Curso de Libras da Ufam promove Ciclo de palestras sobre aprendizado bilíngue

Com uma plateia que lotou o auditório Rio Solimões do Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL), na tarde desta terça-feira (19), foram apresentados três temas sobre educação bilíngue da Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) e da Língua Portuguesa. O evento foi coordenado pelo chefe do Departamento do curso de Letras Libras, professor Iranvith Cavalcante. Foram convidados, além de graduandos e educadores, alunos surdos de instituições de Manaus.

 

Entre os convidados estavam a professora doutora Patrícia Rezende, do Instituto Nacional de Educação de Surdos do Rio de Janeiro (INES/RJ), com o tema “O Movimento em Defesa da Escola Bilíngue para Surdos no Brasil”, a professora doutora Janice Temoteo, da Universidade de São Paulo (USP), cuja palestra foi “Lexicografia da Língua de Sinais Brasileira no Nordeste”, e o professor mestre Messias Costa, que apresentou a enciclopédia denominada Enciclolibras.

 

Um dos ouvintes desse Ciclo de palestras foi o estudante do primeiro período do curso de Libras da Ufam, Juscelino Abrantes. Ele já é graduado em Administração, e revelou que o interesse em estudar Libras surgiu ainda quando cursava a primeira graduação: “Fiz meu trabalho final a respeito das dificuldades de haver docentes na área de Libras, o que não corresponde à demanda da sociedade”. Ao saber do curso da Ufam, realizou processo seletivo e ingressou com o intuito de adquirir formação superior e capacitação para lecionar Libras.

 

Enciclolibras e o ensino científico

Ao desenvolver todo o tema utilizando a Linguagem Brasileira de Sinais, o pesquisador Messias apontou falhas no processo de tradução do significado de termos-sinais para essa linguagem. “Usamos a mesma referência, os mesmos termos, para espermatozoide, minhoca e caracol em Libras, mas as diferenças entre os termos devem ser apontadas. Há também diferentes contextos para o termo coração, um que é científico e outro situado no campo sentimental”, traduziu o professor Iranvith Cavalcante.

 

Messias formulou proposta de Enciclopédia Visual Bilíngue Juvenil, a Enciclolibras, cuja ênfase está na didática visual: inicialmente são apresentadas as imagens sobre o tema escolhido, por exemplo, a gestação da mulher; em seguida, Messias apresenta em vídeo lateral os sinais desenvolvidos na pesquisa para essa mesma fase, além de serem exibidas as legendas em língua portuguesa. O processo, segundo ele, é especialmente didático para alunos surdos, pois tem foco na apresentação visual, além levá-los a associar os sinais à língua portuguesa, o que contribuiu para o posterior desenvolvimento de redação e formação bilíngue.

Ministério Público de Rondônia realiza ações para proteger o Povo Cinta Larga

Índios Cinta Larga Índios Cinta Larga

O Ministério Público Federal de Rondônia (Procuradoria da República do Estado de Rondônia) realiza, a mais de nove anos, ações para minimizar  dificuldades por quepassam os índios Cinta Larga, com o objetivo de garantir  direitos dos nativos que ocupam o sudoeste da Amazônia brasileira, em parte dos estados de Rondônia e de Mato Grosso. Desde 2004, o MPF de Rondônia iniciou várias ações que buscaram alterar as condições em que vivem os nativos. 

São várias as deficiências em que se encontram os índios Cinta larga: falta de assistência à saúde, educação, inexistência de projetos de geração de renda, extração ilegal de madeira, além do garimpo ilegal de diamantes em suas terras que já resultaram em várias mortes na comunidade. Garantir o direito dos nativos, sempre foi uma tarefa complexa, principalmente, em razão dos interesses econômicos e políticos. Há muitas décadas, o debate sobre o cumprimento da legislação (CF/88, Lei 6001/73 – Estatuto do Índio, Decreto n.º1775/96),que trata dos direitos dos povos indígenas no Brasil, vem sendo travado entre instituições governamentais, organizações não-governamentais e grupos com interesses comerciais.

A criação de reservas, a demarcação e a ocupação de terras indígenas tem gerado conflitos entre nativos e trabalhadores que invadem territórios ocupados, há séculos, pelos povos indígenas. A ausência do poder público, para mediar o conflito, e defender os verdadeiros donos da terra, deixou expostos seus direitos de ocupar a terra em que sempre viveram.   

Em razão da ausência de ações mais efetivas das instituições públicas, o MPF resolveu criar uma parceria com a sociedade denominada “Grupo Maloca dos Cinta Larga em RondôniaMaloca dos Cinta Larga em RondôniaClamor – Cinta Larga: Amigos em Movimento pelo resgate”. O objetivo do Grupo foi criar estratégias para melhorar a vida da comunidade e cobrar ações do Governo Federal para minimizar as condições em que vivem. Várias iniciativas já foram realizadas pelo Grupo Clamor como: ações de saúde, expedição de documentos, concessão de benefícios sociais e previdenciários e orientações educativas.

Existem 462 terras indígenas regularizadas que representam cerca de 12,2% do território nacional, e estão localizadas em várias partes do país, com concentração na Amazônia Legal. O processo de reconhecimento das áreas dos nativos foi iniciada pela Fundação Nacional do Índio (Funai), nos anos 1980.

 

 

Ações da Ufam direcionadas aos indígenas 

 

A Universidade Federal do Amazonas criou uma comissão formada por antropólogos, etnolinguísticos e etnomusicologista com o objetivo de elaborar uma proposta de política institucional indigenista da Universidade. A política é um conjunto de argumentos e medidas que a Universidade terá em relação ao  povo indígena. A comissão já concluiu a proposta e vai entregar a reitora para ser encaminhada ao Conselho Universitário. São múltiplas as possibilidades que a Ufam poderá oferecer para as etnias.  Mas, fundamentalmente, é uma postura ética da Universidade frente aos povos indígenas.

O presidente da comissão, pró-reitor de extensão Frederico Arruda, disse que existem normas que devem ser observadas pela universidade com relação aos povos indígenas. “Já concluímos o documento e estaremos encaminhando a reitora para ser discutido no Conselho Universitário e, provavelmente, receber a aprovação. É uma proposta de política institucional voltada para atender os interesses dos nativos. Existem normas que devem ser observadas pela instituição com relação aos indígenas. Trabalhamos com uma equipe de profissionais para elaborar um conjunto de medidas e argumentos da instituição”, disse Frederico Arruda.  

Professor Raimundo Nonato Pereira da SilvaProfessor Raimundo Nonato Pereira da Silva

Outra ação da Ufam são as licenciaturas oferecidas a diversas etnias. O Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL) oferece o curso de Licenciatura Indígena na região do alto Rio Negro para as etnias Baniwa, Sateré-mawé, Kuripaco, Yanomami, Arapasso, Tariano, Werekena, Baré, Tukano, Dessana, Tuyuka, Piratapuia. O curso é voltado para professores indígenas. Os estudantes da graduação recebem os professores da Ufam nas áreas onde moram. “Os professores da Ufam se deslocam até as terras indígenas. O objetivo é interagir com a comunidade em seu local de vivência. Isso facilita o ensino, pois é mais fácil deslocar o professor do que trazer 40 alunos para cidade. Essa medida evita o impacto cultural que resultaria em baixo desempenho dos alunos”, afirmou o professor Raimundo Nonato Pereira da Silva do curso de Licenciatura Indígena.

A Faculdade de Educação dispõe do curso de graduação para professores indígenas: “Licenciatura Formação de Professores Indígenas”. O curso é ministrado no sistema de modulo na Fazenda da Ufam, na BR 174. Atende as etnias Mura, Munduruku, Sateré-Mawé, Apurinã, Miranha, Kokama, Kambeba, Tikuna, Kanamari e Mayoruna.

Existem ainda outras ações desenvolvidas por professores, pesquisadores e estudantes que trabalham alguns projetos individuais. Alguns Programas de Pós-graduações da Ufam apresentam inúmeras pesquisas relacionadas aos povos indígenas da Amazônia.         

 

CPPAD lança manual sobre Processos Administrativos Disciplinares

A Comissão Permanente de Processos Administrativos Disciplinares da Ufam (CPPAD) está disponibilizando a partir desse mês o Manual Prático de Sindicâncias e Processos Administrativos Disciplinares, um guia de fácil compreensão sobre como realizar um processo administrativo disciplinar dentro da Universidade.

Leia mais...

TRE-AM inscreve alunos para projeto Agente Tecnológico até 22 de agosto

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) informa que estão abertas as inscrições para o projeto Agente Tecnológico que ocorre até o dia 22 de agosto. As vagas são destinadas para alunos que tenham cursado e sido aprovado em disciplina básica de informática (ICC; IPD). As inscrições podem ser realizadas no endereço eletrônico: http://webapps.tre-am.jus.br/harpianet/#

A parceria entre o TRE e UEA tem como objetivos recrutar, selecionar, treinar e avaliar universitários, dentre as diversas áreas de ensino que possuam conhecimentos sólidos como usuários da plataforma Windows XP, para posterior alocação nos Pontos de Transmissão de Dados da Capital.

A coordenação informa que obrigatoriamente, o aluno deve apresentar  comprovante de matricula que conste aprovação em disciplina básica de informática (ICC e IOPD). Em contra-partida, o aluno deve obter Bolsa de Estudo e Declaração de atividades complementares de até 60 horas.   

Veja a seguir calendário de atividades:

1º. Turno: 13/09/2014 a 06/10/2014

Dias: 25/9; 26/9; 02/10; 4/10/; 05/10

2º. Turno: 13/10/2014 a 27/10/2014

Dias: 16/10; 17/10; 23/10; 25/10; 26/10

 

 

 

Arii seleciona alunos para Programa Bolsa Trabalho

A Assessoria de Relações Internacionais e Interinstitucionais (Arii) oferece vaga para o Programa Bolsa Trabalho. Podem se inscrever alunos dos cursos de Sistemas de Informação, de Ciência da Computação ou de Engenharia da Computação.

Os interessados devem baixar ficha de inscrição disponível no portal da Ufam ou no site da Arii e enviar para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. até o dia 26 de agosto. A seleção será feita por meio de entrevista.

Posteriormente serão divulgados data e horário para comparecimento dos candidatos. 

Mais informações pelo telefone  (92) 3305-1753, falar com Aldinéa de Paula.

 

Tecnologias e mídias sociais são objetos de estudo de pesquisas apresentadas na Roda de Comunicação

Com objetivo de divulgar as pesquisas desenvolvidas no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCCom) discentes do Programa, sob orientação da professora Denize Piccolotto, promoveram a Roda de Comunicação: Tecnologias e Mídias Sociais na última sexta (15). Participaram estudantes e professores de diversos cursos, pesquisadores e profissionais da Comunicação Social.

Palestrantes, mestrandos do Programa e professora Denize PiccolottoPalestrantes, mestrandos do Programa e professora Denize PiccolottoOs palestrantes são egressos do PPGCCom, são eles:  a jornalista e mestre em Ciências da Comunicação pela Ufam Cristiane Naiara de Souza; a coordenadora dos Cursos de Radialismo e Publicidade e Propaganda do Uninorte/Laureate, Edilene Mafra; o doutorando em Sociedade e Cultura na Amazônia pela Ufam e especialista em Comunicação Digital e Estratégica, Jonas da Silva Gomes Júnior, e o jornalista e Professor do Centro Universitário do Norte (UNINORTE), Luís Mansuêto. As apresentações compartilharam as experiências de pesquisa e abordaram como a tecnologia, com a constante inovação de plataformas de comunicação, vêm impactando as formas de interação na sociedade. Por exemplo, o trabalho de Jonas Silva avaliou os motivos que levaram a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) a utilizar o microblog Twitter e as formas de sua apropriação e concluiu que “os fatores determinantes para escolha da utilização do twitter não estão relacionados ao modismo e que existem sete formas predominantes na utilização do microblog pela FAS”

Professora Mirna Feitoza, coordenadora do PPGCComProfessora Mirna Feitoza, coordenadora do PPGCCom

Além da divulgação das pesquisas em Ciências da Comunicação, outro fator que também motivou a realização do evento é aproximar os alunos de graduação dos alunos do PPGCCom e assim, incentivar a continuidade da pesquisa no âmbito do programa. Para Edilson Duarte quanto mais debates houverem na região Amazônica, onde esse é um campo ainda em processo, vai ajudar os caminhos que podem contribuir tanto para Comunicação enquanto questão acadêmica quanto aplicação da comunicação para o bem da sociedade como um todo: “quanto mais eu puder absorver melhor para minha formação acadêmica e o desenvolvimento da pesquisa que pretendo desenvolver”, comenta.

Na oportunidade, a coordenadora do Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação (PPGCCOM), doutora Mirna Feitoza, apresentou aos interessados em ingressar no Mestrado em Ciências da Comunicação da Universidade Federal do Amazonas o funcionamento do PPGCCOM, as formas de ingresso, a área de concentração do programa e as respectivas linhas de pesquisa do Mestrado Acadêmico em Ciências da Comunicação.      

Ufam integra projeto para reduzir acidentes no Campus Universitário

Professora Márcia Perales assina convênio do projeto Vida no Trânsito, planejado pela assistente Social Thalita NevesProfessora Márcia Perales assina convênio do projeto Vida no Trânsito, planejado pela assistente Social Thalita NevesBuscando desenvolver ações monitoradas que reduzam os fatores de risco e os pontos críticos de ocorrência de acidentes e modificar a cultura de segurança no trânsito, a professora Márcia Perales, reitora da Universidade, assinou na última quinta (14) o Termo de Cooperação Técnica do Projeto Vida no Trânsito.

O projeto, que será implantado em toda cidade, é uma articulação entre diversas instituições do Estado para a redução dos índices de acidentes e lesões ou mortes no trânsito, como a Polícia Civil. Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Militar, Conselho Municipal de Saúde, Manaustrans, Sest/Senat, além da Universidade do Estado do Amazonas - UEA e a Ufam.

A criação do projeto reflete a preocupação da Organização das Nações Unidas com os altos índices de mortes e lesões graves por acidentes de trânsito no mundo, que como resultado instituiu a Década Mundial de Ações pela Segurança Viária. O Vida no Trânsito é planejado desde 2013 com a estruturação do projeto, análise de dados e estatísticas sobre lesões e mortalidade em acidentes automobilísticos.

Na estrada do Campus Universitário da Ufam, os acidentes por velocidade acima da permitida tem sido mais frequentes. A Gestão Superior, no intuito de reduzir os casos, estuda a implantação de redutores de velocidade nos trechos com maior incidência de acidentes. As ações do Projeto Vida no Trânsito trabalharão em conjunto com as políticas da Universidade para a educação dos condutores dentro das dependências da Ufam.

Revista eletrônica "Comunique" alcança sua 5ª edição

Integrar questões relativas ao âmbito das Relações Públicas, visando inferir na qualificação do aluno do curso de Relações Públicas é o objetivo da revista eletrônica "Comunique" que alcança sua 5ª edição. O lançamento ocorreu nesta sexta-feira, 15, no auditório Rio Solimões do Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL)

Leia mais...

Coordenadores de projetos podem solicitar bolsistas do Programa Bolsa Acadêmica até 25/8

A Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários (Procomun), por meio do Departamento de Apoio ao Estudante (Daest), informa que os coordenadores de projetos institucionalizados de ensino, pesquisa, extensão ou inovação podem solicitar bolsistas do ‘Programa Bolsa Acadêmica’ até o próximo dia 25.

Há 18 bolsistas disponíveis para atuar em projetos dessa natureza e o Departamento recebe as solicitações enviadas por memorando encaminhado ao diretor do Daest, Daniel Ferreira de Castro.

No documento deverá constar a quantidade de bolsistas necessária para o projeto, a cópia do projeto e a devida comprovação da institucionalização (cópia do parecer da câmara de ensino, pesquisa, extensão ou inovação).

 

Fundamentação legal

Conforme o disposto no inciso VIII do Subitem 9.1 do Edital 01/2014 referente ao Programa Bolsa Acadêmica, “odiscente deverá vincular-se no mínimo a um projeto acadêmico relativo à modalidade de ensino, pesquisa, extensão ou inovação de acordo com as orientações e indicações da Procomun e demais Pró-Reitorias fim”.

HUGV promove palestra sobre otimização nos serviços e acesso à Informação

 

A partir da implementação da Lei 12.527/2011, em que regulamenta o direito constitucional de acesso às informações públicas, o cidadão comum começa a ter acesso. É o que diz o ouvidor-geral da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERRH - Hospitais Universitários Federais) do Ministério da Educação (MEC), dr. Josué Fermon Ribeiro que proferiu palestra  "A Ouvidoria e a Lei de Acesso à Informação – LAI". O evento ocorreu no último dia 14, no auditório Dr. Zerbini da Faculdade de Medicina (FM).

Leia mais...

CGU promove II Concurso de Boas Práticas. Inscrições até 15 de setembro

A Controladoria Geral da União (CGU) realiza, em 2014, a segunda edição do Concurso de Boas Práticas, cujo objetivo é reconhecer e valorizar a excelência na Gestão Pública Federal, com inscrições gratuitas em www.cgu.gov.br/concursoboaspraticas até o dia 15 de setembro.

As quatro categorias do concurso são: Fortalecimento dos controles internos administrativos, Promoção da transparência ativa e/ou passiva, Aprimoramento das atividades de ouvidoria e Diminuição no tempo de apuração disciplinar, sendo possível a inscrição de até duas delas por órgão ou entidade.

 

Premiação

Serão premiadas as três melhores práticas em cada categoria com uma placa gravada e um certificado expedido pela CGU. Os prêmios serão entregues em cerimônia a ser realizada em dezembro de 2014, durante as comemorações ao Dia Internacional Contra a Corrupção, em Brasília/DF. As despesas com transporte, pousada, alimentação e locomoção urbana dos premiados por conta dos órgãos contemplados.

 

Acesse os links abaixo para saber mais sobre o concurso:

 

Fonte:www.cgu.gov.br/concursoboaspraticas

Anexos:
Fazer download deste arquivo (boas-práticas.jpg)Cartaz_divulgação[ ]865 kB

Evolução histórica do transporte público de Manaus é registrada em livro

A partir do seu trabalho ao longo de 18 anos na antiga EMTU (Empresa Municipal de Transportes Urbanos) quando surgiu a Idea de estudar o transporte público foi por perceber a inexistência de dados. Diante dessa dificuldade Soraia Magalhães, egressa do curso de Biblioteconomia e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura da Amazônia da Ufam, buscou também desfazer o estereótipo de que “o profissional de Biblioteconomia é apenas aquele que está ligado à questão do livro”, comenta a autora. Em 1997 iniciou o trabalho de resgate das fontes de informação sobre o transporte coletivo a partir da documentação oficial e de imprensa, iconográfica como eram os transportes em outros períodos da cidade.

Durante o desenvolvimento do trabalho, a pesquisadora confrontou informações que acreditava serem as certas, por exemplo, a questão do bonde. A historiografia tradicional mostra o bonde como elemento lírico, poético, muitas vezes sendo retratado em diversos romances da literatura brasileira: “Criou-se a idéia de que o bonde fazia parte do cenário de uma cidade pacata e harmoniosa, mas eles tinham os mesmos problemas que temos hoje como superlotação, relacionamento entre funcionários e usuários, questões tarifárias, manutenção dos carros, freqüência da circulação da frota. Então, podemos observar os problemas que reclamamos hoje, desde 1886”, destaca.

Professora Suely Oliveira Marquez, diretora da Edua e Soraia Magalhães, autora do livro durante o lançamento da obraProfessora Suely Oliveira Marquez, diretora da Edua e Soraia Magalhães, autora do livro durante o lançamento da obra

Ao longo dos capítulos o leitor pode perceber que a superação do bonde pelo ônibus de madeira, contudo, não amenizou as dificuldades como pensou a cidade. Porém, não se deu dessa forma. Outras dificuldades surgiram, assim como a superação desse veículo por outros mais modernos não traz ainda uma qualidade no serviço. Traz à tona uma reflexão: “sempre pensamos que o passado era melhor, mas, não, temos dificuldades parecidas e também percebemos que existe uma superação de tecnologia ao longo do tempo nesse processo, mas que não consegue dar conta da dinâmica da cidade”.  

A publicação do livro ‘O transporte coletivo urbano de Manaus: bondes, ônibus de madeira e metálicos’, de autoria de Soraia Pereira Magalhães, é uma parceria entre a Editora da Universidade Federal do Amazonas (Edua) e a Prefeitura de Manaus.  O livro traz informações a respeito da evolução histórica do transporte coletivo na cidade de Manaus entre 1896 e 1980. Segundo Soraia, a obra não tem a pretensão de analisar do ponto de vista historiográfico, e sim reflexão a partir das fontes de informações recuperadas. “Reduzir a falta de memória sobre o transporte público de Manaus. Em várias cidades e países foram guardados veículos, como os bondes, aqui, na nossa cidade, isso não ocorreu. É preciso entender também que dinâmica urbana é sempre muito complexa para entender, todo dia surge uma nova necessidade”.

Homenagem ao Dia do Economista

                                              

Neste dia, 13 de agosto, o Departamento de Economia da Universidade Federal do Amazonas, presta sua homenagem a esse profissional que tanto contribui para melhorar a vida de todos os brasileiros, e cujas ações são capazes de mudar a realidade.

Parabéns aos futuros Economistas.

Seminário debate mobilidade urbana

Os departamentos de Geografia e Arquitetura da Ufam, a Câmara Municipal de Manaus, por meio da Comissão de Legislação Participativa, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Amazonas, Movimento Educar para a Cidadania, Instituto Amazônico da Cidadania (Iaci), Organização Comunitária Pedala Manaus e a Associação Estadual dos Deficientes Físicos do Estado do Amazonas realizaram nesta quarta-feira, 13, no auditório Eulálio Chaves, no setor Sul do campus, a solenidade de abertura do Seminário Lei de Mobilidade Urbana: desafios e possibilidades. O evento ocorre hoje e amanhã (13 e 14), das 9h às 17h30, e busca democratizar o conteúdo da Lei Federal 12.587, de 2012, que ainda não foi implantada no município de Manaus.  

 A mesa de abertura contou com o vereador Bibiano Simões Garcia (coordenador do seminário), do chefe do departamento do curso de Geografia, Marcos Castro, do professor do curso de Geografia, Geraldo Alves, do vereador Waldemir José, do procurador do Ministério Público Federal Jorge Luiz Medeiros, do Presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Amazonas, Jaime Kuck, da diretora do ICHL, Simone Baçal, do presidente da Frente Nacional de Vereadores para Reforma Urbana (Frenavru) e vereador da Câmara Municipal de Porto Alegre, Carlos Roberto Comassetto, do coordenador do Movimento Educar para Cidadania, Menabarreto Segadilha e da chefe do departamento do curso de Arquitetura e Urbanismo da Ufam, professora Elisângela Sena Araújo.

Os municípios com mais de 20 mil habitantes são obrigados a terem o Plano Municipal de Mobilidade Urbana. A Lei Federal 12.587, de 2012, instituiu as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana e muitos municípios no país ainda não implantaram o que determina a Lei. O descumprimento, por parte do poder municipal, tem levado a sociedade a cobrar ações dos prefeitos por todo o Brasil. A mobilidade urbana é fundamental para a melhora da qualidade de vida dos cidadãos nas cidades. Debater coletivamente os diversos fatores que envolvem a vida das pessoas no dia a dia é de extrema importância na construção de uma cidade cidadã. O Seminário reúne, nesses dois dias, diversos especialistas, organizações sociais, instituições e comunidade para discutirem o cumprimento da lei em todos os espaços da cidade de Manaus e resultar na elaboração de um relatório para ser entregue ao prefeito da cidade.  

 

O coordenador do Seminário, vereador Bibiano Garcia, afirmou que o seminário desperta o entendimento ao cidadão de que ele tem direitos de acessar a cidade de forma ideal, segura e que sua dignidade seja respeitada. “O Seminário desperta o entendimento ao cidadão de que ele tem direitos de acessar a cidade de forma ideal, segura e que sua dignidade seja respeitada. Essa estrutura de direitos não vem sendo respeitada. A lei precisa ser discutida para que a população possa compreender de que forma poderá resolver os problemas históricos que a cidade tem e propor que tipo de cidade nós queremos”,  afirmou o vereador.

 

 

O professor do curso de Geografia da Ufam, Geraldo Alves de Souza, disse que o Seminário é o fechamento de um debate que vinha ocorrendo há meses sobre as questões da mobilidade urbana na cidade de Manaus. “Fomos procurados pelo vereador que estava incomodado com algumas questões na cidade e começamos a discutir o assunto. As reuniões ocorriam no departamento de Geografia. Depois outros parceiros foram chegando (Movimento Educar para Cidadania, Pedala Manaus, os Arquitetos do Brasil) e estruturamos uma proposta de trabalho que começou com audiências públicas, fizemos seis audiências em diferentes zonas da cidade com o objetivo de levar esse debate pra sociedade, expondo sobre a produção do espaço urbano e as consequências sobre a mobilidade urbana e sobre a lei. Fomos à comunidade debater os problemas que estamos enfrentando na cidade. Queremos participar do debate da construção do Plano Diretor da Mobilidade Urbana de Manaus que será enviada pelo prefeito à Câmara Municipal. A construção de um Plano, dessa importância, tem que ter a participação popular”, comentou o professor.  

“O consumismo está diretamente ligado aos problemas de mobilidade urbana nas cidades. Na visão do rodoviarísmo, dos anos 50, a cidade vem sendo estruturada para o automóvel. O poder público promove o alargamento de ruas para atender a intensa demanda de automóveis. Outros modais foram esquecidos. As empresas automobilísticas investem na intensa propaganda para se adquirir o automóvel como símbolo de status e liberdade e influenciam o consumidor. A cidade vem sendo produzida para atender esse segmento. Não se tem áreas alienadas para o transporte coletivo. Esse modelo produz a cidade anticidadã. Uma cidade que o trânsito para, que estressa as pessoas, que o transporte coletivo tem que concorrer com os carros precisa ser modificada pra melhor. Todos esses problemas são resultados do consumismo”, disse o professor do departamento de Geografia da Ufam, Marcos Castro.      

     

  

PPG em Serviço Social promove seminário para discutir acordos internacionais

Programa de Pós-graduação em Serviço Social e Sustentabilidade na Amazônia (PPGSS) realizou na manhã desta quarta-feira, 13, o Seminário de Cooperação Internacional com o intuito de conhecer a experiência de PPGs que mantenham acordos de cooperação com universidades do exterior. O evento dará suporte para que o PPGSS desenvolva parcerias próprias. 

Leia mais...

Conferência Internacional sobre Estatística e Análise de Risco interage pesquisadores de diversas áreas do conhecimento

A conferência tem como principal objetivo contribuir para a exploração e divulgação de temas relevantes e atuais para a comunidade científica  Amazônica. A solenidade de abertura ocorreu na manhã desta quarta-feira 13, no auditório Samaúma da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), Setor Sul.

Leia mais...

Debate entre candidatos ao governo do Estado é adiado

A Gestão Superior e o Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal do Amazonas comunicam o adiamento do debate entre os candidatos ao governo do Estado, marcado para esta quarta (13), em respeito a morte do candidato à presidência Eduardo Campos. A nova data será divulgada posteriormente. 

 

Por meio de parceria entre a Gestão Superior e o Diretório Central dos Estudantes, a Universidade promove, os candidatos ao governo estadual amazonense.  As perguntas foram escolhidas através de enquetes na página eletrônica do DCE, onde a comunidade acadêmica pôde votar nos principais questionamentos a serem feitos aos sete candidatos ao pleito de 2014.

Segundo o representante do DCE, João Bosco Benarrós, é importante continuar a tradição da Universidade em promover debates relevantes para a sociedade. “Queremos aproveitar a proximidade das eleições para trazer até a comunidade acadêmica as propostas de todos os candidatos, pois já é esperado que a Ufam receba os candidatos majoritários ao governo, como em outras ocasiões”.

 

Curso de Agronomia do ICET recebe doação de equipamentos

A partir deste mês, os alunos do curso de Agronomia do Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia (ICET/Ufam/Itacoatiara), passarão a utilizar mais dois equipamentos nas aulas de campo. Trata-se de dois penetrômetros de impacto que foram doados pela empresa paulista, KAMAQ Máquinas e Implementos agrícolas LTDA.

Leia mais...

Minicurso dá inicio à Conferência Internacional sobre Estatística e Análise de Risco

 

A conferência objetiva contribuir para a exploração e divulgação de temas relevantes e atuais para a comunidade científica da Amazônia, cuja programação teve inicio nesta terça-feira (12) com a realização do Minicurso I: análise exploratória e modelação com R, ministrada pela professora Teresa Oliveira, da Universidade Aberta de Portugal (UAB) e do Centro Estatístico e Aplicações da Universidade de Lisboa (Ceaul). O evento ocorre até sexta-feira (15), e terá solenidade de abertura nesta quarta-feira (13).

Leia mais...

IV Encontro Regional Norte-Nordeste da Abrapso está com inscrições abertas

A Ufam irá sediar o IV Encontro Regional Norte-Nordeste da Associação Brasileira de Psicologia Social, com o tema “Movimentos Sociais e Políticas Públicas: construções entre saberes e práticas". O evento ocorrerá de 23 a 25 de outubro de 2014.

Podem se inscrever profissionais, professores, pesquisadores, estudantes de Psicologia e áreas afins, movimentos sociais e populares.

O objetivo será produzir espaços de interlocução entre estudantes, profissionais, pesquisadores e os movimentos sociais das Regiões Norte e Nordeste do Brasil.

Os GT´s selecionados para o evento são:

 

 

1.      EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO. 

2.      SAÚDE.  

3.      TRABALHO. 

4.      POLÍTICA, DEMOCRACIA, MOVIMENTOS SOCIAIS. 

5.      MÍDIA, COMUNICAÇÃO, LINGUAGEM E ARTES. 

6.      ÉTICA, VIOLÊNCIAS E DIREITOS HUMANOS.

7.      HISTÓRIAS, METODOLOGIAS E TEORIAS. 

8.      GÊNERO, SEXUALIDADE, RAÇA, IDADE E TERRITÓRIOS DE EXISTÊNCIA.

 

O resumo do trabalho, a  ser inscrito e submetido para avaliação, deve ter título escrito em negrito e com letras maiúsculas (caixa alta), resumo com até 3.000 caracteres (com espaço) e três palavras-chave.

O corpo do texto deve conter:

1)      o(s) objetivo(s) do trabalho, metodologia e resultados encontrados.

2)      também deve ser descrito no resumo a relação do trabalho com o tema do Encontro e com o GT escolhido, bem como deve ser descrito de que forma o trabalho contribui para articulação dos movimentos sociais e para o desenvolvimento de ações (políticas públicas, por ex.) que potencializem mudanças às situações de injustiças.

 

Inscrições no site do evento: http://www.encontro2014.nne.abrapso.org.br/

Diretoria da FD homenageia alunos e aprovados na 1º fase da OAB

AOS ALUNOS DA FACULDADE DE DIREITO/UFAM

SAUDAÇÕES,

NO ENSEJO DESTE DIA DOS ESTUDANTES, COINCIDENTEMENTE DIA DOS ADVOGADOS, A DIRETORIA DA FACULDADE DE DIREITO PARABENIZA A TODOS OS ALUNOS RESSALTANDO QUE É UMA GRANDE HONRA TÊ-LOS COMO FILHOS DA VELHA JAQUEIRA. NESTES 104 ANOS DE EXISTÊNCIA, A FACULDADE DE DIREITO TEM RECEBIDO COMO ALUNOS, BRILHANTES JOVENS QUE DEPOIS HONRARAM A TRADIÇÃO E SE LANÇARAM NA CARREIRA COM EXPOENTES DO MUNDO JURÍDICO.

SEMPRE É BOM LEMBRAR QUE NÃO HÁ VITÓRIAS SEM ESFORÇO, NÃO HÁ LUTAS SEM BATALHAS, NÃO HÁ CAMINHADA SEGURA SEM OBSTINAÇÃO. CADA MOMENTO EM NOSSAS VIDAS É REFLEXO DE NOSSAS AÇÕES PASSADAS, DAS ESCOLHAS QUE FAZEMOS, POIS CADA FRUTO QUE DESEJAMOS COLHER NO FUTURO DEVE SER PLANTADO NO AGORA.

NA OPORTUNIDADE, CONGRATULAMO-NOS COM OS ALUNOS QUE DE FORMA BRILHANTE FORAM APROVADOS NA PRIMEIRA FASE DO EXAME DE ORDEM DA OAB, E MANIFESTAMOS ÀQUELES QUE AINDA NÃO ESTÃO APTOS A PARTICIPAR DO EXAME, A PLENA CONVICÇÃO QUE ESTE EXEMPLO HAVERÁ DE SER SEGUIDO.

 

NOSSA MENSAGEM VEM DE JOÃO 15: 1 -2 :

EU SOU A VIDEIRA VERDADEIRA E MEU

PAI É O AGRICULTOR. TODO RAMO QUE

NÃO DA FRUTO EM MIM, ELE O CORTA; E

TODO RAMO QUE DA FRUTO, ELE LIMPA

PARA QUE DÊ MAIS FRUTO AINDA.

ESSE É O ESPÍRITO QUE NORTEIA A VELHA JAQUEIRA.

 

ABRAÇOS FRATERNOS,

 

Á DIRETORIA. 

Prêmios Santander Universidades completam 10 anos e abrem inscrições para edição de 2014

A maior premiação acadêmica do Brasil completa 10 anos.Nesse período, os Prêmios Santander Universidades receberam inscrições de mais de 46 mil projetos, desses 119 foram vencedores e receberam mais de R$ 7 milhões em premiação. Em parceria com a Ufam, discentes e pesquisadores partiparam de premiação voltada para o empreendedorismo sustentável inscrevendo seus projetos.

A edição deste ano está com inscrições abertas. A iniciativa é composta por quatro grandes premiações que, além do empreendedorismo, estimulam a pesquisa científica, a extensão universitária e a busca pela excelência das universidades, atingindo toda a cadeia de valor da academia.

“Completar 10 anos de Prêmios Santander Universidades é muito gratificante. Temos orgulho por fomentar a criatividade acadêmica e ver na prática ideias inovadoras ganhando vida e beneficiando milhares de pessoas. Isso nos faz acreditar que estamos no caminho certo e que ainda há muito para ser feito pela educação no nosso País. Rumo aos 15, 20, 30 anos de Prêmios!”, comemora Jamil Hannouche, diretor do Santander Universidades Brasil.

Prêmio de Empreendedorismo Sustentável Amazônia 2020

Empresas, ribeirinhos e compradores de certificados de carbono são os envolvidos diretos no processoEmpresas, ribeirinhos e compradores de certificados de carbono são os envolvidos diretos no processoComo conectar moradores de áreas rurais dos municípios de Iranduba e de Barcelos, localizados no interior do Estado do Amazonas a 9 km e a 405 km distantes de Manaus, respectivamente, a empresas e pessoas do mundo todo, de modo que, em curto prazo, meio ambiente e todos os envolvidos nesse processo saiam ganhando? A solução encontrada pela estudante de Ciências da Computação da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Ludymila Lobo de Aguiar, e pelo professor orientador dela, doutor Alexandre Rivas, foi investir em árvores.

Com o título “Produção de floresta e de serviços ecossistêmicos na Amazônia utilizando mecanismos de mercado”, o projeto que detalhou todo o processo de geração de renda por meio do plantio e do cultivo de mudas de árvores, elaborado pela estudante e pelo professor, foi um dos finalistas do Prêmio de Empreendedorismo Sustentável Amazônia 2020, que teve sua cerimônia de premiação na Faculdade de Ciências Agrárias da Ufam, em 2013.

Alunos finalistas de 2013 do Prêmio Amazônia 2020 Alunos finalistas de 2013 do Prêmio Amazônia 2020

O Programa Amazônia 2020 foi lançado em 2010 pelo Santander Universidades e tem o objetivo de apoiar a educação superior na Região, promovendo a mobilidade de alunos e professores, incentivando a internacionalização da atividade acadêmica, além de estimular o desenvolvimento da pesquisa científica e da inovação e empreendedorismo sustentável. A iniciativa beneficiará por 10 anos as universidades participantes.

Prêmios Santander Universidades 2014

Os vencedores dos Prêmios Santander Universidades 2014 serão conhecidos no dia 5 de novembro, em cerimônia a ser realizada no Hotel Grand Hyatt, na cidade de São Paulo. Detalhes de cada uma das 4 premiações, regulamentos e inscrições podem ser encontrados no site: www.santander.com.br/universidades.

 

HUGV realiza prova de processo seletivo para bolsistas do CTI

O Hospital Universitário Getúlio Vargas está disponibilizando 4 vagas para bolsistas do Centro de Terapia Intensiva, por meio do Processo Seletivo. As inscrições ocorreram no período de 3 a 23 de julho e a prova será no dia 22 de agosto, na Faculdade de Medicina da Ufam – Sala 1.5, com início às 9h e término às 10h. O resultado do Processo Seletivo será divulgado nos murais da Faculdade de Medicina e HUGV e no site do hospital no dia 27 de agosto.

Segue abaixo o conteúdo Programático da prova.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

Distúrbio Hidro Eletrolíto;

Distúrbio Ácido Base;

Sedação e Analgésia;

Emergência Hipertensiva;

Insuficiência Respiratória;

Choque;

Sepse;

Arritmias;

IAM;

TVP/TEP;

Cuidados intensivos pós-operatório de neurocirurgia;

Ventilação Mecânica.

Museu Amazônico abre as portas para leitura e história contada

As obras `Lia sempre lia´ e `Leo e seus amigos´, de Soraia Magalhães foram a base de leitura do Projeto Contação de Histórias do Museu Amazônico que desde 2010 desenvolve atividades de leitura com alunos da Rede Pública de Ensino Pública e Privada. Desta vez, vinte e três alunos do Centro Educacional Adalberto Valle participaram das atividades que ocorreu nesta segunda-feira, 11.

Leia mais...

Novos contatos da Propesp otimizarão serviços

A Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propesp) informa que está disponibilizando novos números telefônicos para atender a comunidade universitária. A partir de agora os contatos serão setorizados. Confira:

Para tratar de assuntos relacionados à vida acadêmica (especialização, mestrado e doutorado), os interessados devem ligar para: 3305-1496.

Já para obter informações sobre passagens e diárias e recursos dos Programas de Apoio à Pós-graduação (PROAP/CAPES) e Programa de Apoio à Pós-graduação strictu sensu (PROSGRAD/FAPEAM), o número é 3305-1181, no ramal 2014.

Para demandas sobre projetos e dados administrativos(Secretaria Geral, Secretaria da Câmara de Pesquisa e Pós-graduação – CPPG), ligar para: 3305-1181, ramal 2015.

Leia mais...

Projeto CEL divulga seleção para professores estagiários de Língua Inglesa até o dia (12)

Os discentes do Curso de Letras – Língua e Literatura Inglesa interessados em participar desta seleção deverão apresentar, no ato da inscrição, Histórico Escolar Analítico com coeficiente de rendimento acumulado igual ou superior a 6,0 (seis, zero) e Comprovante de Matrícula.

A seleção será dividida em duas etapas. A primeira será uma prova didática sobre o tema: FAMILY. Na prova didática, o candidato deverá ministrar em Língua Inglesa, uma aula com 20 (vinte) minutos de duração acerca do tema mencionado acima. Para avaliação desta prova, serão adotados os seguintes critérios: 1. domínio da Língua Inglesa; 2. domínio do tema; 3. utilização de recursos pedagógicos; 4. gerenciamento da aula.

A segunda será uma prova de Inglês contemplando as habilidades de compreensão oral e escrita e produção escrita.

As inscrições para esta seleção deverão ser feitas EXCLUSIVAMENTE na Secretaria do Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras – DLLE, das 14h às 17:30, no período de 08 a 12 de agosto de 2014.

A prova didática será realizada no dia 14 de agosto de 2014, quarta-feira, das 16h às 17h, na sala da Coordenação do Curso de Inglês, e a prova escrita no dia 14 de agosto de 2014, quinta-feira, das 17 às 18:00, no mesmo local.

Serão aprovados os candidatos que alcançarem nota final igual ou superior a 7,0 (sete, zero).

A lista dos aprovados e a classificação final serão divulgadas na Secretaria do DLLE, a partir das 14h do dia 15 de agosto de 2014, sexta-feira.

 

II Semana Jurídica Xavier de Albuquerque encerra com palestra do ministro Mauro Campbell

Na noite da última sexta-feira (8), no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB/AM), o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Mauro Campbell recebeu cerca de 400 ouvintes para o encerramento da II Semana Jurídica da Ufam promovida pelo Centro Acadêmico de Direito (CAD) em homenagem ao jurista Xavier de Albuquerque. Campbell foi promotor de justiça no Ministério Público do Amazonas (MP/AM) por 21 anos, foi secretário de Estado de Justiça em 1993, e, no ano de 2008, tornou-se ministro do STJ.
 
O palestrante é o segundo amazonense a ter assento no STJ [o primeiro foi Henoch Reis], e realizou uma apresentação sobre a Jurisprudência atualizada daquela corte. Campbell, ao agradecer pelo convite, ressaltou a expectativa de ter outros amazonenses como colegas no STJ. "Certamente muitos de vocês poderão ser meus colegas magistrados para representarmos o Amazonas e a região Norte diante de todo o nosso País", enfatizou.
 
Entre os participantes estavam discentes da Ufam e de outras instituições, advogados e bacharéis em Direito, além da coordenadora do curso e representante da Faculdade de Direito (FD) no evento, professora Marina. Ao discursar, ela fez uma analogia entre as leis do ordenamento jurídico brasileiro e a babel bíblica, torre que, ao vir abaixo, gerou um caos de línguas diferentes entre seus construtores, que em nada se entendiam. 
 
"Os juízes, com as suas interpretações sobre as leis em casos concretos por eles decididos, geram entendimento comum sobre essa babel que de leis. Tal entendimento torna-se fonte de Direito", esclareceu a professora. Em outras palavras, o que o STJ decide de forma reiterada e em consonância com as demandas sociais que chegam por meio dos processos torna-se jurisprudência, a qual servirá de base para decisões dos juízes estaduais do Brasil.
 
Entre os exemplos trazidos pelo ministro amazonense, alguns se destacam por fixarem um entendimento acerca de assuntos atuais e bastante questionados por meio de ações judiciais. O primeiro é o caso dos concursos públicos, que são muito visados na atualidade. Sobre isso, o STJ concluiu que todos os candidatos aprovados dentro do número de vagas devem ser nomeados no prazo de vigência do certame, pois eles não possuem apenas expectativa de direito, mas o próprio direito à nomeação no cargo para o qual foram aprovados.
 
Outro caso decidido reiteradamente pelo STJ é acerca do processo necessário para revalidação do diploma para pessoas que fizeram cursos fora no Brasil. "Esse era um problema muito grave que nos chegava, pois não havia um procedimento para avaliar essas pessoas. Então, criamos jurisprudência no sentido de criar mecanismos de avaliação para que os diplomas obtidos no exterior fossem revalidados", explicou. 
 
Apenas em 2013, o SJT julgou 353 mil recursos, muito mais do que a quantidade que é julgada na França, segundo relato do ministro. "É importante que a magistratura estadual siga retilineamente a jurisprudência produzida pelo STJ, pois se assim fosse, o sistema judiciário brasileiro estaria mais bem organizado", finalizou Campbell.
 

CDTECH investe em parceria com empresa inovadora e sustentável

Ao abrigar empresas em sua incubadora, o Centro de Desenvolvimento Empresarial e Tecnológico da Ufam (CDTECH) investe em gestão e orientações sobre estratégias de mercado e manutenção das empresas em nível competitivo. A ‘Eco & Companhia’ funciona no espaço oferecido pela Ufam desde 2011, e desenvolve uma proposta sustentável de produção quase 100% artesanal de papelaria, usando tintas a base d’água e 90% de papel reciclado.

A empresa produz com foco em dois clientes: por um lado, desenvolve crachá, bloco de anotações e informativos para eventos institucionais; por outro, cria agendas, cadernos e cadernetas para o consumidor final, que podem ser adquiridas em www.ecoecompanhia.com. De acordo com o proprietário, Aldemar Filho, o diferencial de produtos sustentáveis não é apenas um conceito, é um investimento cotidiano na transformação do processo produtivo.

Buscando alcançar clientes em todo o País, a empresa, ainda de caráter familiar, busca aliar os conceitos de confecção artesanal de produtos sustentáveis com a demanda crescente de clientes preocupados com o compromisso ambiental, o reaproveitamento e a reciclagem. Aldemar admite que há poucas empresas no Amazonas que atuam no segmento de papelaria sustentável, ressaltando que a oportunidade de fazer parte do CDTECH possibilita à Eco & Companhia investir em melhoria dos processos, redução de custos e melhoria do atendimento.

 

Exemplos sustentáveis para o mercado

“Quando utilizamos tintas à base d’água em todos os nossos trabalhos, e quando adquirimos as impressoras fotográficas [baixo impacto ambiental], pois evita o uso de solventes derivados do petróleo que permanecem por mais tempo no meio ambiente, contribuindo para nossa concepção ecológica”, ressalta Ademar. Com caráter inovador e artesanal, a empresa produz alguns itens aproveitando, eventualmente, aparas e sobras de outros produtos.

A economia de recursos aparece também nos processos mais simples, como a redução do uso de espirais em agendas e cadernos: “Em vez que usar a espiral completa, são utilizados apenas dois segmentos, reduzindo a quantidade de material, o custo de produção e a redução de 5% no preço”, pontua Ademar. O uso de sementes regionais também é um dos diferenciais da empresa, como exemplificou o proprietário: “Para alguns eventos, nós produzimos crachás com sementes vivas de camomila. Ao fim do evento, o participante pode plantar seu crachá”.

 

Conheça a ‘Eco & Companhia’

Fundada em 2011, a Eco surgiu como resultado de diversos projetos acadêmicos que ensinavam comunidades da periferia de Manaus a produzirem papel artesanal e tornou-se empresa incubada na Ufam, por meio do CDTECH. Trata-se de micro empresa familiar que produz papelaria dentro de uma metodologia que inclui o respeito ao ambiente e que permite proporcionar uma experiência exclusiva ao nosso cliente, atendendo aos seus anseios de consumidor quanto à estética, durabilidade, funcionalidade, bom atendimento e bons preços.

Na loja virtual é possível encontrar uma variedade de produtos como cadernos, cadernetas, agendas, canetas, camisas, e tudo o mais para um mundo mais lúdico e sustentável. E mais: nós também fazemos papel semente, convites, calendários, bichinhos de pano, lembranças ecológicas personalizadas e tudo o mais que a sua criatividade imaginar. A empresa possui ainda uma editora registrada na Biblioteca Nacional, que em breve estará funcionando.

Em tempos de automação e máquinas que falam, nós optamos por fazer os nossos produtos a mão. O nosso compromisso não é com a quantidade, mas com a qualidade do que por nós é produzido, seja qualidade estética, funcional, social e ambiental. Quem compra os produtos reconhece e compartilha o esforço de promover essa cultura de produzir sem agredir.

 

Com informações do site www.ecoecompanhia.com.

 

Projeto do Icomp é premiado no Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software (SBQS)

Autoras comemoram prêmio para o relatoAutoras comemoram prêmio para o relato

A professora do Instituto de Computação da Ufam, Tayana Conte, recebeu o prêmio de melhor relato de experiência no Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software (SBQS), ocorrido entre os dias 4 e 8 de agosto, em Santa Catarina, com o trabalho ‘Avaliando a qualidade de um aplicativo web móvel através de um teste de usabilidade: um relato de experiência’. Ao avaliar a conquista, a professora disse: “Esse prêmio consagra as pesquisas realizadas no PPGI/Ufam”.

Segundo a orientadora, que apresentou ainda trabalhos técnicos em parceria com outros pesquisadores, e a tese de doutoramento no XII Workshop de Teses e Dissertações em Qualidade de Software, um relato de experiência consiste num artigo de alta qualidade descrevendo e analisando a aplicação de processos, métodos ou ferramentas de qualidade de software. “Nessa descrição, é preciso contextualizar a experiência e mostrar os resultados obtidos e lições aprendidas, em uma experiência prática com contribuição para a indústria de software", explicou a professora.

O relato que ganhou o prêmio descreveu a avaliação de usabilidade de um aplicativo educacional voltado para tablets (dispositivos móveis já popularizados). Esse aplicativo foi desenvolvido pela empresa Samsung, que teve acesso aos resultados, e a avaliação foi feita numa disciplina do projeto Pro-Mobile. “Foi uma experiência executada pelos alunos da disciplina, mas o artigo é de autoria, principalmente, das doutorandas Natasha Valentim e Jacilane Rabelo e do aluno de mestrado Williamson Silva”, disse Tayana.

 

 

Testes de usabilidade em aplicativos de web móvel

Momento da conquista no SBQS 2014Momento da conquista no SBQS 2014As motivações dos pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Informática (PPGI) para investigar esse tema foram duas: o próprio projeto Pro-Mobile, o que facilitou o acesso ao instrumental de pesquisa, e a o crescente uso de aplicativos de web móvel. “Hoje em dia esses são os aplicativos mais utilizados e, consequentemente, os mais estudados em termos de melhoria da qualidade, usabilidade e experiência dos usuários”, acrescentou.

40 voluntários realizaram testes em quatro tablets. Eles executaram algumas atividades consideradas relevantes para usuários do aplicativo. Durante o procedimento, os monitores anotavam se o participante apresentava dificuldades. Após o uso, os voluntários responderam um questionário com perguntas sobre o aplicativo, o qual foi analisado pelos pesquisadores. “Com o trabalho, os testes de usabilidade são incentivados entre empresas de software, o que aumenta a qualidade dos aplicativos quando alcançarem o mercado”, finalizou a professora

 

Saiba mais sobre o SBQS

O Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software (SBQS) é um evento anual da Comissão Especial de Engenharia de Software da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) e do Comitê do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade em Software (PBQP-SW). Ele tem o objetivo de reunir pesquisadores, profissionais, empresários, professores e estudantes de diversas áreas, interessados em questões relativas à qualidade de software. O Simpósio também favorece o intercâmbio de informações entre pesquisadores nacionais e estrangeiros, e entre indústria e usuários, sobre tendências em termos de métodos, técnicas, ferramentas de software, evidências e experiências práticas da área de Qualidade de Software.

O SBQS tornou-se um fórum em que a comunidade científica e a indústria da área de software se encontram para compartilhar experiências, discutir problemas e soluções da área de qualidade de software e estabelecer novas parcerias. O evento é composto de palestras técnicas da academia e de relatos de experiência da indústria, além de minicursos e da presença de palestrantes de reconhecido destaque na área de Qualidade de Software.

 

Trabalhos Técnicos da Ufam aprovados no Simpósio

1. Usando PABC-Pattern para Codificar o Conhecimento: Um estudo Experimental, de Jacilane Rabelo (Ufam), Davi Viana (Ufam), Gleison Santos (Unirio), Tayana Conte (Ufam);

2. Usando Análise de Redes Sociais para Investigar a Disseminação do Conhecimento em Melhorias de Processos de Software, de Tayana Conte (Ufam).

Relatos de Experiência da Ufam aprovados no evento

1. Aplicando Design e Avaliação de Usabilidade para Melhorar a Qualidade de um Aplicativo Web Móvel, de Luis Rivero (Ufam), Raquel do Valle (Ufam), Tayana Conte (Ufam);

2. Avaliando a qualidade de um aplicativo web móvel através de um teste de usabilidade: um relato de experiência, de Tayana Conte (Ufam);

3. Contribuições à Qualidade de um Produto com Testadores de Diferentes Perfis: Um Relato de Experiência, de Arilo Dias Neto (Ufam).

XII Workshop de Teses e Dissertações em Qualidade de Software

1. Estratégia de Apoio à Seleção de Técnicas para Elicitação de Requisitos (dissertação de mestrado), de Renata Rêgo (Ufam);

2. Facilitando a Aprendizagem Organizacional em Melhorias de Processo de Software (tese de doutorado), de Tayana Conte (Ufam);

3. Proposta para Teste de Usabilidade para Aplicações Móveis no Contexto de Computação Ubíqua (dissertação de mestrado), de Arilo Dias Neto (Ufam).

 

Com informações do portalhttp://sbqs2014.tmp.br/sobre-o-sbqs/338

CCA apoia ações de divulgação da Chamada Pública do Fundo Amazônia

O Centro de Ciências do Ambiente (CCA) reuniu representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB) para discutir roteiro de ajustamento de propostas ao Fundo Amazônia na última sexta-feira (8).

Segundo a coordenação do evento, objetivo da Chamada Pública consiste em selecionar propostas candidatas a obter apoio financeiro não reembolsável do Fundo Amazônia, para o desenvolvimento e implementação de Planos de Gestão Territorial e Ambiental (PGTAs) em terras indígenas do bioma Amazônico, os quais deverão atender aos princípios e diretrizes da Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental em Terras Indígenas (PNGATI), conforme o Decreto Presidencial 7747.

Para a diretora do CCA, professora Terezinha Fraxe, o Centro concedeu espaço para a realização do evento, entretanto,há interesse na  participação de alunos de mestrado e doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia (PPCASA) para compreensão de elaboração de projetos junto ao Fundo Amazônia.

Terezinha Fraxe entende que a Ufam ganha com isso, permitindo a eles a preparação para atender aos povos tradicionais, que é o foco principal nesse processo. "O CCA dever ser uma porta aberta para a sociedade e para todos os financiadores, como os Institutos de fomento ao Estado do Amazonas, que trabalham os povos tradicionais, o ambiente e a sociedade", frisa a diretora.

Dentre os projetos que o Fundo Amazônia apoia, são abrangidas as seguintes áreas: Gestão de florestas públicas e áreas protegidas; Controle, monitoramento e fiscalização ambiental; Manejo florestal sustentável; Atividades econômicas desenvolvidas a partir do uso sustentável da floresta; Zoneamento ecológico e econômico, ordenamento territorial e regularização fundiária; Conservação e uso sustentável da biodiversidade e Recuperação de áreas desmatadas.

Para o representante do Fundo Amazônia, Gabriel Arial, a demanda principal é implementar os Planos de Gestão Territorial e Ambiental (PGTAs) que é o principal objetvo da PNGATI. Apesar de alguns povos indígenas manterem sua cultura ultrapassando as fronteiras do território Nacional, para que seja possível receber o financiamento do Fundo Amazônia, é necessário que as Terras Indigenas estejam inseridas no Bioma Amazônico.

Segundo ele, os critérios estabelecidos para a elaboração desta Chamada Pública foram amplamente discutido com a Funai, MMA e BNDA. "Tentando resumir o que foi estabelecido, o proponente dever ser uma Associação ou um a Fundação com destinação de R$ 4 milhões e no máximo R$ 12 milhões. O projeto dever ter uma execução de 42 meses e pode abrange mais de uma Terra Indígena, podendo implementar mais de PGTAs, completa o representante", disse.

O que é o Fundo Amazônia?

O Fundo Amazônia tem por finalidade captar doações para investimentos não-reembolsáveis em ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, e de promoção da conservação e do uso sustentável das florestas no Bioma Amazônia.