Aula inaugural marca atividades de extensão na Escola de Enfermagem

Enfermagem, saúde, educação, direito e cidadania são as bases das atividades do grupo de extensão “Enfermagem: Educação em saúde” que teve lançamento nesta última sexta-feira, 22, no auditório da Escola de Enfermagem, cujo objetivo é informar aos acadêmicos do curso de Enfermagem os deveres e os direitos dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

A diretora da Escola de Enfermagem, professora Nair Cheise, declara que a iniciativa de criar um grupo de extensão dessa envergadura se soma aos projetos de extensão existentes naquela Faculdade. De acordo com a diretora, as atividades desenvolvidas atendem as diretrizes curriculares, nas quais exigem atividades complementares, implicando diretamente na formação integral do aluno.

Na visão da diretora, a formação do grupo é demonstrada sob dois aspectos positivos. O primeiro é dar visibilidade a Escola de Enfermagem e a credibilidade construída ao longo dos anos, reforçando a imagem de que os profissionais dessa Faculdade estão para servir à sociedade. E, o segundo aspecto corresponde ao fortalecimento institucional que promove conhecimento para o bem-estar da sociedade.

A diretora informa que o grupo de extensão está vinculado ao grupo de pesquisa denominado “Educação em Saúde e Enfermagem”, que servirá como laboratório de observação. “O grupo fará pesquisa com as praticas de enfermagem, mas também desenvolverá temáticas envolvendo uma pesquisa mais profunda em nível de graduação e pós-graduação”, frisa Nair Cheise.          

O coordenador e professor do departamento de Saúde Materno Infantil e Saúde Pública, Esron Rocha, disse que o Grupo surgiu a partir da necessidade de se discutir os direitos dos usuários do SUS. Entretanto, o professor lamenta que essa temática ainda não faça parte da matriz curricular dos cursos da área de Saúde, cuja importância se dá quanto à formação profissional. Dessa forma, Rocha considera prioritário esse questionamento, possibilitando ao aluno maior subsídio de informações a respeito daquele usuário que muitas vezes não tem o seu direito respeitado.

“Nessa perspectiva, será possível desenvolver no aluno a compreensão dessa realidade e entender o usuário, de acordo com sua essência, porque entendemos que as urgências da saúde são provenientes do usuário, o qual busca serviço de saúde em determinada hora da noite, considerada uma decisão exclusivamente pessoal e não médica”, afirmou o coordenador.

Nesse sentido, o professor explica que os cursos da área de saúde são bastante tecnicistas, tornando a pratica do profissional um hábito constante, o que acaba fazendo com que o profissional da saúde esqueça que está  tratando com o ser humano.  “A ideia é de que os alunos percebam essa realidade e fiquem sensibilizados com o seu semelhante, porque além de técnicos, ele está lhe dando com seres humanos”, declara.

O coordenador entende que o Grupo de Extensão “Enfermagem: Educação em  Saúde” cumpri os objetivos da Universidade no que se refere ao ensino, pesquisa e extensão. Ele acredita que nessa primeira etapa, a pesquisa se dará a partir da produção do conhecimento, o que deverá orientá-los sobre as práticas do dia a dia. A extensão será um laboratório de observação, agregando as experiências adquiridas como crédito positivo na formação do aluno.

Durante a aula inaugural, o grupo de arte popular vinculado a Divisão de Educação Popular e Comunicação na Saúde (DEPCS) da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) realizou várias atividades denominadas de “Práticas interpretativas com arte e massagem”, envolvendo o público de alunos e professores sobre a importância dessa atividade como processo de integração entre os profissionais de saúde.

A coordenadora da DEPCS, Denise Amorim, disse que essas ações, além de fortalecer a integração de ensino e serviço, também trabalha em parceria com instituições de ensino, fortalecendo à educação popular de acordo com as suas interfaces, principalmente da formação profissional. “É necessário estabelecer metodologias de educação popular em saúde para a formação do profissional de nível técnico, de graduação, de residência médica e de pós-graduação”, finaliza.