Ufam: inspiração para intelectuais da Amazônia

 
O avô do oftalmologista Cláudio Chaves era primo do idealizador da Universidade Livre de Manaos, Eulálio ChavesO avô do oftalmologista Cláudio Chaves era primo do idealizador da Universidade Livre de Manaos, Eulálio Chaves
 
Por Márcia Grana
Equipe Ascom Ufam

Ao longo de 109 anos, a Universidade Federal do Amazonas tem formado e inspirado intelectuais da Amazônia. O historiador Abrahim Baze e o médico oftalmologista Cláudio Chaves são exemplos dessa ligação com a Universidade.

O oftalmologista Cláudio Chaves atuou durante 38 anos como docente da Ufam. Contribuiu com a formação de mais de quatro mil médicos e orientou mais de 200 trabalhos acadêmicos entre especializações, mestrados e doutorados. Além da relação profissional com a Universidade, ele guarda uma relação familiar com a Ufam. 

“Meu avô era primo do idealizador da Ufam, Eulálio Chaves. Foi Eulálio quem sugeriu que meu avô viesse trabalhar como eletricista em Manaus e para cá meu avô veio e ficou até o fim da vida. Além disso, toda a minha formação e a de meus filhos foi na Ufam. Cursei Ciências Biológicas e Medicina. Meus quatro filhos também são formados na Ufam, três seguiram a Medicina e um cursou Direito. Durante toda a minha vida, sempre honro a Ufam, seja na minha atuação na docência, seja na atuação que tive como parlamentar”, afirmou o médico, referindo-se à época em que, enquanto deputado federal, conseguiu a transferência da Escola de Enfermagem do Ministério da Saúde para a Ufam.

O historiador Abrahim Baze afirma ser um divulgador contumaz da UfamO historiador Abrahim Baze afirma ser um divulgador contumaz da Ufam

Divulgador contumaz da Ufam

Membro da Academia Amazonense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Amazonas e de demais associações de eruditos, Abrahim Baze sempre tem a Ufam como fonte de inspiração. Mesmo sem ter estudado na Universidade, ele afirma que, ao longo de suas 32 obras publicadas, a Universidade sempre colabora com suas pesquisas.

“Sou um divulgador contumaz de toda a atividade da Ufam. Apresento, no Amazon Sat, os programas de TV ‘Literatura em Foco’ e ‘Documentos da Amazônia’, e sempre entrevisto os doutores da Ufam. Inclusive, durante uma temporada de pesquisas em Portugal, descobri documentos raríssimos relacionados à Ufam, como o certificado do primeiro diplomado em odontologia pela Ufam, de 1918, o português Manuel Rodrigues do Nascimento, o qual teve uma participação bem ativa na história do Luso Esporte Clube. Essa informação consta na minha obra Luso Esporte Clube – 100 anos ”, declarou Baze, que também é criador de seis museus em Manaus, entre eles, o Museu da Beneficente Portuguesa e o do Atlético Rio Negro Clube.

Ele também comenta sobre seu próximo projeto que envolve a Ufam. “Agora eu me preparo para fazer um grande documentário sobre a história da Ufam. O projeto já está autorizado e começaremos a gravar em breve”, antecipa Abrahim Baze.