Projeto de aluna da Ufam é apresentado no Fórum Global sobre Consumo Sustentável

Coletores e vendedores de frutos amazônicos são o público beneficiário da proposta de comercialização de polpas e produtos que valorizam a culinária local

 

Acadêmica do 7º período do curso de Engenharia de Alimentos da Universidade Federal do Amazonas, Sissa Maricaua, 22, apresentou projetos de empreendedorismo social no Encontro Global do The Consumer Goods Forum (CGF), evento sobre consumo sustentável ocorrido entre 15 e 17 de junho de 2016, na Cidade do Cabo, capital da África do Sul.

Na reta final da graduação, Sissa conta que escolheu o curso pela empregabilidade e para ter a possibilidade de trabalhar com o tema sustentabilidade voltado a objetivos específicos. Essa meta tomou forma através do projeto Sumaúma, que visa à diminuição do desperdício de frutos amazônicos e a exploração do potencial culinário desses frutos. Na Ufam, o conselheiro do time é o professor Gilmar Couto, da Faculdade de Educação Física e Fisioterapia (FEFF).

“A ideia é trabalhar com comunidades de coletores e vendedores de frutos em municípios próximos a Manaus, a princípio Presidente Figueiredo, incentivando a transformação das frutas em polpa, o que facilita a manipulação, transporte e estocagem do produto, e aumenta sua validade. A parte culinária deve-se à exploração de receitas a partir da polpa ou das frutas, criando novos produtos que valorizam a gastronomia amazonense. Por fim, uma alternativa aos resíduos é dada, a partir da transformação de caroços em artesanato”, explicou a autora.

Segundo a jovem empreendedora, a redução do desperdício se alia à valorização da cultura regional. “O objetivo é fomentar um negócio social que permita a criação de uma marca para a introdução desses produtos no mercado nacional e internacional”, esclareceu ela, afirmando ainda: “Esse é um projeto de empreendedorismo social, pois empoderamos uma comunidade para criar um negócio sustentável e lucrativo”.

Continente Africano – Três estudantes participaram do Fórum Mundial na África do Sul, mas apenas dois deles, Sissa e Vitor Ungari, este último da USP, apresentaram trabalhos voltados à temática de produção e consumo responsáveis.

O objetivo do Fórum foi incentivar a redução do desperdício de alimentos, tanto na cadeia produtiva quanto no consumo final. Além de participar de palestras e workshops, os estudantes apresentaram trabalhos de empreendedorismo social da organização internacional Enactus. Dentre eles, os projetos Muiraquitã e Sumaúma. Os trabalhos são alinhados à Meta Global para o Desenvolvimento Sustentável da ONU que visa à erradicação da fome.

A acadêmica foi responsável por fundar o time Enactus Ufam, que possui 15 alunos de diferentes áreas e períodos. Juntos, eles desenvolveram os projetos citados. “Acredito que agir em prol do empreendedorismo cria um mundo melhor para todos nós”, afirma Sissa. No Brasil, 1.800 estudantes ajudam a beneficiar mais de nove mil pessoas com trabalhos diferenciados.

“O ‘Sumaúma’ teve muita aceitação e admiração”, informa Sissa. O tema Amazônia já chama a atenção de muitos empresários estrangeiros naturalmente. Junte-se a isso essa ideia simples, mas com potencial de escala. A estudante conta que surgiu interesse em investir na proposta.

“O evento foi de caráter excepcional. Pela primeira vez, estudantes universitários (ou como nos chamam, ‘Millennials’), foram convidados para serem palestrantes no Fórum. Isso se deve ao fato de que o CGF está buscando dar espaço à geração mais nova de mostrar seu potencial, e a criar uma ponte entre projetos e iniciativas universitárias e as grandes empresas”, disse.

Três dos 36 países onde há times Enactus apresentaram projetos: Brasil, Quênia e Marrocos. Sissa conta que se sentiu honrada por representar o Brasil, a Ufam e o time da Enactus aqui. “Foi uma grande honra poder apresentar um projeto de minha própria criação para 900 líderes de empresas e destacar a Amazônia e a minha universidade. Esse é um trabalho de apenas cinco meses e já levou o nome da Ufam tão longe. Não vamos parar”, concluiu.

Sobre a Enactus – É uma organização internacional sem fins lucrativos que fomenta o empreendedorismo social dentro das universidades. Está presente em 36 países e em mais de 1.700 instituições de ensino.  Visite o site da organização.