Grupo de Pesquisa da Ufam é premiado na Argentina

A única equipe brasileira a participar do TECNO X conquistou o prêmio "Condor", por excelente desempenho; o Prêmio "Arraigo social", pelo demonstrado compromisso ambiental e social  e o certificado "Apagón", garantido a todos os times participantes.

 

O grupo da UFAM foi a única equipe brasileira a participar do TECNO XO grupo da UFAM foi a única equipe brasileira a participar do TECNO XO Grupo de Pesquisa que obteve o prêmio Condor na primeira edição do evento Tecno X, realizado na Argentina entre os dias 18 e 22 de abril, é composto por dez alunos de graduação em Biotecnologia, Ciência da Computação, Engenharia Elétrica e Ciências Biológicas da UFAM e duas alunas de graduação de Medicina da UEA. Representaram a UFAM na competição argentina os estudantes de Biotecnologia  Anderson Oliveira e  Maria Clara Tavares. "Foi uma experiência incrível para todos nós, especialmente por estar em um meio repleto de outros acadêmicos envolvidos em projetos de Biologia Sintética para a solucionar problemas da comunidade", declarou  Anderson Oliveira.

A equipe, coordenada pelos professores Carlos Gustavo Nunes da Silva e Spartaco Astolfi Filho, apresentou o projeto “Desenvolvimento de bactérias sensores de mercúrio para águas contaminadas utilizando ferramentas de biologia sintética” que, em síntese, é voltado a combater o mercúrio contaminante, evitando que ele seja acumulado na cadeia alimentar e que finalize seu "trajeto" no ser humano. “Fomos a única equipe brasileira a participar e os estudantes fizeram bonito! O  Anderson Oliveira e  a Maria Clara Tavares  conseguiram o prêmio máximo, o prêmio "Condor", ave símbolo da região andina e da América Latina. Também conseguiram o prêmio de projeto com maior compromisso ambiental e social”, ressaltou o docente Carlos Gustavo Nunes.

 

Alunos Maria Clara Tavares e Anderson Oliveira durante apresentação no TECNO XAlunos Maria Clara Tavares e Anderson Oliveira durante apresentação no TECNO X

Sobre o projeto

O projeto é baseado numa linha de pesquisa já abordada há mais de dois anos no laboratório de Biologia Molecular e demais laboratórios do Departamento de Genética do ICB. O experimento visa a transformação genética de bactérias para funcionarem como biossensores do elemento Mercúrio (um metal pesado, extremamente nocivo à saúde humana), na sua forma mais nociva, o metilmercúrio, bem como sua bioacumulação e sua degradação. O mercúrio é bastante utilizado em dispositivos eletrônicos que são descartados com o máximo de descaso, além de ser usado na mineração de ouro que, na Amazônia, ocorre no leito dos rios.

Considerando que os experimentos são feitos em condições controladas, em laboratório, a idéia é desenvolver um conceito piloto de biorreator que possa biorremediar o mercúrio.

Desde os primeiros experimentos, muitos avanços foram conseguidos, principalmente no design dos circuitos genéticos, no qual foram registradas, por exemplo, melhorias na sensibilidade das bactérias de alerta à mercúrio (que muda de cor - um rosa fluorescente - quando "encontra" o elemento).

Tecno X

Realizada na Universidade de Buenos Aires, a Tecno X é uma competição voltada a visibilizar projetos de ciência e tecnologia de baixo custo, que apresentem soluções para problemas reais e demonstrem relevância social, criatividade, interdisciplinaridade, implementação técnica e colaboração com a comunidade.

A qualidade dos trabalhos realizados é simbolizada por três aves da América Latina que nomeiam as principais premiações que são concedidas como Distinção Colibri, Distinção Pinguim  e  Distinção Condor para grandes projetos. A competição também concede prêmios a projetos com maior compromisso ambiental e social e certificados de participação no evento.