Novo Bloco de Anatomia atende dois mil alunos de nove cursos da Ufam

Com área total de mais de 500 metros quadrados, o bloco possui três laboratórios e uma sala de conservação, além de outros 11 recintos

Os 544 metros quadrados abrigam 15 ambientes, dentre os quais os três laboratóriosOs 544 metros quadrados abrigam 15 ambientes, dentre os quais os três laboratórios

“O aprendizado é mais fácil, porque estamos num ambiente limpo e confortável, que é adequado a receber a quantidade de alunos da turma para as aulas práticas de Anatomia”, avalia a estudante do segundo período do curso de Medicina, Raíssa Pires, 22. Ela é uma das beneficiadas pelo Novo Bloco de Anatomia, localizado na Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), Setor Sul do Campus Universitário.

Os alunos do curso de Fisioterapia têm de passar por três disciplinas práticas de Anatomia, que são a Básica, a Funcional e a Neuroanatomia, sendo a primeira quando ingressam na instituição e as outras duas no segundo período. Keren Libório é aluna das duas últimas disciplinas. “No segundo período, nós revemos ossos, músculos e articulações, acrescentando a anatomia palpatória (encontrar o que foi visto na peça em laboratório). Em Neuro, nós trabalhamos só a parte da cabeça”, explica.

Com a mudança para o novo bloco, Keren aponta as melhorias, dentre as quais a estrutura geral do prédio, o número maior de salas e o espaço em cada ambiente. “Fazemos monitoria de Funcional de segunda a quinta. É muito bom, porque temos equipamentos novos e uma sala a mais. Assim, três turmas podem fazer aulas ao mesmo tempo”, ressalta a estudante da 9º turma de Fisioterapia da Universidade.

Alunos de Fisioterapia em aula de Neuroanatomia com o professor Elder PereiraAlunos de Fisioterapia em aula de Neuroanatomia com o professor Elder Pereira

“O anatômico é voltado às áreas de biológicas e saúde. É onde os discentes têm a oportunidade de manusear peças humanas. Esse investimento é um avanço para toda a Universidade, pois é um lugar apropriado às atividades, com sistema de ar, sistema elétrico e equipamentos que visam ao sucesso das práticas acadêmicas”, explica o prefeito do Campus Universitário, professor Atlas Bacellar.

Demanda– O objetivo é atender com qualidade e comodidade aos estudantes de graduação que têm aulas práticas no local. Ao todo, mais de dois mil utilizam, de forma alternada, os quase 260 metros quadrados referentes aos três laboratórios de Anatomia e ao frigorífico, este último com 12 peças completas (corpos) disponíveis para serem manuseados por alunos de nove cursos de graduação.

Cerca de 500 alunos matriculados nos cursos de Ciências Biológicas e Ciências Naturais, ambos do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), fizeram ou fazem uso das instalações. Além desses, discentes dos períodos iniciais de Farmácia, Odontologia, Enfermagem, Medicina, Educação Física, Fisioterapia e Psicologia também usufruem a estrutura.

“A demanda, nos períodos ímpares, chega a dois mil alunos; já nos semestre pares, são atendidos 300 discentes do curso de Medicina, porque esse curso oferece duas turmas por ano. Ou seja, as atividades são contínuas e sempre obedecem a uma escala definida entre os cursos e a coordenação do bloco”, explica o coordenador em exercício do Bloco de Anatomia, professor Jarbas Pereira.Raíssa, do curso de Medicina, aprova o novo blocoRaíssa, do curso de Medicina, aprova o novo bloco

Em relação à estrutura anterior, foi adicionado um laboratório, o que contribui para a boa distribuição de pessoas para as aulas, que ocorrem nos três turnos. “Para o curso de Educação Física, são ofertadas aulas nos três turnos – manhã, tarde e noite. As turmas de Fisioterapia cursam duas disciplinas, Anatomia Básica e Anatomia Funcional. As turmas de Medicina têm aulas nos dois períodos iniciais. Os alunos de Ciências Biológicas e de Ciências Naturais fazem aulas práticas nos turnos diurno e noturno”, expõe o coordenador em exercício.

A lotação máxima das salas é de 40 alunos, mas as turmas são compostas por no máximo 30. Essa vantagem é bem aproveitada pelos estudantes, como é o caso de Raíssa. “Como cabem quatro mesas em cada sala e as nossas turmas têm umas 20 pessoas em média, então fica bem distribuído por mesa, podemos ver os detalhes das peças e aprendemos melhor”, destaca a acadêmica de Medicina.

Investimentos– O prédio recebeu estrutura, instalações elétricas, climatização e equipamentos novos. Ele possui três laboratórios de anatomia, frigorífico, sala de peças anatômicas, ossário, depósito, sala de monitoria, sala de técnicos e banheiros. Somente em infraestrutura e instalações elétricas, foram investidos mais de R$ 600 mil. Outros R$ 600 mil foram aplicados na aquisição de equipamentos para conservação de peças e mobiliário.

Prefeito do Campus Universitário, Atlas Bacellar, fala sobre a aquisição de equipamentos em aço inoxPrefeito do Campus Universitário, Atlas Bacellar, fala sobre a aquisição de equipamentos em aço inox

As portas têm largura suficiente para o transporte seguro das mesas de aço contendo peças entre o frigorífico e os três laboratórios. Outras novidades são elencadas pelo professor Jarbas Pereira: “Adquirimos 30 mesas e 120 bancos, todos em aço inox, sendo 40 destes para cada sala. O sistema de conservação também é totalmente novo, sendo formado pelo tanque, pelas cubas e pelos exaustores instalados nos quatro ambientes”.

O professor lembra, ainda, outro aspecto importante sobre a obra, que é a atenção às normas de biossegurança estabelecidas pela legislação vigente para salas onde são acondicionados e manuseados corpos e peças anatômicas. “O ambiente é amplo e tem espaços bem distribuídos, o que facilita a limpeza”, afirma o docente, completando que a manutenção da qualidade do ar em nível salutar para alunos e professores é fundamental nesse tipo de ambiente.

A climatização é diferenciada, pois o objetivo é manter as peças anatômicas sempre em bom estado de conservação e de uso. “Foram instalados dois aparelhos condicionadores de ar com autonomia de 60 BTU/hora em cada um dos laboratórios e na câmara frigorífica”, é o que destaca George Matos, engenheiro responsável pela instalação do sistema de climatização do bloco. “Os exaustores realizam a troca completa do ar das quatro salas de prática 14 vezes por hora”, conclui o engenheiro.