Ctic implanta melhorias na rede de dados da Ufam campus Humaitá

Visita estreitou troca de conhecimentos entre servidores da área de T.I

Por Ismael dos Santos
Equipe Ascom

O Instituto de Educação, Agricultura e Ambiente (IEAA-Ufam) recebeu em outubro a visita técnica da Coordenação de Infraestrutura, do Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (Ctic). A visita, realizada entre os dias 23 e 27, teve como objetivo melhorar a rede de dados da unidade. Dentre ações estão:

Reordenação da topologia de redes de dados (interligação entre computadores) - (Imagem)

Substituição, atualização e configuração de equipamentos de redes de dados;

Instalação e configuração de ferramentas para melhor gerenciamento do sistema (Imagem);

Instalação e configuração de ferramentas para gerenciamento das câmeras de segurança da vigilância patrimonial, permitindo seu acesso a partir de dispositivos móveis (Imagem);

Mapeamento, atualização do sistema e configuração das câmeras de segurança da unidade acadêmica;

Instalação de Rede Privada Virtual (Virtual Private Network - VPN): permite acesso direto aos sistemas da Ufam e instalação de equipamentos e dispositivos VoiP (Voice over Internet Protocol)para telefonia IP.

Com o resultado da instalação da telefonia em barda larga, o instituto passou a contar com novos números, com o prefixo (92) 3305-1181. Confira os ramais:

2195 - Secretaria Executiva/Direção Geral

2196 - Coordenação Acadêmica

2197 - Coordenação Administrativa

2198 - Coordenação de Pós-graduação

2199 - Biblioteca Setorial

Além das atividades técnicas, a visita também permitiu a transferência de conhecimentos entre o IEAA e o Ctic, o que permitiu a criação de um ambiente para identificação, criação, compartilhamentos e disseminação de informações com valor para a unidade acadêmica. “Tivemos uma integração muito positiva entre os servidores do instituto e do Ctic, com troca de informações e experiências. Isso deu um upgrade em todos os nossos processos. Agradecemos ao diretor do Ctic, Carlos Magno, pela oportunidade”, disse Alexandro Relvas, analista de T.I do instituto.