GT Ações Afirmativas se reúne para discutir acesso e permanência na UFAM

Na tarde desta quinta-feira (21), o Grupo de Trabalho Ações Afirmativas reuniu- se no mini-auditório da Pró-Reitoria de Inovação Tecnológica para discutir propostas de ações afirmativas para a Universidade. Na reunião, estiveram presentes representantes das pró-reitorias de Gestão de Pessoas (PROGESP), Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESP), Ensino de Graduação (PROEG) e Extensão (PROEXT). Também estiveram presentes na reunião representantes das secretarias de Estado da Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC) e dos Povos Indígenas (SEIND).

A reunião tratou de tópicos como acesso e permanência de estudantes indígenas, afrodescendentes, quilombolas e de comunidades tradicionais na Universidade. Várias propostas foram apresentadas, como cursos específicos para indígenas e quilombolas e a formação de professores quilombolas. Além destas, também houveram propostas de rever os projetos de assistência estudantil e rever critérios dos programas de apoio pedagógico.

Segundo o professor Gersem Baniwa, diretor do Departamento de Políticas Afirmativas (DPA) da PROEXT, o objetivo desta reunião, em caráter ampliado, foi o de consolidar um primeiro esboço de um documento que será entregue à Reitora da UFAM, no qual constará toda a Política de Ações Afirmativas da Universidade. “Nesta reunião, nós elaboramos um conjunto de diretrizes e propostas que vamos amadurecer ainda mais, antes de entregá-los à Reitora”, afirmou.

Para o professor Gersem, é mais do que importante que a Universidade tenha políticas afirmativas, pelo fato de se situar numa região de grande diversidade étnico-cultural. “Uma política de ação afirmativa é necessária para ampliar o atendimento destes segmentos sociais, que são os indígenas, os quilombolas, e os cidadãos de comunidades tradicionais para enriquecer a Universidade no campo dos saberes. Afinal, quando estas pessoas entram na UFAM, trazem uma série de saberes e conhecimentos que contribuem muito na formação acadêmica de todos nós”, finalizou o professor.

Resultado final das Provas de Revalidação de Diploma Estrangeiro

A Faculdade de Odontologia (FO) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) por meio da Comissão de Revalidação de Diplomas e da Comissão de Exames e Provas (CEP) divulga resultado final das provas de Revalidação de Diploma Estrangeiro. Confira o resultado.

MEC suspende autorização de inscrições do GEAP

 

 

A Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp) informa que está suspensa a autorização de inscrição de beneficiários nos planos de saúde administrados pela GEAP Autogestão em saúde. A suspensão está de acordo com o ofício nº 11/ 2015, emitido no dia 20 de abril de 2015 da SEGEP/MP por determinação do Tribunal de Contas da União (TCU), baseada na representação formulada pela Golden Cross – Assistência Internacional Ltda. junto àquele Tribunal contra Convênio nº 001/2013, firmado entre a União, por meio do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, e a GEAP Autogestão em Saúde em 2013.

 

 

Certificado de participação da Corrida dos Calouros já está disponível

A Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (Proeg) informa aos participantes da I Corrida do Calouro, realizada no dia 24 de abril, que já se encontra disponível no sistema de eventos da UFAM (eventos.ufam.edu.br) o certificado dos corredores.

Para acessá-lo, o aluno deve logar no sistema com o cadastro usado na inscrição e, em seguida, ir ao menu lateral Consultas > Meus Certificados. Aos que fizeram a inscrição no dia da Corrida, pessoalmente, os certificados devem ser retirados junto ao Departamento de Matrícula da Proeg. Mais informações pelos telefones: (92) 3305-1481 / 1482.

 

Notícia relacionada: 

UFAM promove I Corrida dos Calouros em ritmo de festa

Professor da FT escreve obra para promover indicadores de sustentabilidade sobre resíduos sólidos

 

Publicação tem como locus, o Polo Industrial de ManausPublicação tem como locus, o Polo Industrial de Manaus

O professor da Faculdade de Tecnologia (FT) João Bosco Ladislau de Andrade reuniu, na noite da última segunda-feira, 18 de maio, professores, colegas e amigos para o lançamento do livro "Indicadores de sustentabilidade, aplicações a gestão de políticas públicas para os resíduos sólidos industriais: uma contribuição com o foco no Polo Industrial de Manaus". A publicação é resultado da jornada do professor e pesquisador durante o projeto final em virtude do pós-doutorado. Os resultados foram apresentados aos pares no hall do Museu Amazônico, no Centro de Manaus. 
 
Segundo o autor, a obra foi construída seguindo características peculiares, iniciadas ainda durante seu aperfeiçoamento na Academia. Ele afirma que no mestrado, debruçou-se sobre a temática "resíduos domiciliares", no doutorado, acerca dos resíduos hospitalares" e no pós-doutorado, lançou como tema "os resíduos sólidos industriais", construindo, dessa forma, um nicho do estudo tendo em vista a baixa produção bibliográfica acerca dos materiais e seu devido manejo. 
 
"Focamos no polo industrial de Manaus com a intenção de construirmos um modelo de indicadores cuja finalidade é auxiliar gestores tanto da iniciativa pública, quanto da privada ou mesmo particulares e a própria sociedade, para que possam perceber seu caminhar na direção da sustentabilidade", explicou. 
 
O professor disse, também, que a maior dificuldade foi o do acesso à informação. "A questão dos resíduos requer uma busca massiva, por ser um assunto inerente aos dias atuais em que discutimos a coletividade, progresso em detrimento do meio ambiente. Fico feliz de termos concluído essa missão e vermos a receptividade da sociedade para com a obra e, ainda, ver uma das empresas junto a qual buscamos os dados e a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), interessados em obter o diagnóstico e fazer uso dele para melhoria da dinâmica de descarte de seus resíduos", informou. 
 

Autor do livro, prof. João Bosco Ladislau e pró-reitora da Protec, profa. Socorro ChavesAutor do livro, prof. João Bosco Ladislau e pró-reitora da Protec, profa. Socorro Chaves

Representando a reitora da Universidade, professora Márcia Perales Mendes Silva, a pró-reitora de Inovação Tecnológica (Protec), professora Socorro Chaves, pronunciou-se reafirmando o compromisso da Universidade Federal de apoiar e incentivar o desenvolvimento científico e tecnológico do corpo de pesquisadores da UFAM. 
 
"Para nós, é um orgulho e satisfação termos a oportunidade de publicarmos este livro. Ele realmente trará contribuições significativas ao Estado, à região, em especial aqueles que têm compromisso com as políticas públicas", garantiu.
 
A pró-reitora afirma que a obra passa a fazer parte de algumas publicações desde que a o Parque Científico e Tecnológico foi idealizado, arregimentando mais de 800 pesquisadores. 
 
"Quero lhe parabenizar pela obra, por toda sua vida dedicada à pesquisa e desejar que ainda possa contribuir mais. Concordo quando o senhor frisa a ideia de que, para se ter mudança, a sustentação de um novo paradigma e sustentabilidade, é preciso uma sociabilidade política no relacionamento entre as pessoas", concluiu. 
 

PROGESP realizará emissão de crachá funcional entre os dias 21 e 22 de maio

 

A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp), por meio do Departamento de Saúde e Qualidade de Vida (DSQV), informa que realizará nos dias 21 e 22 de maio, nas dependências da Pró-Reitoria, a emissão de crachás funcionais, ressaltando que será designada uma equipe responsável por fotografar os servidores que não levarem foto 3x4. Contracheque, RG e CPF devem ser apresentados na oportunidade.

VIP recebe 75 alunos do Martha Falcão nos dias 21 e 22 de maio

Alunos de duas turmas do 3º ano do ensino médio do colégio Martha Falcão visitam o Campus Universitário Senador Arthur Virgílio Filho na quinta-feira (21), e sexta-feira (22), pela parte da manhã, com o objetivo de conhecer a dinâmica institucional de uma universidade pública federal.

A visita faz parte da programação da escola em apresentar futuros locais em que os estudantes poderão fazer um curso de ensino superior de qualidade. Participam da visitação 75 alunos que almejam se tornar acadêmicos da Universidade no ano de 2016.

Os visitantes serão recepcionados pela coordenação do VIP que programou um roteiro levando em consideração a solicitação do setor de Psicologia do colégio, representado pela profissional Elenara Perin. Os estudantes estarão acompanhados de professores e psicólogos e do colégio, que conhecerão as áreas de direito, biológicas e engenharias.

Serão visitados laboratórios, projetos de extensão e os setores Norte e Sul do Campus, possibilitando aos possíveis futuros acadêmicos um olhar diferenciado sob a relevância da Instituição no contexto amazônico, bem como destacar a importância de se ingressar em curso de nível superior, em especial em uma universidade pública federal.

O VIP já recebeu diversificados grupos de visitantes, como comunidades indígenas, estudantes da Ufam, docentes e discentes da rede pública e privada de ensino, de universidades estrangeiras, intercambistas, dentre outros visitantes.

Sobre o VIP

Desde 2008, o Programa possibilita aos públicos interno e externo da Universidade um conhecimento maior sobre o funcionamento da instituição, apresentando as ações e as atividades desenvolvidas pelos seus diversos setores. Além disso, o visitante pode observar toda a dinâmica da instituição, por meio de visitas aos laboratórios, bibliotecas, cursos e também aos projetos de pesquisa e extensão. O VIP é coordenado pela professora Célia Carvalho, do departamento de Comunicação Social, e pelos servidores do ICHL Jairo Ferraz (diretor de produção) e Sebastião Simplício (técnico em telecomunicação).

As visitas podem ser agendadas via e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

Professora da Escola de Enfermagem da UFAM é a única representante brasileira do `Nimbios investigate Workshop´

O `Nimbios Investigate Workshop´ é o evento que ocorre de 26 a 28 de maio, na Universidade Estadual do Tennessee, dos Estados Unidos da América, em que pesquisadores discutem as condições de saúde pública e os desafios que enfrentam as populações locais e os tipos de dados que são necessários para um projeto de modelagem matemática de Malária e Leishmaniose, duas importantes doenças parasitárias do mundo.

De um grupo de 40 participantes, Maria Jacirema, professora da UFAM, é a única representante do Brasil. O foco desta edição é identificar os desafios para o controle de infecção da malária-leishmaniose, assim como modelar matematicamente a complexidade envolvida na propagação dessas infecções em regiões de recursos limitados.

Sobre Maria Jacirema Ferreira Gonçalves

Possui graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Escola de Enfermagem de Manaus (1993), mestrado em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia pela Universidade Federal do Amazonas/Ufam (1999) e doutorado em Saúde Coletiva - Área de concentração: Epidemiologia, pelo Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2007). Atualmente é pesquisadora em Saúde Pública no Instituto Leônidas e Maria Deane, Fiocruz-Amazônia, desde 12/2012. Atua como professora da Ufam nas disciplinas de Saúde Coletiva, Terapias Alternativas e Complementares, Vigilância em Saúde e Estágio Rural em Saúde Coletiva. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Epidemiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Epidemiologia, Enfermagem, Saúde e Ambiente, Análise de Dados Secundários e Avaliação em Saúde. É líder do grupo de pesquisa "Métodos Epidemiológicos e Análise de Situação de Saúde". Participa como docente do Programa de Pós-Graduação em Saúde, Sociedade e Endemias na Amazônia (UFAM-FIOCRUZ-UFPA), em que realiza orientações de mestrado e ministra a disciplina de Epidemiologia. É docente do curso de Mestrado em Enfermagem em Associação Ampla da Universidade do Estado do Pará com a Ufam (UEPA/UFAM), em que orienta alunos de mestrado e ministra as disciplinas de Métodos Quantitativos em Saúde, Enfermagem e Processos Endêmicos no Contexto Amazônico, e, Pensamento Contemporâneo e Pesquisa em Enfermagem. Desenvolve pesquisas na área de Epidemiologia de Doenças Infecciosas.

 

PROPESP divulga Edital para ingresso ao Curso de Doutorado em Imunologia Básica e Aplicada

A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESP) divulga edital nº 013/2015 que torna pública a abertura de inscrições e estabelece as normas para o Exame de Seleção de candidatos para ingresso no curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Imunologia Básica e Aplicada.

O período de inscrição ocorre entre os dias 8 e 25 de maio de 2015. O exame de seleção será realizado em três etapas. Poderão participar candidatos que, até a data da matrícula, tenham completado o curso de Mestrado devidamente reconhecido pela CAPES em Imunologia ou em áreas afins: das Ciências Biológicas, das Ciências da Saúde, da Diversidade Biológica, da Biotecnologia, das Ciências Farmacêuticas e da Química.

Mais informações através do Edital.

Antropólogo Lino de Oliveira Neves participa de Seminário Internacional na Bolívia

Prof. Lino João NevesProf. Lino João NevesEntre os dias 26 de maio a 3 de junho, será realizado em La Paz, Bolívia, o Seminário Internacional “La situación de la explotación de oro em el contexto sudamericano”, que tem por objetivo tornar público os trabalhos realizados por estudiosos sulamericanos na metade de 2014, e apresentar o livro que reúne todas as pesquisas. Além disso, serão realizadas oficinas e atividades com visitas técnicas, que irão discutir acerca do projeto de pesquisa no que diz respeito ao monitoramento da exploração do ouro.

O evento será promovido pelo Centro de Estudios para el Desarrollo Laboral y Agragrio (CEDLA), entidade que acompanha as questões trabalhistas e desenvolvimentos regional, ambiental e indígena, e contará com a presença de diversos representantes dos países da América do Sul. Dentre estes, o professor Lino de Oliveira Neves do departamento de Antropologia da Ufam, que representará a Amazônia, e possui um artigo publicado na coletânea de pesquisas.

As pesquisas fazem parte do projeto “El oro em la economia mundial y su impacto económico, social y ambiental em la región sudamericana”, que objetiva saber a situação da exploração do ouro, focando em aspectos  de ordem econômica, qual impacto econômico da exploração; ordem social e ambiental, qual impacto nas mediações indígenas, ribeirinhas e reservas florestais.

O professor, que é responsável pela análise da questão do ouro na Amazônia, apresentará o pensamento amplo dos pesquisadores amazônicos e levará propostas no que diz respeito à atividade exploratória do ouro. “A exploração do ouro foi intensificada na última década por vários aspectos, os principais são o alto valor comercial do ouro e as novas tecnologias. Com auxílio dessas novas tecnologias, os pequenos resquícios de áreas, antes dadas como esgotadas, voltaram a ser economicamente viáveis”, disse. 

Seleção simplificada para professor bolsista do Núcleo de Língua da Ufam ocorre até 20 de maio

A coordenação administrativa do Programa Inglês sem Fronteiras na Ufam abre inscrições para o Processo Seletivo Simplificado para Professor Bolsista do Núcleo de Línguas da Ufam, de acordo com o edital nº 01/2015.  As inscrições ocorrem até o dia 20 de maio, por meio do preenchimento do formulário on-line disponível no link https://goo.gl/3y3Cuu., com envio de documentação digitalizada  para o e-mailO endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O referente processo é subordinado ao Programa Idiomas sem Fronteiras (IsF - Inglês) do Ministério da Educação, que tem como objetivo principal incentivar o aprendizado do idioma inglês, bem como propiciar uma mudança abrangente e estruturante no ensino de idiomas estrangeiros nas universidades do País, sendo uma das ações previstas pelo programa  a oferta de cursos presenciais de língua inglesa a alunos com perfil para o Ciência sem Fronteiras (CsF) e outros programas de mobilidade estudantil. Assim, o objetivo do curso de inglês é preparar os estudantes para os exames de proficiência exigidos pelas universidades estrangeiras parceiras e para a experiência linguístico-cultural no processo de internacionalização.

Os candidatos selecionados assinarão contrato de um ano e serão remunerados com recursos provenientes da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, com bolsa mensal equivalente aos valores da bolsa de Mestrado. A contratação poderá ser renovada por mais um ano.

Para se inscrever (somente pela internet) o candidato deverá apresentar os seguintes documentos: comprovação de vínculo com instituição pública: com número de matrícula escolar (para alunos de graduação e pós-graduação), Siape da IES (no caso das federais) ou registro específico de outras instituições públicas; Documento oficial de identidade com foto; Curriculum Vitae, preferencialmente da Plataforma Lattes, acompanhado de documentação comprobatória dos títulos acadêmicos e da experiência profissional;  comprovante válido de proficiência em língua inglesa, em nível mínimo C1;

 

            

Anexos:
Fazer download deste arquivo (EDITAL_SELECAO_NUCLI.pdf)Acesse Edital[ ]263 kB

Lact debate doenças relacionadas ao tórax durante seu I Simpósio

Evento aconteceu na Faculdade de MedicinaEvento aconteceu na Faculdade de Medicina

A Liga Acadêmica de Cirurgia Torácica do Amazonas (Lact), da curso de Medicina da Universidade Federal do Amazonas, promoveu nesta quinta-feira, 14, seu I Simpósio, abordando como temas centrais " Atualizações no Tratamento do Câncer de Pulmão", "Atendimento Inicial Trauma-Torácico" e "Videoceratoscopia em cirurgia torácica", com professores da própria Faculdade. 

 
O Simpósio aconteceu no auditório dr. Zerbini, da Faculdade de Medicina da UFAM, localizado na rua Afonso Pena, no Centro. Segundo o presidente da Liga, Saullo Monteiro, o principal objetivo do evento era aproximar os alunos de graduação a conhecerem a especialidade de forma mais aprofundada, arregimentando novos acadêmicos a participarem de atividades de extensão voltadas à comunidade. 
 
"Uma das nossas funções como grupo é mobilizar os discentes a produzirem conhecimento por meio da realização de pesquisas a serem apresentadas em Congressos e eventos científicos, mas também atuar diante de questões sociais, então nós nos organizamos para isso, para ajudar a população com o que aprendemos aqui. Antes da fundação da Lact estávamos trabalhando junto à Liga de Pneumologia, agora buscaremos reforçar nossas ações", explicou.  
 

Aluna atesta importância do eventoAluna atesta importância do evento

Para a acadêmica do 9 período, Solange Costa, participar do evento agrega conhecimento ao que já foi aprendido dentro de sala de aula. 
 
"Esses eventos ampliam nossa compreensão do assunto, porque de certa forma, atualizam o aluno sobre o que vem sendo discutido acerca de novos tratamentos, tecnologias e a doença em si", considerou ela. 
 
O professor-coordenador do Lact, José Neto, foi um dos palestrantes do Simpósio. Para uma plateia com alunos a partir do quarto período, ele abordou o "Atendimento Inicial Trauma-Torácico. 
 
"Quando o aluno assiste às aulas sobre a especialidade, o que acontece já próximo do fim da graduação, ele estuda o assunto de forma quase superficial, então aproveitamos essas oportunidades para trabalhar a Cirurgia Torácica como um importante viés do conhecimento pelo qual eles podemenveredar", afirmou. 
 
O professor e vice-coordenador do Lact, Luiz Carlos de Lima, também ministrou palestra durante o evento. Falando sobre "Atualizações no Tratamento do Câncer de Pulmão", ele chamou a atenção para segundo lugar no ranking de casos de câncer de pulmão. Segundo ele, o câncer de pulmão está fundamentalmente ligado ao consumo do cigarro e atinge, em sua maioria, homens, embora as mulheres estejam aumentando a incidência por estarem, também, fumando.   
 
"O diagnóstico precoce ainda é um desafio diante desse sistema de saúde que temos. Do total dos casos em que se atesta o câncer, 80% deles aparecem sem condições de cirurgia, que é a medida prioritariamente adotada para salvar o paciente. Então o que preconizamos é identificar esse grupo de risco, fumantes, acima de 40 anos e com características inerentes a complicações no pulmão, para que recebam o devido encaminhamento, diminuindo assim, para menos de seis meses esse diagnóstico tardio", afirmou.     

Professores aprovam indicativo de greve

Professores da Ufam decidiram em assembleia, nesta quinta-feira, 14, aprovar o indicativo de greve da categoria para o dia 27 de maio. A decisão foi por voto da maioria que compareceu ao auditório da Associação dos Docentes da Ufam (ADUA) pela manhã.  Foram 67 votos a favor do indicativo e 30 contra.

Antes da Assembleia, houve um ato público de mobilização organizado pela ADUA e pelo Sintesam na entrada do campus seguido de uma carreata que percorreu os setores Sul e Norte.

A assembleia foi dirigida pelo presidente da Associação, professor José Alcimar de Oliveira.

“Nossa pauta, especificamente, não é só por questões salariais, mas por melhores condições de trabalho. São várias condições que dificultam o trabalho dos docentes no país", destacou o presidente da ADUA.

O professor do curso de História, Glauber Biazo, ressaltou a importância da ampliação do debate sobre a greve para a Carreata percorreu o campusCarreata percorreu o campusdecisão dos próximos passos. “É importante que se amplie o debate sobre a greve e a posição do governo diante das reivindicações do movimento para definir o próximo passo”, disse o professor.

No dia 27 de maio ocorre uma assembleia que decidirá se a categoria entra em greve. O local ainda não foi definido pela diretoria da ADUA.

 

Fundação de Vigilância em Saúde abre inscrições para programa de iniciação científica

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas, vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), disponibiliza o Edital nº 01/FVS, que torna pública a abertura de inscrição de alunos de graduação, de universidades públicas e privadas, para seleção de 10 bolsistas no Programa de Apoio à Iniciação Científica (PAIC), edição 2015/2016. O Programa é desenvolvido por cooperação técnica entre a FVS-AM e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

As bolsas terão vigência de Agosto de 2015 a Julho de 2016, no valor mensal de R$400 e serão distribuídas nas áreas de vigilância em saúde. São elas: Ambiental (doenças transmitidas por vetores, zoonoses, geoprocessamento), Sanitária, Epidemiológica (doenças transmissíveis, crônicas não transmissíveis), Laboratorial (biologia molecular, bacteriologia, imunologia), Sistemas de Informação (SINAN, SIM, SINASC), Surtos, Epidemias.

A duração da bolsa será no máximo de 12 (doze) meses por edição, e a carga horária será de 20h semanais. O PAIC/FVS foi criado com a finalidade de disseminar o conhecimento científico através do envolvimento dos estudantes de graduação em todo o processo de investigação, e além disso, desperta nos alunos a experiência prática e o desenvolvimento de habilidades em pesquisas.

O Edital nº 01/FVS/PAIC (2015/2016) poderá ser acessado no anexo. Informações adicionais poderão ser obtidas junto ao Núcleo de Pesquisa da Assessoria Técnica da FVS-AM, com a coordenação do PAIC/FVS-AM, pelo telefone (92) 3182-8567/ 98404-5666 ou por meio do endereço eletrônico O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

Anexos:
Fazer download deste arquivo (EDITAL PAIC FVS 2015_2016_17_04_2015_II.pdf)Edital PAIC/FVS-AM 2015-2016[ ]117 kB

Núcleo de Línguas abre seleção para professor bolsista

A coordenação administrativa do Programa Idiomas sem Fronteiras na UFAM divulga as inscrições para o Processo Seletivo Simplificado para Professor Bolsista do Núcleo de Línguas da Ufam (edital nº 01/2015).

O referente processo é subordinado ao Programa Idiomas sem Fronteiras (IsF - Inglês) do Ministério da Educação, que tem como objetivo principal incentivar o aprendizado do idioma inglês, bem como propiciar uma mudança abrangente e estruturante no ensino de idiomas estrangeiros nas universidades do País, sendo uma das ações previstas pelo programa  a oferta de cursos presenciais de língua inglesa a alunos com perfil para o Ciência sem Fronteiras (CsF) e outros programas de mobilidade estudantil. Assim, o objetivo do curso de inglês é preparar os estudantes para os exames de proficiência exigidos pelas universidades estrangeiras parceiras e para a experiência linguístico-cultural no processo de internacionalização.

Os candidatos selecionados assinarão contrato de um ano e serão remunerados com recursos provenientes da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, com bolsa mensal equivalente aos valores da bolsa de Mestrado. A contratação poderá ser renovada por mais um ano.

Para se inscrever (somente pela internet) o candidato deverá apresentar os seguintes documentos: comprovação de vínculo com instituição pública: com número de matrícula escolar (para alunos de graduação e pós-graduação), Siape da IES (no caso das federais) ou registro específico de outras instituições públicas; Documento oficial de identidade com foto; curriculum Vitae, preferencialmente da Plataforma Lattes, acompanhado de documentação comprobatória dos títulos acadêmicos e da experiência profissional; e comprovante válido de proficiência em língua inglesa, em nível mínimo C1.

A inscrição será feita, até o dia 20 de maio, por meio do preenchimento on-line no link disponível no edital, com envio de documentação para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Anexos:
Fazer download deste arquivo (EDITAL_SELECAO_NUCLI.pdf)Edital de Seleção NucLI[ ]263 kB

Líder indígena reflete sobre crise entre conhecimento tradicional e científico

No terceiro e último dia do curso "Conhecimentos Tradicionais no Tempo da Globalização", o professor e líder indígena Higino Tenório Pimentel falou sobre crise e soluções na transmissão do conhecimento tradicional. A palestra, que aconteceu na manhã desta quinta-feira, no Auditório da Faculdade de Direito da UFAM (FD/UFAM), localizado no Setor Norte do Campus Universitário Senador Arthur Virgílio Filho, em Manaus, fez parte das programações do curso, promovido pela Pró-Reitoria de Inovação Tecnológica (Protec) 

Leia mais...

Líder indígena Higino Tenório reflete crise entre conhecimento tradicional e científico

No terceiro e último dia do Curso  “Conhecimentos Tradicionais: no tempo da globalização”, promovido pela Pró-Reitoria de Inovação Tecnológica (Protec) ocorrido nesta quinta-feira (14), no auditório da Faculdade de Direito (FD), o líder indígena e professor Higino Tenório Pimentel, proferiu a palestra `Crise e Soluções na Transmissão do Conhecimento Tradicional´.

Leia mais...

`Sensacionalismo jornalístico´ é tema de minicursos e palestras promovidos pelo PPGCCOM

Na manhã desta quarta-feira, 13, no auditório Rio Negro, do Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL), o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da UFAM (PPGCCOM), deu início à programação de minicursos e palestras sobre sensacionalismo jornalístico, que vai até sexta, 15.  

Para tratar sobre os temas, o PPGCCOM convidou a coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), professora Márcia Franz Amaral, doutora em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS).

Sobre o minicurso `O popular, o sensacional e o sensacionalismo no discurso jornalístico´ a Pesquisadora apresentou ao público presente, em sua maioria acadêmicos de Jornalismo, um balanço de jornais populares que ela já estuda desde sua tese de doutorado, concluída em 2004.

“Aqui para o Curso eu fiz uma preparação pensando em vários exemplos de jornais populares. Então, em alguns momentos vamos discutir as matrizes culturais que estão imersas nesses jornais, os critérios de noticiabilidade, e um pouco do conceito de sensacionalismo. Então vou ilustrando o minicurso a partir de questões teóricas que trago para a discussão’’, esclarece a Pesquisadora.

Jornais populares são estudados pela Professora desde 2000, justamente o ano considerado pela mesma como o boom desses produtos. Lançamentos destinados à classe C, o principal mercado de consumo. E eles trazem um pouco do que já existia antigamente de sensacionalismo.

Esses novos jornais instigaram a Docente a estudá-los, e também porque muitos pesquisadores da área de Comunicação, na época, ignoravam esses veículos tradicionais pois consideravam de baixa qualidade jornalística. “Embora eu até possa concordar que eles são um lixo, degradação, jornalismo de baixa qualidade, há questões culturais aí que fazem com que esses jornais ganhem sucesso. Então isso me instigou a pesquisá-los sobre uma outra perspectiva’’, justifica a Professora.

Contribuições do debate para o curso de Jornalismo

Larissa Cavalcante, acadêmica do 3º período do curso de Jornalismo da UFAM, vê o tema como sendo necessário para o Curso pois trata de um debate atual, que poucos conhecem. “Eu faço uma disciplina chamada Comunicação Comunitária, e lá a gente já vem discutindo essa questão do jornalismo popular. Essas atividades interdisciplinares te proporcionam uma discussão, um conhecimento a mais na graduação”, reforça a Acadêmica.

A resposta de Larissa vai ao encontro de um dos objetivos da professora Márcia Franz, assim que foi convidada a ministrar o minicurso: acumular uma discussão que possa garantir o mínimo de exercício ético da profissão.

“O curso de jornalismo precisa ter esta função: de dar um capital, uma herança para esses jornalistas, porque depois, mesmo na correria do cotidiano, eles possam então estar mais críticos, ou pelo menos mais vigilantes eticamente, pra que possam exercer sua função da melhor maneira possível”, disse a Professora.

Programação continua na quinta e sexta

Na quinta, 14, a professora Márcia Franz participa de uma banca de mestrado do PPGCCOM pela manhã, e à tarde, 14h, ministra novamente o minicurso `Sensacionalismo no discurso jornalístico´, desta vez, na sala 16 do bloco Mário Ypiranga Monteiro, do ICHL, setor norte do Campus Universitário.

Já na sexta-feira, 15, acontece às 09h, no auditório Rio Negro do mesmo Instituto, a mesa-redonda `A cobertura jornalística nas catástrofes ambientais´. Além da Pesquisadora, a Mesa contará com a participação do professor Wilson Nogueira, do PPGCCOM. A cobertura sensacional, catastrófica da informação, será discutida nesse segundo tema.

Além da programação científica, apresentações artísticas regionais também estão nos 3 dias de Evento, que tem o apoio do governo do Estado, via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). As inscrições podem ser feitas no local, e são gratuitas.

Palestra orienta pesquisadores para publicação de artigos na revista Science

Palestrante Ana Paula HessePalestrante Ana Paula Hesse

A coordenação do Sistema de Bibliotecas da Ufam promoveu nesta quarta-feira, 13, por meio do projeto da Biblioteca Central Oficina do Conhecimento, a palestra “Política editorial da revista Science”. A palestra ocorreu no auditório Samaúma na FCA e foi ministrada pela representante da Science no Brasil, Ana Paula Hesse.

A Oficina do Conhecimento se configura como uma série de eventos promovido pelo Sistema de Bibliotecas da Ufam (SISTEBIB/Ufam), com o objetivo de apoiar a geração de conhecimento científico no âmbito da pós-graduação, da pesquisa e da inovação na comunidade acadêmica.

Ana Paula Hesse explicou as características de um artigo acadêmico para ser aceito na revista científica americana. A revista é mundialmente conhecida com mais de 24 milhões de downloads de matérias por ano e tem critérios rígidos para publicação. A palestrante orientou ao público presente os critérios de seleção de artigos para serem publicados. Um deles, que elimina vários artigos no processo de seleção, é o ineditismo. O trabalho não pode ter publicação anterior. Não pode ser disponibilizado em meio eletrônico público. Vários trabalhos enviados para revista, segundo a palestrante, são eliminados no primeiro momento da seleção porque já foram publicados.

A palestra faz parte de uma iniciativa do Sistema de Bibliotecas da Ufam direcionada para os programas de pós-graduação. “Essa palestra faz parte de um conjunto de atividades que desenvolvemos neste semestre para a pós-graduação que chamamos de ‘Oficina do Conhecimento’. É uma maneira do Sistema de Bibliotecas incentivar a visibilidade da produção científica feita na Universidade. É papel do Sistema dar essa visibilidade a produção científica da instituição. É importante explicar a forma correta de apresentação de um trabalho científico”, disse a diretora da Biblioteca Central Célia Simoneti.

“É uma das revistas mais importantes na área de pesquisas do mundo. A revista science é reconhecida mundialmente e dáDiretora Célia Simoneti fala ao públicoDiretora Célia Simoneti fala ao público uma enorme visibilidade ao autor ou a instituição ao qual ele pertença. A minha vinda aqui é para mostrar a forma adequada de apresentação de um artigo para publicação na revista. Cada publicação possui suas características e estamos aqui para orientar os pesquisadores da Ufam”, explicou a palestrante Ana Paula Hesse.

A estudante do Programa de Pós-Graduação em Agronomia Tropical da Ufam, Sammy Aquino, destacou a importância de saber o foco da revista científica para publicar um artigo. “Achei interessante porque quando o estudante conclui a pesquisa ele não sabe onde publicar o artigo. Você tem que pesquisar em quais revistas é possível a publicação e isso leva tempo. Quando você dispõe de informações desse tipo facilita o trabalho. Espero que ocorram outras palestras com este conteúdo. A iniciativa foi interessante”, concluiu a estudante Sammy Aquino.

 

 

PET Biologia promove palestra sobre comportamento animal

 Damy Caroline, aluna do 5º período de Ciências BiológicasDamy Caroline, aluna do 5º período de Ciências BiológicasO Programa de Educação Tutorial do curso de Ciências Biológicas (PET Biologia) promoveu nesta quarta-feira, 13, a palestra "Assimetria do Cérebro e Comportamento em Animais", tendo como palestrante a petiana Damy Caroline, do 5º período, do curso de Ciências Biológicas. Orientada pela professora Rosany Piccolotto, a aluna ministrou uma palestra baseada em estudos recentemente realizados acerca do comportamento animal.

O evento aconteceu às 13h no segundo andar do bloco Paulo Burheim, sala 13, setor sul do Campus Universitário, e teve duração de 1h. No que diz respeito ao conteúdo da palestra, foi comentado sobre o comportamento animal desde o período embrionário até a fase adulta, assim como, conceitos de assimetria e laterização.Orientadora do PET Biologia, professora Rosany PiccolottoOrientadora do PET Biologia, professora Rosany Piccolotto

“Existem poucas pesquisas a respeito de animais amazônicos, não existe muito incentivo nessa área, principalmente para os animais aquáticos. Então resolvemos estudar sobre os peixes amazônicos para valorizar nossa ciência, e nossa fauna”, disse a petiana. A linha de pesquisa do PET Biologia é direcionada aos aspectos fisiológicos da Matrinxã relacionados à melatonina.

SECONS divulga deliberações da reunião do CONSEPE

A Secretaria dos Conselhos da Universidade Federal do Amazonas divulga as deliberações realizadas na reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão-CONSEPE realizada nos dias 07 e 08 de maio de 2015.

Confira aqui.

CEPEAD/UFMG abre inscrições para DINTER em parceria com a UFAM

Estão abertas as inscrições para a seleção de candidatos ao Doutorado Interinstitucional (DINTER) em Administração do Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração da Universidade Federal de Minas Gerais (CEPEAD/UFMG), feito em parceria com a UFAM.

As inscrições deverão ser feitas em duas etapas: primeiramente, pelo preenchimento e envio online do Formulário de Inscrição no site do CEPEAD (www.cepead.face.ufmg.br); e depois, pela entrega da documentação complementar na Sala do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração da UFAM, localizada na Faculdade de Estudos Sociais, setor Norte do Campus Universitário Senador Arthur Virgílio Fiho, em Manaus.

Serão oferecidas 15 vagas, distribuídas nas seguintes linhas de pesquisa: Estudos Organizacionais e Sociedade; Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional; Finanças; e Mercadologia, Administração Estratétgica e Operações.

Para mais informações, ler o edital anexo a esta matéria.

Anexos:
Fazer download deste arquivo (Edital_DINTER correto.pdf)Edital DINTER UFMG-UFAM[ ]130 kB

Comunicado- Biblioteca Setorial Setor Sul

Protec promove segundo dia de apresentações do Curso Conhecimentos tradicionais

Discutir os diferentes conhecimentos e orientar para uma abordagem conceitual e operacional dos conhecimentos tradicionais é o que visa o “Curso de Conhecimentos Tradicionais no Tempo da Globalização”, promovido pela Pró-Reitoria de Inovação Tecnológica (Protec). O curso acontece no auditório da Faculdade de Direito (FD) com término nesta quinta-feira (14), no período matutino.

Leia mais...

Protec realiza abertura de curso

Professor Lino João Professor Lino João

A Pró-Reitoria de Inovação Tecnológica realizou nesta manhã de terça-feira, a abertura do “Curso de Conhecimentos Tradicionais no Tempo da Globalização”, no auditório da Faculdade de Direito. O Curso ocorre durante três dias (12, 13 e 14) e será ministrado pelos professores Lino João Oliveira Neves, Maurízio Fraboni e Higino Tenório Pimentel.

A solenidade de abertura contou com a apresentação dos três palestrantes, que atuam na Licenciatura Indígena em políticas Educacionais e Desenvolvimento Sustentável da Ufam, que expuseram aos participantes o conteúdo que irão trabalhar durante os três dias do curso.

O Conhecimento tradicional no tempo da Globalização, Sociedades plurais-conhecimentos plurais e Crise e soluções na transmissão do conhecimento tradicional serão os temas abordados durante o curso. O objetivo é a discussão dos diferentes conhecimentos e orientar uma abordagem conceitual e operacional dos conhecimentos tradicionais. Existem diversos povos no planeta que reproduzem diversos espaços e suas culturas diferentes.  

O professor Lino João Oliveira Neves destacou as várias formas de conhecimento de povos tradicionais no mundo inteiro. “É um curso de iniciativa da Protec e nasceu de um projeto que coordenei no ano passado chamado ‘Saberes Amazônicos conhecimentos tradicionais e inovação tecnológica’. Fomos convidados para ministrar esse curso com o objetivo de atualizar os servidores da Ufam de uma nova concepção do que são os conhecimentos tradicionais. A ideia é mostrar que além do conhecimento científico, que rege e orienta nossa vida na sociedade moderna, existe uma série de outros conhecimentos produzidos pelos povos tradicionais. Toda sociedade tem um conjunto de saberes que a fundamenta. O conhecimento tradicional constrói sua forma de explicação dos fenômenos naturais e sociais”, afirmou Lino João.

“A questão fundamental é como o conhecimento tradicional pode ser legitimado. O conhecimento tradicional não temMaurízio FraboniMaurízio Fraboni somente um valor cultural, mas há um valor material ligado à cultura. Os europeus compram guaraná dos Sateré-Mawé para aprenderem novos conhecimentos. O modelo de conhecimento dessa etnia envolve o uso do guaraná. Não é o produto em si que é comprado, mas o conhecimento agregado”, disse Maurízio Fraboni.

 

 

A estudante de Letras da Universidade do Estado do Amazonas, Otacilene dos Santos Rodrigues, disse que é importante a sua participação no curso para ampliar o conhecimento. “Um amigo me informou do curso e me inscrevi. Sou da etnia Sateré-Mawé e estou aqui para participar do curso e ampliar o conhecimento. A produção cultural dos povos tradicionais tem regredido e quando ocorre eventos deste tipo é importante para despertar o valor que os povos têm”, explicou a estudante. 

Curso de Zootecnia da UFAM comemora dia do Zootecnista com seminário científico e mercado de trabalho

No dia 13 de maio de 1966, deu-se a aula inaugural do primeiro curso superior de Zootecnia instalado no Brasil. Daí remonta a data comemorativa do dia do Zootecnista.  Atualmente existem 112 cursos no País. Mas a Zootecnia ainda é pouco conhecida pela sociedade.

Como forma de divulgar, e ao mesmo tempo comemorar os 49 anos de criação do Curso no País, professores e alunos do curso de bacharelado em Zootecnia da UFAM, realizaram durante todo o dia 12 de maio, ciclo de palestras sobre mercado de trabalho, e mostra de trabalhos científicos do Curso.

O Evento aconteceu no auditório Samaúma, da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), e foi organizado pela coordenação do Curso de Zootecnia, juntamente com o Laboratório de Forragicultura e Pastagem (Lafopast), alunos do Grupo de Pesquisa - Pastagem e Ensilagem na Amazônia Ocidental (Peao), projeto de extensão Café Científico do Laboratório de Anatomia e Fisiologia Animal (Lafa), Centro Acadêmico de Zootecnia (CAZOO), e acadêmicos da empresa júnior de Zootecnia (ZTec), incubada na UFAM.

A abertura do Evento contou com a participação do diretor da FCA, professor Neliton Marques da Silva, do coordenador do curso de Zootecnia, professor Jacobs Dias, da coordenadora do Café Científico, professora Roseane de Oliveira, do presidente do CAZOO, Cesário Velasquez, e da acadêmica do Curso, Tamires Moraes.

II Seminário de Produção Animal                                                              

Dentro da programação do Evento, houve a apresentação de uma mostra de trabalhos científicos desenvolvidos por acadêmicos de Zootecnia. Ao todo, quatro pesquisas foram apresentadas.

A primeira foi a do pesquisador Ewerton Tanaka, cujo trabalho foi sobre `Avaliação nutricional da silagem de resíduo úmido de cervejaria com a inclusão de níveis crescentes de milho´. Em seguida, Jéssica Damasceno apresentou os resultados da ´Avaliação de diferentes concentrações da farinha de maracujá (Passiflora edulis) como suplemento nutracêutico na ração de cães (Canis familiaris) obesos em Manaus´.

Tamires de Moraes foi a terceira com a ´Análise histológica e do intestino de Matrinxã, submetidos a diferentes níveis de substituição de milho pelo glicerol na ração´. Encerrando a mostra, Ramon Melo, do setor de Avicultura, apresenta a pesquisa sobre ´Horários de inseminação artificial sobre índices reprodutivos de matrizes semipesadas.´

Para o coordenador do curso de Zootecnia, professor Jacobs Dias, a inclusão dessas mostras de trabalhos científicos na programação do Evento veio com o objetivo de despertar o interesse dos alunos, principalmente os calouros, para a iniciação científica dentro do Curso. “Muitos escolhem a Zootecnia, mas poucos tiveram contato com as ciências agrárias”, destaca o Coordenador.

Mercado de Trabalho

Mesa de abertura. Ao centro, diretor da FCAMesa de abertura. Ao centro, diretor da FCA

Além da programação científica, os acadêmicos de Zootecnia também tiveram a oportunidade de conhecer atual cenário do mercado de trabalho para o Zootecnista no Amazonas. Palestras sobre a importância do estágio para a empregabilidade, empreendedorismo, consultoria, e mais uma mesa-redonda com um ex-aluno do Curso já inserido no mercado, encerraram as comemorações antecipadas ao dia do Zootecnista.

Para o diretor da FCA, professor Neliton Marques da Silva, o curso de Zootecnia da UFAM tem uma valorosa importância para o Amazonas pois trata da qualidade dos alimentos de origem animal, fundamental para a saúde da população amazonense. E a busca dessa qualidade precisa ser em menor tempo, e custos.  

Fórum das Licenciaturas discute estágio supervisionado e programas de iniciação à docência

Nesta terça-feira (12), o Auditório Paulo Bürhnheim, situado no Instituto de Ciências Biológicas, Setor Sul do Campus Universitário Senador Arthur Virgílio Filho, em Manaus, recebeu a II Assembleia do Fórum das Licenciaturas da UFAM. O Fórum é uma iniciativa da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PROEG) em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão (PROEXT), e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Profa. Irlane Maia, do ICBProfa. Irlane Maia, do ICBSegundo a professora Irlane Maia, da Licenciatura em Ciências Naturais e uma das coordenadoras do Fórum, o propósito do evento é estabelecer um espaço de diálogo entre os cursos de licenciatura da UFAM. “Dentro deste espaço, nós queremos trazer discussões que possam buscar melhorias no processo de formação de professores”, ressaltou Maia.

Durante a manhã, foram discutidos tópicos relacionados ao estágio supervisionado nos cursos de licenciatura. No período da tarde, as discussões foram em torno do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) como um programa e processo de formação inicial de professores.

Ainda segundo a professora Irlane, houve uma grande evolução desde a primeira assembleia. “Nós estamos com uma participação muito maior. Também estão participando do evento dois professores do Ministério da Educação do Peru, que vieram para conhecer e observar o funcionamento do PIBID”, destacou.

A importância do debate

Alunos de diversos cursos de licenciatura da Universidade, como Música, História, Geografia e outros estiveram presentes no evento, como a aluna Fernanda Gadelha, do 1° período da licenciatura em Letras – Língua e Literatura Inglesa. Para ela, o Fórum veio como uma oportunidade de abrir a mente sobre dúvidas que os calouros possuem. “Aqui, nós estamos passando a conhecer as diversas possibilidades que nós temos dentro do curso, e esse é um momento que elas podem ser respondidas por alguém que tenha um profundo conhecimento na área”, afirmou.

Para a professora Cássia Nascimento, professora do Departamento de Literatura e Língua Portuguesa e presidente do Fórum, existir uma entidade Alunos de diversos cursos de licenciatura da UFAM estiveram presentes à AssembleiaAlunos de diversos cursos de licenciatura da UFAM estiveram presentes à Assembleiacomo essa é uma afirmação de que todos os processos de tomada de decisão é uma reflexão coletiva. “Se nós temos um fórum, nós podemos, a partir destas assembleias, realizar a troca de ideias com todos aqueles que podem contribuir com a Universidade em um processo contínuo de mudança e adequação legal para atender à comunidade na formação de professores”, salientou.

A professora também afirmou que todas as decisões tomadas no Fórum estão sendo registradas em ata. “A partir da organização destes documentos, nós vamos levá-los à Câmara de Ensino de Graduação (CEG) para que eles possam também discutir isso, para que os cursos de licenciatura possam conseguir reformar os seus projetos político-pedagógicos a partir desta troca de experiências”, finalizou.

Artefatos de 2 mil anos em exposição na zona Leste

Visitantes terão até início de junho para visitar mostraVisitantes terão até início de junho para visitar mostra

A Universidade Federal do Amazonas, por meio do Museu Amazônico, mantém, até o próximo 8 de junho, no Shopping Via Norte, a mostra Artefatos Arqueológicos e Etnográficos, em parceria com o próprio empreendimento comercial. A exposição abrange peças do acervo do Museu, do laboratório de Arqueologia da Universidade, contando com apoio de pesquisadores da Uatumã Arqueologia, Sociedade e Meio Ambiente. 
 
Alocado em um espaço de aproximadamente 100 metros quadrados, a mostra tem fragmentos cerâmicos, vasilhames datados dos séculos IV e IX, apliques cerâmicos, artefatos polidos e de rochas lascadas e até uma urna funerária, de pelo menos 2.000 anos, que até então não tinha sido exposta. Há, ainda, instrumentos musicais da etnia Sateré-Mawé diversos outros artefatos das etnias Baniwa e Tikuna.   
 
Segundo um dos organizadores do evento, professor Carlos Augusto, do Departamento de Ciências do Ambiente e colaborador do Museu Amazônico, contou que Manaus é uma das capitais brasileiras mais ricas em patrimônio arqueológico-pré-colonial.
 
"Tanto na área urbana, quanto no entorno, já foram localizados quase uma dezena de sítios. Na zona Leste, onde está localizado o empreendimento que abriga lojas e também, a exposição temporária, pesquisas sugerem que a região foi densamente ocupada por povos ainda não devidamente identificados", disse o professor. 

 
Equipe responsável pela Mostra Equipe responsável pela Mostra
Ele falou, ainda, que os primeiros registros dessas populações datam de 1669, mas não muito que se saiba por meio de escritos. A compreensão de suas origens e quem eram se baseiam nos materiais encontrados. 
 
"O bairro do Japiim é onde encontramos muitos desses pedaços de história, a qual sabemos que existem porque moradores da área os encontram e pensam que é um simples resto de construção. Para se ter uma ideia de sua importância, muito do que se consome hoje, foi certamente introduzido na nossa cultura por esses povos. Portanto, é muito importante conservar os materiais", frisou.   
 
De passagem pelo shopping, o morador do bairro Jhenisson Progenio se interessou em levar a família para conhecer a mostra. 
 
"Eu não sabia que havia tanta história aqui. Eu particularmente me interesso muito pelo assunto, procuro ler e me informar e esta é uma boa oportunidade de aprender", disse o visitante, que pode conferir cinco conjuntos de peças, cada conjunto variando com o quantitativo unitário até dez fragmentos.
 
Para a diretora do Museu Amazônico, professora Maria Helena Ortolan, os moradores da comunidade que circundam o shopping estão tendo a oportunidade de conhecer a história de seus antepassados. 
 
"Cada artefato desse traz consigo a cultura, a tecnologia desses povos. Estamos falando de milhares anos, mas eles tinham tecnologia, não foi trazido de fora para cá, eles tinham a própria. Ao contrário do que se pode achar, os que ingressaram na Amazônia estagnaram essa capacidade de solucionar as questões cotidianas", contou. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

I Círculo de Palestras sobre Cultura e Literatura no Amazonas aborda "Cidade e Memória: Manaus de 1920 a 1967, o Mito em Crise"

Palestrante buscou fazer nova leitura sobre crise da borrachaPalestrante buscou fazer nova leitura sobre crise da borracha

O Programa de Pós-Graduação em Letras, em parceria com o Grupo de Pesquisas Estudos de Literatura de Língua Portuguesa (Gepelip), e o Núcleo de Pesquisas em Linguagens de Expressão Amazônica (Conplexa), vinculados ao Departamento de Letras, Língua e Literatura Portuguesa (DLLP) promoveu nesta segunda-feira, 11, mais uma atividade voltada aos alunos de pós-graduação, acadêmicos de Letras e de áreas afins, professores de literatura, e demais interessados de outras áreas do conhecimento acerca do tema "Cidade e Memória: Manaus de 1920 a 1967, o Mito em Crise", proferido pelo professor titular da UFAM José Aldemir de Oliveira. O evento fez parte do I Círculo de Palestras sobre Cultura e Literatura no Amazonas. 
 
Antecedendo a exposição do palestrante, o mestrando do curso de Letras, Rafael Silva, fez a leitura curricular e acadêmica do professor José Aldemir de Oliveira, que é doutor em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP). Ele tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Urbana e Geografia da Saúde, atuando, principalmente, nos temas: Amazônia, cidade de Manaus, cidades amazônicas, cidade e sustentabilidade. O professor atuou, ainda, como diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), no período 2003 a 2005; foi secretário de Ciência e Tecnologia do Estado do Amazonas de 2007 a 2009; reitor da Universidade do Estado do Amazonas, entre julho de 2010 e março de 2013 e lidera o Núcleo de Estudos e Pesquisas das Cidades na Amazônia Brasileira (Nepecab), sendo professor dos cursos de Pós-Graduação Sociedade e Cultura na Amazônia e de Geografia na Universidade Federal do Amazonas.
 
Durante a palestra, o professor José Aldemir de Oliveira projetou construir uma interface com a cultura, fazendo reflexões, sobre o chegar e como era a cidade; do espaço da crise às espacialidades das festas e da arte, por fim, da vivência do que permanece como memória e o que se transforma como reconstrução de novos tempos. O ponto de partida foi a pergunta: "Cidade da crise, de 1920 a 1967: qual a crise?". A resposta veio com a ideia de que cidade é construção e desconstrução do cotidiano. 
 

Clubes surgem como estruturação cultural Clubes surgem como estruturação cultural

"A cidade é tudo isso, mas não só isso. Eu retomo uma ideia de resultado de uma pesquisa fruto da minha tese para professor titular desta Instituição, sob a ótica, que nós na Amazônia, particularmente em Manaus, somos atingidos por longos períodos de crises, com breves períodos de farturas para poucos e migalhas para a maioria. É como se estivéssemos sempre à espera dos restos, que nos são postos, em processos que não se concluem. É como se a história não fosse feita, mas estivesse sempre por se fazer", disse.
Ele continuou apresentando a visão de que é preciso observar que cidades e metrópoles devem ser olhadas de ângulos distintos. Para eles, a primeira tem um dia a dia com aconteceres humanos e nas metrópoles, há limitações, pois as construções perpassam apenas por valores, estruturas e, dificilmente, pelo que é inerente ao homem. 
 
"Diferente do que se prega historicamente, não vejo que tenhamos vivido uma crise astronômica, que torna Manaus alheia a quaisquer possibilidades de desenvolvimento que não fosse a borracha, até porque o látex rendeu capitais para aqueles poucos e os que eram pobres permaneceram assim", disse ele, que afirmou, também, que em pouco tempo, os trabalhadores extrativistas foram migrando para outras culturas, buscando o sustento. Com aquela crise, a cidade é tomada por vencidos, daí foram surgindo os bairros, onde os moradores buscam se constituir cultural e economicamente. .
 
A leitura "cultural" sobre o tema da sua palestra surgiu com a exposição de fotos cotidianas do que se tinha como representação cultural para os moradores da cidade daquele período, em meados da década de 1920. 
 
"Eis que surgem cidade balneária, os cinemas, os clubes, as festas religiosas. Naquela época ainda existia uma cidade a qual tinha 'beira' e não orla. A orla torna a cidade sem memória", salientou. 
 
Por fim, o professor e palestrante disse que, embora haja uma exposição antagônica do ontem em relação ao hoje, é preciso aceitar que toda cidade pode ser construída, reconstruída, estar num estado inacabada de desenvolvimento e que isso é "natural" e que seria necessário encontrar um equilíbrio. 

Edição de maio da AgroUfam promove envolvimento cultural

Criações da ucraniana Galina BalevaCriações da ucraniana Galina BalevaOcorreu nos dias 7 e 8 de maio a A Feira da Produção Familiar, a AgroUfam. Dentre outras coisas, a feira promoveu, nessa edição, o envolvimento de culturas diferenciadas, como foi com a arquiteta ucraniana Galina Baleva, de 59 anos, que mora em Manaus desde 2005 e decidiu largar a arquitetura para devotar-se às artes manuais. Seus trabalhos envolvem técnicas como patchwork, pintura em tecido e costuras em geral. A paulista Maria Cândida e a cearense Lita Freire, ambas com 50 anos de idade, trabalham com os mais variados tipos de materiais, como MDF, material reciclado e tecidos, e expõem seus trabalhos na Feira desde o início desse ano.

“Nem toda feira você só vai pra vender, tem dias que não vendemos mesmo, mas só o fato de ter essa iniciativa na UFAM e o reconhecimento que recebemos, já é muita coisa!”, essas foram palavras da artesã Rosemeire Ribeiro, 40 anos, que participa da AgroUfam desde março de 2014. Membro da Associação Jasmine e moradora do Iranduba, a artista trabalha com bonecas de pano, fuxico e artes em tecido. Elogiou, também, a organização do evento “são poucas feiras que se preocupam em deixar as barracas prontas pra gente só colocar nossos trabalhos”, disse. 

Sobre a feira

Artigos feitos com sementes regionaisArtigos feitos com sementes regionais

Além de trabalhos feitos com tecido, MDF e material reciclado, a feira comercializa hortaliças, frutos, doces, geleias e trufas de frutas regionais. Plantas ornamentais e artesanatos em geral, também são comercializados no evento. AgroUfam é uma iniciativa realizada desde 2013 pelo Núcleo de Socioeconomia da UFAM (NUSEC), em parceria com a SEPROR e a FAPEAM. A AgroUfam não é uma feira convencional, é um espaço educativo que estimula o intercâmbio de conhecimentos que visa estimular a produção local, o empreendedorismo e, consequentemente, fortalecer a economia regional.