Ramon Linhares e Nathalie Lima são estudantes do curso de Biologia de uma universidade particular. Eles conheceram o projeto num bazar na FCA e desde então participam ativamente do grupo. Alunos dos cursos de Engenharia de Pesca, Administração e de mestrado também colaboram.

Geap convoca beneficiários da UFAM

A Geap Autogestão em Saúde comunica aos servidores beneficiários lotados na Universidade Federal do Amazonas (UFAM), cujos nomes constam nas relações em anexo, que entrem em contato com a fundação, a fim de tratar de assunto de interesse particular referente ao plano de saúde.

O contato pode ser realizado:

1. Por meio do stand da Geap, que estará na UFAM na sexta-feira, 4 de novembro, das 9h às 12h, na Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp), térreo do prédio da reitoria;

2. Através do atendimento presencial na sede do Geap, localizada na Avenida Djalma Batista, 745, Edifício José Frota, 4º andar;

3. Ou pelo call center 0800 728 8300.

 

Contato Progesp (92) 3305-1479

E-mail Departamento de Saúde e Qualidade de Vida: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Anexos:
Fazer download deste arquivo (Agregados_FUA.pdf)Agregados_FUA.pdf[ ]47 kB
Fazer download deste arquivo (Titular_FUA.pdf)Titular_FUA.pdf[ ]63 kB

Propesp divulga propostas classificadas para o Programa de Apoio a Jovens Doutores

A Universidade Federal do Amazonas, por intermédio da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propesp), divulga as propostas classificadas para o Programa de Apoio a Jovens Professores Doutores (PJD). A relação está disponível em anexo e no site da Propesp

Informações pelo telefone: (92) 3305-1496. 


Notícias relacionadas:

 

PROPESP disponibiliza canais de orientação para candidatos ao Programa de Apoio a Jovens Professores Doutores

 

Lançado o Edital do Programa de Apoio a Jovens Professores Doutores

 

Ufam inaugura Biotério Central com enfoque na experimentação

Esse modelo gera maior projeção para a pesquisa nas áreas farmacológicas, médicas e biológicas

A inauguração do Biotério Central ocorreu na última quarta-feira, 26. A edificação está localizada no Setor Sul do Campus Universitário Senador Arthur Virgílio Filho e busca ser referência em informações técnico-científicas sobre animais de laboratório.

A cerimônia foi conduzida pela reitora, professora Márcia Perales; pelo vice-reitor, professor Hedinaldo Lima; pelo diretor do Biotério Central, professor Jarbas Pereira de Paula; pelo idealizador do primeiro biotério da Ufam, professor Luiz Frederico Arruda; e pelo prefeito do Campus, professor Atlas Bacellar.

A reitora, professora Márcia Perales, falou sobre a persistência para promover a reforma do Biotério Central. “Todo o cuidado com o local para que as pesquisas tenham resultados coerentes, é o resultado do trabalho de muitas pessoas. Isso acontece quando todos se juntam em prol de um objetivo comum”, frisou. A professora ainda apontou a relevância do recurso do Projeto FINEP, coordenado pela professora Cristina Borborema, destinado à aquisição de equipamentos para as atividades.

Já o vice-reitor, professor Hedinaldo Lima, agradeceu ao professor Frederico Arruda em primeiro lugar, estendendo o reconhecimento aos servidores da PCU e à equipe do Biotério. “Temos aqui um prédio que vai ser mais bem utilizado para o desenvolvimento de pesquisas, com uso de uma nova estrutura e novos equipamentos, mas também com uma preocupação com a aparência e o bem-estar dos grupos de estudos e pesquisas”, disse.

Ao ler o memorial do órgão suplementar, o diretor, professor Jarbas Pereira, acentuou que a inauguração de duas obras no mesmo dia (também foi inaugurado o Bloco Anatômico) é "como batizar dois filhos". Mas este, em especial, foi projetado ainda na década de 1970. "Em 1976, o professor Frederico Arruda encaminhou ao MEC o projeto do Biotério Setorial, cujas obras foram concluídas em 1983. No ano 2000, ele ganhou o status de órgão suplementar vinculado ao Conselho Nacional de Educação, e em 2008 tornou-se órgão suplementar da Ufam, sob a direção do professor Fábio Moroni", contou.

Para o prefeito do Campus, professor Atlas Bacellar, a obra foi uma lição sobre assuntos muito específicos. "Tivemos que aprender sobre biotérios para tornar o ambiente adequado às atividades, utilizando a climatização e o revestimento correto. Mas também tivemos a preocupação em tornar o local mais humanizado, por isso construímos um jardim com bancos feitos da madeira de árvores que caíram na nossa floresta. O espaço tem um toque de arquitetura", explicou.

"Dedicação, empenho e boa vontade", resumiu o responsável pelo primeiro biotério da Universidade e atual pró-reitor de Extensão, professor Frederico Arruda. "Nós tivemos boa vontade quando enviamos o primeiro projeto ao MEC e ela existe hoje, data em que recebemos este prédio com excelentes condições para técnicos, alunos e professores, mas também para os animais", comemorou. "Isto é parte de uma história", concluiu.

Parceria

O Biotério Central passa de um modelo de criação, local onde os animais são produzidos, para o de experimentação, com enfoque na pesquisa. Isso é possível graças a uma parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), por meio da qual este fornece os animais e a Universidade realiza as investigações e os testes com ratos e camundongos.

"O interessante é que nossos pesquisadores poderão se dedicar aos testes de fármacos e de técnicas cirúrgicas, por exemplo, nas áreas da Farmácia e da Medicina. Essa mudança vai alavancar também as pesquisas em andamento e dar um ânimo para quem pretende fazer novas investigações sobre modelos na área de Ciências Biológicas, como os estudos sobre diabetes", explicou o professor Jarbas Pereira.

O controle das atividades desenvolvidas no Biotério é realizado através das normativas do Conselho Nacional de Controle e Experimentação Animal (Concea). "Tanto a parte física, como os revestimentos e a climatização adequada, quanto os equipamentos são rigorosamente escolhidos para tornar este um centro de referência nessa área de animais de laboratório", informou o docente.

 

Saiba mais

A utilização de animais em atividades científicas é estabelecida pela Lei 11.794, de 08 de outubro de 2008 e é restrita a estabelecimentos de ensino superior e a estabelecimentos de educação profissional técnica de nível médio da área de Biomédica, .

Na Universidade Federal do Amazonas, o criatório de animais para pesquisa, denominado Biotério Central, é um órgão suplementar que tem por finalidade prestar apoio a projetos de Ensino, de Pesquisa e de Extensão, que envolvam a experimentação animal mediante fornecimento de animais com elevado estado genético e sanitário.

Com orçamento de quase R$ 90 mil, a reforma do Biotério envolveu a pintura; aplicação de piso vinílico (revestimento bastante usado em hospitais); ampliação da área que abriga os animais; expansão da área de esterilização, bem como do ambiente de descarte e assepsia e a construção de uma pequena praça na área externa do Biotério.

Para solicitar animais do Biotério da UFAM, é necessário que o projeto de pesquisa/ensino/extensão tenha sido previamente submetido ao Comitê de Ética em Experimentação Animal da Universidade – CEE/UFAM, gerando um número de protocolo.

 
 
 

Ufam inaugura Laboratórios de Anatomia mais bem equipados da Região Norte

O prédio atende as áreas biológicas e da saúde, além do curso de Psicologia da Universidade

Na tarde da última quarta-feira, 26, a Universidade Federal do Amazonas inaugurou o novo bloco de Anatomia, com 11 ambientes, destinados às atividades de Ensino e Pesquisa que chega a receber, por ano, mais de dois mil alunos de nove cursos. É o bloco anatômico mais bem equipado do Norte e já está em uso.

A reitora, professora Márcia Perales, destacou a inauguração é o resultado de uma rede de ações formada em benefício de uma coletividade. "Precisamos sim de uma excelente estrutura, e eu sei que é a mais moderna da região, mas esse trabalho só é completo se houver profissionais competentes e estudantes interessados. Os recursos humanos são o centro de todo o processo de Educação", apontou ela.

"Quando vemos que é possível dar melhores condições para a nossa comunidade universitária, temos a certeza de que valeu a pena, e será fundamental para formar os futuros profissionais", ressaltou o vice-reitor, professor Hedinaldo Lima. A diretora do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), professora Sônia Carvalho, também destacou o esforço coletivo e o empenho para concluir o Bloco. "Certamente boas condições de estrutura são essenciais para alavancar a qualidade do ensino", disse.

Somando-se aos investimentos em estrutura e equipamentos, a quantia supera R$ 1,2 milhão, enquanto a área construída chega a 500 metros quadrados. "Um dos principais avanços é a manutenção da salubridade do local e o respeito integral às normas técnicas da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] para necrotérios, aplicadas aos laboratórios de anatomia. Todas as estruturas em inox [mesas, cubas e bancos] facilitam a limpeza, e o sistema de refrigeração controla, de modo eficiente, os vapores de formol", frisou o professor Jarbas Pereira, que já coordenou o laboratório.

O avanço representa melhores condições de trabalho e estudo para professores, técnicos e alunos, desde a climatização adequada até a criação de ambientes para atividades específicas, como a sala de manipulação de produtos químicos e materiais biológicos, e a sala de preparação de peças anatômicas, onde são cortadas com base em modelos sintéticos.

O atual coordenador do Bloco, professor Kleber Liberal, enfatiza que a rotina de alunos e professores fica mais organizada quando há uma estrutura adequada ao aprendizado. "Temos salas de pesquisa dentro dos laboratórios, e o nosso tanque tem capacidade para 12 peças inteiras (corpo) e as cubas com peças anatômicas como rim, fígado, coração, cérebro. Hoje nossa estrutura e nossos equipamentos estão entre os melhores do País, das instituições de ensino e pesquisa do Norte", comemorou o docente.

Instalações de ponta

O Bloco Anatômico recebeu estrutura, instalações elétricas, climatização e equipamentos novos. Ele possui três laboratórios de anatomia, frigorífico, sala de peças anatômicas, ossário, depósito, sala de monitoria, sala de técnicos e banheiros. Somente em infraestrutura e instalações elétricas, foram investidos mais de R$ 600 mil. Outros R$ 600 mil foram aplicados na aquisição de equipamentos para conservação de peças e mobiliário.

As portas têm largura suficiente para o transporte seguro das mesas de aço, contendo peças entre o frigorífico e os três laboratórios. Foram adquiridas 30 mesas e 120 bancos em aço inox, sendo 40 destes para cada sala. O sistema de conservação também é novo, sendo formado pelo tanque, pelas cubas e pelos exaustores instalados nos quatro ambientes.

A lotação máxima das salas é de 40 alunos, mas as turmas são compostas por no máximo 30. O objetivo é atender com qualidade e comodidade aos estudantes de graduação que têm aulas práticas no local. Ao todo, mais de dois mil utilizam, de forma alternada, os quase 260 metros quadrados referentes aos três laboratórios de Anatomia e ao frigorífico, este último com 12 peças completas (corpos) para serem manuseados por alunos de nove cursos de graduação.

Alunos matriculados nos cursos de Ciências Biológicas e Ciências Naturais, ambos do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), fizeram ou fazem uso das instalações. Além desses, discentes dos períodos iniciais de Farmácia, Odontologia, Enfermagem, Medicina, Educação Física, Fisioterapia e Psicologia também usufruem da estrutura.

Homenagem

Para guardar a memória do médico e professor Raimundo Wanzileu, nome do antigo bloco de Anatomia, uma placa foi fixada na entrada do novo bloco como reconhecimento. "Quando meu avô faleceu eu tinha dez anos. Ele foi a maior inspiração que eu tive para seguir nessa área, porque tinha paixão pela Medicina, e paixão por ensinar", relatou a neta do homenageado, Ingrid Wanzileu, aluna do 10º período do curso de Medicina na Ufam. 

PROGESP divulga comunicado sobre curso Produção de Conteúdo em EaD

A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGESP) comunica que o curso "Produção de Conteúdo em EaD", iniciado na terça-feira (25), será suspenso, tendo em vista a decisão em Assembléia Geral sobre a Greve dos servidores técnicos-administrativos em educação, realizada em 25 de outubro.
O curso entrará na grade de Capacitações à distância, da Coordenação de Treinamento e Desenvolvimento (CTD), no primeiro semestre de 2017. Os servidores inscritos estão com a matrícula garantida para o próximo período.
 
Notícias relacionadas:

Workshop Rede Cidadã discute fenômenos extremos na Amazônia


O Workshop Rede Cidadã, do projeto “Cidades amazônicas e eventos hidroclimáticos extremos: pesquisa para reduzir vulnerabilidade e estabelecer resiliência”, teve a palestra do professor do curso de Geografia da Ufam, Naziano Filizola. O evento teve início nesta quarta-feira, 25, e tem o seu encerramento programado para hoje à tarde, 26, às 17h.

O evento Workshop Rede Cidadã, reuniu pesquisadores e ribeirinhos no Retiro de Santana, na Avenida André Araújo, Aleixo, para discutirem alternativas no monitoramento de eventos Hidroclimáticos extremos na Amazônia e seus efeitos. Na programação desta manhã, o professor do curso de Geografia da Ufam, Naziano Filizola, discorreu sobre o monitoramento do regime das cheias e das secas nos rios da Amazônia pelos próprios moradores. 

A realização do evento teve a coordenação de representantes de várias instituições composta pela Ufam, Universidade de Lancaster (Inglaterra), Universidade Federal do Pará, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Museu Emílio Goeldi e conta com financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e Recursos de Pesquisa do governo Britânico (Newton Found / British Concil).

Tendo como públicos-alvo comerciantes, ribeirinhos, estudantes, servidores municipais na área de saúde e educação, o Workshop faz parte do cronograma de atividades do projeto, e visa debater a problemática das grandes secas e cheias que tanto afligem a população da Amazônia e, principalmente, não são informados antecipadamente.

“A ideia do projeto é entender como as populações dos municípios de diferentes posições no estado do Amazonas, reagem aos eventos hidroclimáticos (cheias e secas, excesso de chuvas ou faltas) e como estas populações estão reagindo a isso. De que forma elas têm sido atendidas pelo poder publico para que a gente possa entender o contexto geral e o efeito desses eventos extremos que estão acontecendo nos últimos 20 anos. Qual a reação dessas populações e que experiências podemos tirar disso?”, disse o professor Naziano Filizola.

Segundo Givanildo Guimarães, morador do município de Maués, é uma oportunidade única estar participando da discussão destes fenômenos que tanto os atinge. “Assim, temos informações sobre os fenômenos climáticos que sofremos no município e podemos nos preparar para enfrentar suas consequências”, disse Givanildo.

 

Diversidade da produção avícola é tema da 11ª edição do Encontro de Avicultura

Evento ocorre até esta quinta-feira (27) no auditório Samaúma da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), Setor Sul do Campus Universitário.

Ao centro, o coordenador geral do evento, professor Frank Cruz, discursa durante a solenidade de aberturaAo centro, o coordenador geral do evento, professor Frank Cruz, discursa durante a solenidade de aberturaA décima primeira edição do Encontro de Avicultura teve início na manhã desta quarta-feira (26), reunindo pesquisadores profissionais, estudantes e criadores de aves.

Durante a abertura do evento, o coordenador-geral da atividade científica, professor Frank Cruz, destacou a contribuição do Encontro para o desenvolvimento do setor de avicultura no estado do Amazonas. “Ao longo dessas onze edições temos feito um bom trabalho junto aos nossos alunos, aos produtores e à sociedade como um todo. Para esta edição, desenvolvemos e apresentamos três linhagens avícolas voltadas para o pequeno produtor, o que contribui para amenizar a importação de pintinhos por parte do Amazonas, vez que somos grandes importadores de alimentos. Além disso, investimos em pesquisa com patos em confinamento que, pelo que já avaliamos, a UFAM é a única no país a investir nessa pesquisa e isso muito nos orgulha”, discursou o pesquisador.

O diretor da Faculdade de Ciências Agrárias, professor Marco Antônio de Freitas, ressaltou o compromisso do evento científico em desenvolver a ciência avícola. “É uma honra para nós mais uma vez sediar um evento tão exitoso promovido por um setor tão pujante como o de Avicultura. Entrei aqui em 1992 e a primeira coisa que fiz foi trabalhar no setor de Avicultura. Vários de nossos professores daqui já foram alunos do professor Frank, que é uma das principais referências da Avicultura no país. Ele tem a facilidade de transformar os conhecimentos produzidos na Universidade em ações práticas que se desdobram em melhorias para a qualidade de vida população”, declarou o diretor.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas, Muniz Lourenço Silva Júnior, destacou que o Encontro de Avicultura já faz parte do calendário rural do Amazonas. “Agradeço o empenho da UFAM por manter viva a tradição de promover esse encontro importantíssimo que há onze edições proporciona debates ricos, com informações e novidades para futuros empreendedores da área de Avicultura. Quero aproveitar para dizer que o professor Frank Cruz é uma figura que todos nós amazonenses respeitamos e admiramos pela sua competência e dedicação à Avicultura, um segmento que deve muito à abnegação dele em suas pesquisas e estudos e a difusão de conhecimentos que ele promove para a avicultura do Estado.”

Após a abertura do evento, o pesquisador do Intituto Federal do Amazonas, Felipe Faccini dos Santos, palestrou sobre as novas tendências para os modelos de produção na avicultura de postura.

Acadêmico de Zootecnia Julmar Feijó apresenta pesquisa sobre patos em confinamentoAcadêmico de Zootecnia Julmar Feijó apresenta pesquisa sobre patos em confinamentoJulmar Feijó é acadêmico do 8º período de Zootecnia e apresenta pesquisa no evento sobre a criação de patos em confinamento. “O meu trabalho é o ‘Planos nutricionais com diferentes níveis de cálcio para patos em confinamento’. Como o professor Frank disse, a UFAM é a única universidade no país que faz pesquisa nessa área. Já realizamos pesquisas com relação à densidade adequada, a níveis de energia e de proteína na ração e agora estamos trabalhando para tentar balancear os nutrientes de uma ração adequada para criar patos em confinamento”, explicou o acadêmico.

Programação

A programação desta quarta-feira segue com o minicurso Protocolos de Incubação Artificial e Inoculação In Ovo, a partir das 14h, o qual será ministrado pelo João Paulo Rufino, do Programa de Pós-graduação em Ciência Animal – PPGCAN/UFAM.

 

Confira notícia relacionada:

Setor de Avicultura abre inscrições para “XI Encontro de Avicultura”

 

PROGESP orienta motoristas sobre a III Caminhada e Corrida do Servidor

A Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (PROGESP) orienta os motoristas que transitam pelo Campus Universitário, que diminuam a velocidade dos veículos a partir das 16h desta quinta-feira (27), devido a III Caminhada e Corrida do Servidor. A previsão é de 300 participantes. 
 
Confira o percurso: 
 
Largada

Percurso I - Da pista de Atletismo da Faculdade de Educação Física e Fisioterapia (FEFF), às 16h.

Percurso II - Do Centro de Convivência (Setor Norte) , às 16h15.

Chegada

Pista de Atletismo da FEFF.

Premiação

Hall da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), setor sul do Campus. 

Notícias relacionadas:

Progesp divulga III Caminhada e Corrida do Servidor Público

ProGesp prorroga inscrições para a 3ª Corrida e Caminhada do Servidor

 

ICSEZ comemora 9 anos do Instituto com acolhida aos calouros

Os nove anos do Instituto de Ciência Sociais, Educação e Zootecnia (ICSEZ) foram comemorados juntamente com a acolhida aos calouros, realizada em 13 de outubro de 2016. Os novos discentes foram recebidos no Auditório do CETI Deputado Gláucio Gonçalvez, com um discurso proferido pelo Diretor do Instituto, professor José Luiz Pereira da Fonseca, e com a aula inaugural, realizada pela professora Sandra Helena da Silva. Em seguida, o Coordenador Acadêmico, prof. Dr. Tiago Viana da Costa proferiu palestra enfatizando o tripé, ensino, pesquisa e extensão da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Também participaram deste primeiro ato solene aos novos discentes, o Coordenador Administrativo, Sr. Geilson Teixeira dos Santos, a gerente de Biblioteca, Sra. Gracy Ane Sousa Soares, representante da Divisão de Saúde e Qualidade de Vida, Assistente Social M.Sc. Maria Sandrelle Gonçalves Cardoso e do Núcleo de Acessibilidade, M.Sc. Mariana Pereira de Andrade.
 
No dia 14 de outubro ocorreu a recepção realizada pelos Coordenadores de Cursos, onde os discentes participaram de atividades voltadas à saúde, organizadas pelo Departamento de Saúde e Qualidade de Vida (DSQV) e pelo Centro Acadêmico de Educação Física. Foram realizados 106 atendimentos médicos, com a presença de dois clínicos gerais; visitas guiadas aos laboratórios didático-pedagógicos e a Biblioteca Setorial, que permitiu aos acadêmicos realizarem o seu primeiro acesso ao sistema Pergamum.
 
No dia seguinte foi realizada a Corrida dos Calouros, com a participação de 96 inscritos entre público externo, servidores e discentes. Os campeões na categoria masculina foram Aldenei Pinheiro, seguido por Joel Vieira e Domingos Miranda; na categoria feminina as campeãs foram Manuelle Sabrina, seguida por Gracikelle Oliveira e Benedita Mafra. Durante o dia ainda ocorreram competições de queimada e vôlei, que encerraram as comemorações do Instituto.