Pós-BioAgro fortalece produção científica de ICB e FCA

Desde 2013, a estrutura oferece suporte para o desenvolvimento das mais de 290 pesquisas

“Com a pesquisa, conseguimos a economia de custos, de trabalho, mas, principalmente, conseguimos aumentar nossa produtividade na área em que ela foi aplicada. Tivemos uma redução de 70% dos custos com o manejo das plantas daninhas. Além disso, tivemos aumento na produção já que as plantas estão recebendo mais nutrientes”.

A declaração é de Roosevelt Hada Leal, engenheiro agrônomo da Ambev sobre a pesquisa que abordou o manejo de plantas daninhas no guaranazeiro,aplicada na Fazenda Santa Helena, em Maués. O estudo indica os meses de maio a agosto como período adequado para a retirada de plantas daninhas, o que permite o melhor rendimento da produção com redução de custos. A pesquisa está sendo realizada pelo mestrando Daniel Oscar Pereira Soares como dissertação do Programa de Pós-graduação em Agronomia Tropical (PPGATR), um dos oito programas do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) e da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), que receberam as instalações do Bloco dedicado à pós-graduação das duas unidades acadêmicas, compondo, assim, o bloco da Pós-BioAgro da UFAM.

A obra custou à Universidade quase três milhões de reais.A obra custou à Universidade quase três milhões de reais.

Entregue às duas unidades responsáveis desde 2013, a estrutura oferece o suporte necessário para o desenvolvimento das mais de 290 pesquisas com resultados importantes para a ciência e para a sociedade. “Realmente, deu um salto de qualidade do ponto de vista de oferta de instalações adequadas para que os nossos alunos da pós-graduação possam desenvolver suas atividades acadêmicas e de pesquisa”, ressaltou o diretor da FCA, professor Neliton Marques.

Parceria ICB e FCA

Somando interesses comuns, entre eles, a racionalização da área do campus, as duas unidades decidiram não só dividir o espaço para a pós-graduação, como também, aceitaram a proposta do grupo de zoneamento do campus quanto à verticalização do prédio a ser construído.  “Foram medidas inteligentes de racionalização e de cooperação e tem funcionado muito bem. Temos uma relação extremamente cooperativa e harmônica”, disse o diretor. “A tendência do Setor Sul é substituir os prédios dos anos 70 por esse modelo”, expôs o professor, ao explicar que a decisão pelo crescimento vertical se baseou na Política Ambiental da UFAM, aprovada pelo Conselho Universitário em 2012, na qual se reconhece a necessidade de crescimento da Instituição aliada à preservação da biodiversidade existente.

Verticalização e parceria foram medidas inteligentes, segundo diretor da FCA.Verticalização e parceria foram medidas inteligentes, segundo diretor da FCA.Com a parceria, o bloco da Pós-BioAgro foi dividido em dois andares para cada unidade acadêmica, com autonomia gerencial destes. O investimento custou à Universidade R$2.907.830. O prédio ocupa 2.227,28m² de área construída e é composto por 15 laboratórios, seis salas de aula, três salas de professores, uma sala de seminários, um auditório para 110 pessoas e uma biblioteca. “Nossa expectativa é a melhor possível. Poderemos aumentar o número de alunos nos programas e fazer com que as nossas pesquisas continuem a contribuir com a sociedade”, declarou o diretor em exercício do ICB, professor Sérgio Luis Gianizella, sobre as perspectivas da unidade acadêmica com a nova estrutura. “O resultado disso é o crescimento do número de mestres e doutores no Amazonas”, projetou.

A estrutura dá suporte as mais de 290 pesquisas por professores e estudantes do ICB e da FCA. Ao todo, mais de duas mil pessoas estão sendo beneficiadas com a obra. São 80 técnicos administrativos em educação, 1.423 estudantes de graduação e 609 de pós-graduação e 182 docentes que contam com maior comodidade para realizar suas atividades.

Crescimento

E os avanços já iniciaram. Tanto a FCA quanto o ICB obtiveram da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) aprovação recente para novos programas de pós-graduação. Com o conceito 4 da Capes, o Programa de Pós-graduação em Zoologia (PPGZOOL), do ICB, iniciou suas atividades com o processo de seleção para os cursos de mestrado e doutorado. “Já faz muito tempo que existe demanda para um curso com esse perfil e a procura de candidatos confirma isso”, revelou o coordenador, professor Fabricio Beggiato Baccaro. “Finalizamos o processo seletivo do mestrado e, ao total, o curso conta com 4 alunos de Doutorado e 11 de Mestrado”, conta.

"O resultado disso é o aumento de mestres e doutores", diz diretor do ICB"O resultado disso é o aumento de mestres e doutores", diz diretor do ICBA FCA também está em fase de crescimento. Aprovado no final de 2015, o Programa de Pós-graduação em Ciência Animal (PPGCAN) é o único do tipo no Amazonas. Em nível de mestrado, o curso terá duas linhas de pesquisa, Biotecnologia Aplicada à Zootecnia e Nutrição e Produção de Animais Ruminantes e Monogástricos. “A criação do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal poderá contribuir para incrementar a formação técnica-científica na área de produção animal e permitirá o desenvolvimento de ferramentas tecnológicas produtivas específicas para esta região de características ambientais tão particulares”, informou o coordenador do PPGCAN, professor Frank Cruz.

Contando com a colaboração de pesquisadores e docentes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Amazonas (IFAM) e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), o PPGCAN A área de concentração Produção Animal terá como objetivos formar profissionais com ampla e sólida formação técnica, com embasamento científico, associada à visão de agropecuária sustentável e realizada em função das condições socioeconômicas do país. Para primeira turma são oferecidas 15 vagas com início das aulas programado para março de 2016.