UFAM é destaque em competição de Direitos Humanos nos EUA

Os alunos do Grupo de Estudos do Sistema Interamericano de Direitos Humanos (GESIDH UFAM) participaram da competição de Direitos Humanos, 21º Concurso de Júri Simulado do Sistema Interamericano de Direitos Humanos, realizado em Washington, em maio deste ano. 
 
O evento é uma realização da American University - Washington College of Law, realizado de 22 a 27 de maio de 2016. Participaram 101 equipes, incluindo 202 oradores, de 25 países do mundo todo. Dezessete equipes representaram o Brasil. Do Amazonas, apenas a UFAM participou da competição. 
 
O júri simulado tem o objetivo de instruir advogados no uso do Sistema Interamericano como um meio legítimo para a reparação de violações aos direitos humanos. A competição requer que os estudantes discutam os méritos do caso hipotético, baseado no tema "Corrupção nos Estados Democráticos de Direito". O caso abordado é hipotético. Neste ano foi abordada a extraterritialidade, direitos dos povos indígenas e indústrias extrativistas.
 
A equipe da UFAM é formada pela professora Alichelly Ventura, fundadora do grupo, coordenadora e treinadora da equipe; pelos oradores Luan Seminário e Ayrton Gentil e as observadoras Júlia Zuardi e João Matheus. Eles atuam como olheiros, assistindo a outras rodadas e captando material para a equipe. A equipe chegou até a semifinal e venceu a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Universidade de Miami e a Univille, em rodadas enfrentadas. Na colocação geral, a UFAM ficou atrás apenas dos finalistas. 
 
Duzentos juízes avaliaram durante a competição. São juízes com trabalho e experiência no Sistema Interamericano de Direitos Humanos. Eles podem interromper a fala a qualquer instante para realizar perguntas fáticas e jurídicas sobre o caso. Os juízes são especialistas em Direitos Humanos, já formados e com experiência. O júri é realizado com tradução simultânea em três idiomas: inglês, espanhol e português e os alunos são avaliados a partir da entrega da petição com um papel a ser desempenhado de representante das vítimas ou estado. Após a análise da peça de defesa, a dupla deveria fazer uma sustentação oral durante várias rodadas. 
 
Reconhecimento 
Entre as equipes, a UFAM ficou em terceiro lugar, não chegando a final por apenas 16 décimos. A equipe da UFAM também conquistou primeiro e segundo lugar na categoria orador em português.